quinta-feira, 30 de abril de 2015

Todo Dia Com Paz

Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis
(Mateus 7:7).

O QUE FAZER?

Um jovem atormentado pela própria consciência por causa de pecados que cometera procurou conselho de um conhecido: “o que faço para ter paz de espírito?”
- Você não pode fazer nada. Todos os seus esforços serão inúteis. Apenas espere até que o tempo de Deus chegue. Então, e não antes, você irá encontrar o que deseja”.
A primeira parte da resposta está correta. O resto só serve para aumentar a aflição da mente. Outra pessoa lhe disse: “Você tem de bater, porque a Bíblia diz: ‘Batei, e abrir-se-vos-á’”. O jovem, desencorajado, respondeu que já vinha fazendo isso há tempos.
Certo dia ele encontrou um cristão mais maduro e acabou contando a aflição de sua alma. “Não bata mais; se renda ao Senhor Jesus como você é, um pecador perdido, e se aproprie da obra de redenção que ele cumpriu na cruz. Creia nele, e você será salvo e liberto do fardo dos seus pecados”.
Que gloriosa mensagem para o jovem! Ele não teve de esperar mais nem de continuar batendo. Ele encontrou a paz com Deus e, como resultado, consigo mesmo.

OEspiritoEstaPronto
“Ore para que Deus marque compromissos divinos nesta semana. Peça-lhe que interrompa sua vida e o use para falar com alguém sobre Jesus.”
Este foi meu encorajamento final durante a mensagem de domingo em Romanos 10.
Claro que, após o culto, havia um jovem rapaz em nosso estacionamento à procura de alguém para ajudá-lo a colocar sua vida no rumo certo. E claro, eu tinha quatro crianças agitadas no carro e planos para a tarde.
Momentos como esses me tentam a mudar a minha oração de “Senhor, usa-me” para “Senhor, use-me quando eu tiver algum tempo livre”.
O ministério pastoral pode ser muitas coisas, porém, “conveniente” não é o melhor termo para descrevê-lo. O fato dessas interrupções serem compromissos divinos garante que provavelmente não se encaixarão ordenadamente em nossa agenda.
Assim, se o Espírito está pronto para marcar compromissos divinos, como deveríamos nos preparar para responder, mesmo quando a nossa agenda estiver lotada? Não há respostas mágicas, mas aqui estão alguns pontos para considerar em espírito de oração.
1.Ore por encontros divinos.
Deus está soberanamente operando seus propósitos na história. Ele coloca pessoas onde deseja que estejam (Atos 17:21) e incrivelmente prepara as circunstâncias para atrair pessoas para si mesmo (Atos 8:26-40). Como seus seguidores, devemos estar preparados, dispostos e desejosos a lhe apresentar pessoas (Isaías 6:8; Mateus 28:18-20; Atos 1:8; 2 Coríntios 5:20).
Ore para que Deus o use. Ore para que use sua igreja. Ore regularmente para que ele interrompa sua agenda e prepare as circunstâncias para que você tenha a oportunidade de falar aos outros sobre ele. Peça para ele abrir portas a fim de que a Palavra seja pregada (Atos 14:27; 1 Coríntios 16:9; Colossenses 4:2; Apocalipse 3:8) e para abrir seus olhos para ver os encontros que ele está planejando.
2.Ore por respostas divinas
Quando oramos, deveríamos esperar que Deus responderá. Servimos a um Deus que se deleita em encontrar e usar pessoas disponíveis (2 Crônicas 16:9). Isso significa que, quando acordamos todas as manhãs, deveríamos esperar grandemente que o Deus dos céus nos usará na terra naquele dia para a sua glória. Alguns dias esse processo será mais óbvio que outros, mas devemos sempre esperar que ele nos use.
Há muito tempo, minha esposa disse: “Cada breve encontro vem do Senhor”. Uma vez que não há algo como sorte ou acaso, devemos sempre nos lembrar que quando encontramos pessoas em nossa família, vizinhança, trabalho e caixa do supermercado (saia, por favor, do celular), isso acontece porque Deus planejou que acontecesse dessa forma.
Você está buscando uma porta aberta ao conversar com alguém? Está perguntando às pessoas sobre suas vidas? Está perguntado às pessoas como pode orar por elas? Está empurrando portas nos relacionamentos para ver se o Senhor abre uma?
Conheço um presbítero e sua esposa que preparam uma refeição grande praticamente todos os domingo para que possam convidar pessoas que encontram na igreja para almoçar. Tenho ouvido alguns testemunhos de pessoas que sentaram na frente deles na igreja e foram convidadas por eles para almoçar. Essa família do presbítero estava preparada para ser usada pelo Senhor.
Outra maneira prática para planejar respostas divinas é estocar recursos que você possa dar às pessoas que estejam interessadas em saber mais. Eu tenho cópias das Escrituras e um folheto evangelístico na minha mochila quando viajo, no meu carro, no meu escritório e na igreja. Também tenho um plano de leitura bíblica para entregar a quem se mostre interessado em ler a Bíblia.
3.Ore para saber quando deveria deixar de lado uma possível oportunidade evangelística
Nunca faltaram oportunidades para Jesus ministrar. Entretanto, Jesus não ministrava para toda pessoa que vinha até ele. Às vezes, ele dizia “não” para as oportunidades diante dele, porque tinha outros negócios do Pai para cuidar (Marcos 1:36-38).
Jesus tinha uma vantagem, sendo onisciente e tal, mas ele nos dá seu Espírito para nos guiar (João 16:33; Atos 8:29, 10:19, 13:2) e sabedoria conforme pedirmos (Mateus 7:7-11; Tiago 1:5).
Há tempos que não estamos disponíveis para compartilhar o evangelho porque temos outras coisas que o Senhor quer que façamos.
Por exemplo, não ficamos no domingo para compartilhar o evangelho com aquele rapaz no estacionamento depois da igreja. Não era o momento certo. Trocamos e-mails e eu o apresentei a alguns de nossos membros, mas, para mim, naquele dia, foi melhor manter o compromisso que tinha com minha família. Em outra ocasião, poderíamos convidá-lo para almoçar ou eu poderia falar para minha família ir antes para casa e eu ficaria para conversar com ele.
Ore para que o Senhor o ajude a caminhar em sabedoria e descansar no fato de que você não é o Salvador.
4.Ore para saber quando seus planos estão ficando no caminho dos planos de Deus
Há momentos em que as coisas boas que fazemos estão no caminho das grandes coisas que Deus quer que façamos. Em Lucas 9:57-62, Jesus encontra três pessoas que poderiam ser seus seguidores, mas, ao serem questionadas para segui-lo, deram o que parece ser boas desculpas. Garantir abrigo, enterrar um parente que morreu e dizer adeus à sua família me parecem razões melhores para adiar seguir a Jesus do que as desculpas que normalmente dou.
Essa passagem deve nos lembrar que não devemos “nos estribar no nosso próprio entendimento” (Provérbios 3:5-6) e deve nos ajudar a escolher a “melhor porção” (Lucas 10:38-42). Precisamos da graça para vermos coisas em nossas agendas que podem ser deixadas de lado para que tenhamos tempo livre. Devemos estar em espírito de oração para que Deus possa cultivar em nós um coração sensível como o do jovem Samuel (1 Sam 3:1-11), de maneira que, se sentirmos Deus nos chamando para fazer algo, possamos responder com fé expectante.
É nesse ponto que é essencial estar em uma comunidade amorosa, intencional e franca. Preciso de pessoas que me ajudem a pensar sobre minhas prioridades. Não estou isento de que meu conforto e meus planos pessoais interfiram e escureçam minha habilidade de ver o que Deus tem colocado na minha frente. Ajudemo-nos uns aos outros a estar atentos aos encontros divinos e a criar uma cultura em nossas igrejas na qual nos rendemos ao chamado do Senhor para fazer seu nome conhecido.
5.Descanse na graça de Deus se você perder uma oportunidade.
Todos nós perderemos compromissos divinos. Somos pecadores que, por muitas razões, estamos propensos a ter os ouvidos surdos, os corações, endurecidos e os sentidos, entorpecidos. Certos casos, nos quais pareço ter perdido uma oportunidade divinamente ordenada para direcionar alguém para Cristo, ainda me assombram. E, embora devamos sempre aprender e nos arrepender quando for o caso, precisamos descansar no fato de que a graça de Deus cobre todas as nossas falhas.
A boa notícia do evangelho é que Jesus morreu e ressuscitou por pecadores, incluindo os que perdem compromissos divinos. Assim, se você estiver muito atarefado para notar ou temeroso demais para falar, lance-se sobre a misericórdia incomparável do Senhor — e prepare-se para a próxima oportunidade que ele colocar diante de você.
O Espírito está pronto para nos usar, portanto aproxime-se do Senhor e peça que ele o faça. Nada melhor do que ter a mensagem da graça de Deus e a agenda cheia de compromissos divinos. Senhor, usa-nos!
Agradecimentos a Blake White(@ablakewhite) por seu twittar “O Espírito está pronto, mas a agenda está apertada”, que me fez pensar sobre este artigo e a Tim Challies (@challies) por este post sobre produtividade, na qual uma das seções era sobre estar pronto para compromissos divinos.
Quero também, fortemente recomendar o livro de Kevin DeYoung “Super Ocupado” e “What’s Best Next” de Matt Perman para você ler. Estes recursos maravilhosos o ajudarão a pensar melhor sobre como ter uma agenda cheia para a glória de Deus.
Por: Garrett Kell. © 2014 The Gospel Coalition. Original: The Spirit Is Willing But The Schedule Is Tight.
Tradução: César Augusto. Revisão: Vinícius Musselman Pimentel. © 2014 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: VoltemosAoEvangelho.com. Original: O Espírito Está Pronto, Mas a agenda é Apertada.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Todo Dia Com Paz

Porém, Jonas se levantou para fugir da presença do Senhor para Társis. E descendo a Jope, achou um navio que ia para Társis; pagou, pois, a sua passagem, e desceu para dentro dele, para ir com eles para Társis, para longe da presença do Senhor
(Jonas 1:3).

DUAS LIÇÕES DA EXPERIÊNCIA DE JONAS

A história do profeta Jonas contém importantes ensinos que todo cristão deveria saber de cor. Hoje queremos abordar dois pontos específicos.
Jonas não estava disposto para cumprir a missão que Deus lhe havia confiado. Portanto, tentou fugir da presença de Deus. Ao fazer isso, ele entrou na rota da desobediência, que sempre leva para baixo, como a experiência de Jonas mostra. Desobedecer à Palavra de Deus tem suas consequências. De fato, um caminho diretamente oposto à vontade de Deus revelada na bíblia conduz à destruição certa. Vale a pena notar isso na vida de Jonas.
O segundo ponto é o fato de que é impossível escapar do Senhor, não importa o quanto se tenta. Assim como o Senhor alcançou Jonas, em algum estágio o Senhor também nos alcança. Davi, escritor do Salmo 139, tinha plena consciência de que Deus era onipresente: "Para onde me irei do teu espírito, ou para onde fugirei da tua face? Se subir ao céu, lá tu estás; se fizer no inferno a minha cama, eis que tu ali estás também" (Salmo 139:7-8). A onipresença de Deus também é consoladora. Assim, como ele viu Jonas e foi atrás do profeta, Deus também nos vê onde quer que estejamos. E nos segue para nos fazer voltar da insanidade do caminho da desobediência. E não nos ignora simplesmente. Quando nos desviamos dele, podemos ter certeza de que o Pai irá nos buscar para nos trazer a Si novamente. Como ele é maravilhoso!

Entrando em Sintonia nos Últimos Dias

Elwood McQuaid
Uma cadeira de dentista não é o lugar ideal para uma conferência sobre profecia bíblica. Uma boca cheia de instrumentos reduz a resposta de um paciente a grunhidos e a movimentos com os olhos, limitando profundamente sua habilidade de responder às perguntas do profissional encarregado dos reparos. E, para alguém como eu, que gasta uma considerável parte da vida imerso em assuntos relacionados com eventos do final dos tempos e que analisa muitos fatos e opiniões, ficar calado é um exercício doloroso.
Mas isso tem suas recompensas. Neste momento, a compensação veio na forma de uma observação feita por meu dentista, um profissional competente e, ao mesmo tempo, sintonizado com as questões contemporâneas.
“Com tudo o que estamos vendo ultimamente”, disse ele, “é correto dizer que estamos vivendo nos últimos dias?”
A pergunta em si não foi incomum. O que chama minha atenção é a freqüência com que essa pergunta tem sido feita nestes dias. Sem dúvida, cada vez mais crentes no Ocidente sentem-se carentes pela falta de ensino sobre o assunto nas igrejas e em outras fontes teológicas de informação.
Embora certamente estejamos vivendo nos últimos dias, não podemos determinar com segurança o quanto já estamos avançados nos tempos finais. O que vemos são indicadores ou, se quisermos, tendências que identificam precursores do cenário do final dos tempos apresentado nas Escrituras. Uma verificação séria a respeido de onde os eventos estão nos levando é imensamente prática e, na verdade, uma necessidade inescapável se os crentes quiserem se preparar para responder bíblica e espiritualmente aos desafios dos nossos dias. Já não podemos nos permitir pensamentos fantasiosos que substituem a realidade pela inclinação do momento, que ignoram os fatos e criam uma falsa sensação de segurança e de abundância contínua.

Definindo a fonte

Ninguém pode negar que a inerrância bíblica e os valores cristãos estão sendo atacados. Na foto, protesto em favor do aborto.
Ninguém pode negar que a inerrância bíblica e os valores cristãos estão sendo atacados. O nível desenfreado e impiedoso de escárnio, cinismo e ameaças ou ataques físicos contra os cristãos e suas propriedades aumentou consideravelmente. Em algumas sociedades está na moda perseguir cristãos e praticar um paganismo remodelado que glorifica sem limites a adoração secularizada.
Infelizmente, a Igreja não tem conseguido ficar fora dessa contaminação pela queda no vazio da incerteza que repudia ostensivamente a verdade emanada da única fonte confiável de que dispomos: a Palavra de Deus. O caso em questão é o ensinamento profético, que está rapidamente se tornando uma raridade em muitos grupos. Em vista dos atuais acontecimentos nacionais e internacionais, essa falha dificilmente pode ser ignorada. A profecia bíblica, dada por meio da revelação divina, é a única ligação criticamente confiável entre o presente e o futuro. Ela nos ilumina no que se refere a prioridades aplicáveis para o aqui e agora, ao mesmo tempo que nos fornece compreensão sobre o que está por vir. Já deveríamos ter aprendido que não há nenhuma garantia de certeza vinda das vozes dos “especialistas” em praticamente qualquer campo que queiramos mencionar.
Por exemplo, quando o preço do petróleo subiu e as pessoas ainda suficientemente afortunadas por terem um emprego pensavam em como poderiam ir de carro para o trabalho, os especialistas disseram: “Acostumem-se! Os preços da gasolina nunca irão baixar. Estamos finalmente nos aproximando do que as pessoas pagam em outras partes do mundo, e é assim que vai ficar”. Bem, os preços caíram; ninguém, nem mesmo os entendidos, predisseram o futuro com exatidão.
De maior significação ainda foram os fracassos dos prognosticadores sobre os assuntos externos. No dia do Natal de 1991, após 70 anos de forte opressão e 50 anos de uma Guerra Fria amarga contra o Ocidente, a bandeira com a foice e o martelo da União Soviética foi baixada no Kremlin. Alguns especialistas proclamaram entusiasticamente que a nova Rússia seria governada por líderes ansiosos pela liberdade e pela amizade com seus benfeitores ocidentais. A democracia era a onda do futuro, diziam eles. Bem, eles estavam errados. Quando o colosso cambaleante readquiriu seu equilíbrio sob Vladmir Putin, o imperialismo retornou; e uma Guerra Fria remodelada foi reiniciada.
Quando a Rússia cambaleante readquiriu seu equilíbrio sob Vladmir Putin, o imperialismo retornou; e uma Guerra Fria remodelada foi reiniciada.
Uma miríade de outros exemplos poderia ser citada, comprovando a inabilidade freqüentemente dispendiosa dos seres humanos em preverem o futuro. Mas temos, sim, um intérprete preciso do que está por vir – uma junção de profecia e história que sabemos estar correta. Para fins de clareza e de nosso propósito, devemos voltar nossa atenção para a Bíblia e os indicadores que nela foram deixados para nós.

Sinais dos tempos

Várias tendências atuais fornecem visões sobre quanto já estamos adiantado no final dos tempos.

A imagem em vez da substância

Dentre os grandes males de nossos dias está a tomada de decisões superficial e agressiva baseada na aparência e não na substância comprovada. Essa condição tem sido amplamente promovida pela televisão e por sua capacidade de criar a ilusão de substância por meio de imagens atraentes. Em muitos aspectos, portanto, estamos nos tornando pessoas orientadas pela imagem, com curtíssimos períodos de atenção.
O ápice desse processo se relaciona à descrição do Anticristo em Apocalipse 13 e outras passagens. Ele é descrito como adorado, eloqüente, consumido pela luxúria do poder, e obcecado por apresentar-se como um novo messias:
Quem é semelhante à besta [Anticristo]? (...) Foi-lhe dada uma boca que proferia arrogâncias e blasfêmias (...) Deu-se-lhe ainda autoridade sobre cada tribo, povo, língua e nação; e adorá-la-ão (...) o qual se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus ou é objeto de culto, a ponto de assentar-se no santuário de Deus, ostentando-se como se fosse o próprio Deus” (Ap 13.4-5,7-8; 2 Ts 2.4).
Será construída uma imagem desse ditador final, e ao mundo será ordenado que se ajoelhe perante ela em adoração. Essa é a exibição clássica da suprema incorporação satânica de absoluto narcisismo que milhões aceitarão por sua própria vontade.

O mergulho na apostasia

Ninguém, de nenhum modo, vos engane, porque isto [a Segunda Vinda do Senhor] não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia e seja revelado o homem da iniqüidade, o filho da perdição” (2 Ts 2.3).
A preparação para a chegada do Anticristo é o “abandono” da fé verdadeira. É uma forma de apostasia, uma condição na qual as pessoas que têm a informação correta sobre Deus e Sua verdade se afastam dela, negando e repudiando-a.
Hoje, o mundo está se afastando mais rapidamente do que nunca do cristianismo ortodoxo, avançando para uma fusão com todas as formas de religiões e seitas. Como disse o rei Abdullah, da Arábia Saudita, isso acontece sob a bandeira da fé em “um só Deus”. Essa posição não é nada mais que o politeísmo redelineado e institucionalizado. E, no âmago desse sistema de inclusão e negação, estão (1) a rejeição vigorosa ao Evangelho e (2) a supressão militante de todos os indivíduos e grupos comprometidos em proclamá-lo conforme o mandado da Grande Comissão de Jesus para Sua igreja. Avolumam-se as evidências de que estamos nos movendo em direção a uma religião mundial única – exceto, logicamente, a do Deus único e verdadeiro. Portanto, podemos apenas concluir que estamos avançando na direção da apostasia profetizada.

A loucura materialista

Ondas de choque pelas recentes revelações a respeito da corrupção, do engano e da roubalheira no mundo das altas finanças ainda reverberam nos mercados globais. A ganância, tanto corporativa quanto individual, tornou-se a essência do jogo; e poucos parecem entender porquê. Surpreendeu-me quando um comentarista da televisão realmente colocou seu dedo na ferida. Dizendo que não era, em hipótese alguma, um pregador, ele, entretanto, afirmou que sentia ter de admitir que a falência da cultura com relação a valores morais era o principal fator subjacente dos negócios ilícitos dos gananciosos. Uma exclamação que se ouve com freqüência é a afirmação do apóstolo Paulo: “Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males” (1 Tm 6.10).
A falência da cultura com relação a valores morais é o principal fator subjacente dos negócios ilícitos dos gananciosos. Na foto, o milionário Bernard Madoff sai do Tribunal federal após uma audiência de fiança em Nova Iorque.
O golpe de nocaute para o mundo material do final dos tempos está descrito em Apocalipse 18, quando “Babilônia, a grande”, o centro e símbolo de um sistema global sem Deus, experimentar a taça cheia da ira de Deus: “porque os seus pecados se acumularam até ao céu, e Deus se lembrou dos atos iníquos que ela praticou” (Ap 18.5).
É interessante que aqueles que são mais afetados pelo colapso de seu sistema corrupto são chamados de “os mercadores da terra”, que “sobre ela, choram e pranteiam... porque já ninguém compra a sua mercadoria. O fruto sazonado, que a tua alma tanto apeteceu, se apartou de ti... Os mercadores destas coisas, que, por meio dela, se enriqueceram, conservar-se-ão de longe, pelo medo do seu tormento, chorando e pranteando” (Ap 18.11,14-15).
Está próximo o dia do acerto de contas por causa da submissão geral ao materialismo. O mundo está se movendo sistematicamente nessa direção.

A supressão de Israel

O Dicionário Webster define supressão como “ato de excluir intencionalmente da consciência um pensamento ou sentimento”.
As más intenções dos inimigos de Israel e do povo judeu não poderiam ser mais claramente afirmadas, exceto pelo que consta nas Sagradas Escrituras. O desejo mais profundo dos fanáticos da guerra santa [jihad] e de seus companheiros é reduzir Israel a uma mera mancha na memória da história do Oriente Médio. Foi por isso que eles apagaram Israel de todos os mapas árabes e palestinos. Revisionistas reescrevem a história e têm prazer em afirmar que nunca houve um Holocausto, que nunca houve um número significativo de judeus em Israel, que templos judeus nunca foram construídos no Monte Moriá, que nenhum Estado Judeu moderno deveria existir. Em outras palavras, para eles Israel é uma criação fantasmagórica que serve apenas para ser destruída e depois esquecida.
Infelizmente, a luta do pequeno Israel pela sobrevivência continuará e será acelerada até que o último capítulo seja escrito: “Porque eu ajuntarei todas as nações para a peleja contra Jerusalém” (Zc 14.2).
Mas as ambições sinistras das nações que se enraivecem contra Deus, Sua cidade, e Seu povo judeu não serão realizadas: “Então, sairá o Senhor e pelejará contra essas nações, como pelejou no dia da batalha” (Zc 14.3).
Esses relances de profecias são marcadores na progressão em direção aos dias finais que levam à consumação dos séculos. Mas, em vez de se tornarem fonte de depressão e medo, eles se firmam como implementos de discernimento e segurança de que há um fim à vista para os excessos pecaminosos que cobrem a paisagem global de imundície. Além do mais, recebemos essa informação de um Deus que promete não nos afligir com o desconhecimento sobre nosso tempo e o futuro.
A linha de chegada está á vista? Vivemos realmente nos últimos dias? Num sentido mais amplo, cada dia poderia ser o último dia dos últimos dias antes de ouvirmos o chamado que nos levará à presença de Deus. Conseqüentemente, estamos “aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus” (Tt 2.13).
Creio, pessoalmente, que estamos vivendo os últimos dias? Sim, estou convencido de que já estamos avançados em tais dias. Tal convicção vem de observar as tendências desenvolvendo-se rapidamente, tendências que correspondem ao que a Palavra profética nos ensina. Não, não sabemos o dia ou a hora; mas temos as promessas dEle e as evidências diante de nós. Ora, “Vem, Senhor Jesus!” (Ap 22.20).(Elwood McQuaid - Israel My Glory -http://www.chamada.com.br)

terça-feira, 28 de abril de 2015

Todo Dia Com Paz

Os carros correrão furiosamente nas ruas, colidirão um contra o outro nos largos caminhos; o seu aspecto será como o de tochas, correrão como relâmpagos? As portas dos rios se abrirão, e o palácio será dissolvido. É decretado: ela será levada cativa, conduzida para cima; e as suas servas a acompanharão, gemendo como pombas, batendo em seus peitos? Ai da cidade ensangüentada! Ela está toda cheia de mentiras e de rapina
(Naum 2:4,6-7; 3:1).

PROFETAS E SUAS PROFECIAS - NAUM

Isso foi escrito neste ano ou há mais de 2700 anos? As sentenças claras e gráficas da profecia de Naum sobre a destruição de Nínive nos capítulos 2 e 3 poderiam muito bem descrever a condições de algumas de nossas cidades hoje em dia. Temos certeza que Deus sabe tudo o que acontece, bem como as atitudes e motivações por trás dos fatos.
Tráfego intenso, velocidade, armas perigosas, autoridades arrogantes, sensação de impotência, roubos, medo, sangue, mentiras, violência, assassinatos, sexo pervertido ? as circunstâncias externas podem variar, mas o coração humano não mudou através dos séculos. As armas se tornaram mais letais e tecnológicas, os cavalos literais foram substituídos por várias medidas de força, mas o coração do homem ainda é enganoso acima de todas as coisas e desesperadamente corrupto (Jeremias 17:9)! Iniquidade é a ordem do dia.
Deus fala a Nínive do passado sobre o julgamento de Nô-Amon no Egito, aparentemente protegida pelas águas que a cercavam, mas que acabou destruída. Sabemos que a poderosa cidade de Nínive  estava situada e protegida pelo rio Tigre; e que o motivo de sua queda foi exatamente aquilo do que se orgulhava: os portões do rio foram abertos, permitindo a entrada do inimigo, que a arrasou.
Todas as precauções humanas são inúteis quando Deus desencadeia Seu juízo sobre alguém ou sobre algum povo. Desde Adão Deus tem nos advertido o que irá acontecer, mas agora o tempo do fim de Sua graça está às portas. O juízo de Nínive, do Egito e tantas outras nações  é um aviso do que será feito com este mundo. Que tenhamos ouvidos para ouvir as sentenças de Deus neste dia de Sua graça!
OEspiritoEstaPronto
“Ore para que Deus marque compromissos divinos nesta semana. Peça-lhe que interrompa sua vida e o use para falar com alguém sobre Jesus.”
Este foi meu encorajamento final durante a mensagem de domingo em Romanos 10.
Claro que, após o culto, havia um jovem rapaz em nosso estacionamento à procura de alguém para ajudá-lo a colocar sua vida no rumo certo. E claro, eu tinha quatro crianças agitadas no carro e planos para a tarde.
Momentos como esses me tentam a mudar a minha oração de “Senhor, usa-me” para “Senhor, use-me quando eu tiver algum tempo livre”.
O ministério pastoral pode ser muitas coisas, porém, “conveniente” não é o melhor termo para descrevê-lo. O fato dessas interrupções serem compromissos divinos garante que provavelmente não se encaixarão ordenadamente em nossa agenda.
Assim, se o Espírito está pronto para marcar compromissos divinos, como deveríamos nos preparar para responder, mesmo quando a nossa agenda estiver lotada? Não há respostas mágicas, mas aqui estão alguns pontos para considerar em espírito de oração.
1.Ore por encontros divinos.
Deus está soberanamente operando seus propósitos na história. Ele coloca pessoas onde deseja que estejam (Atos 17:21) e incrivelmente prepara as circunstâncias para atrair pessoas para si mesmo (Atos 8:26-40). Como seus seguidores, devemos estar preparados, dispostos e desejosos a lhe apresentar pessoas (Isaías 6:8; Mateus 28:18-20; Atos 1:8; 2 Coríntios 5:20).
Ore para que Deus o use. Ore para que use sua igreja. Ore regularmente para que ele interrompa sua agenda e prepare as circunstâncias para que você tenha a oportunidade de falar aos outros sobre ele. Peça para ele abrir portas a fim de que a Palavra seja pregada (Atos 14:27; 1 Coríntios 16:9; Colossenses 4:2; Apocalipse 3:8) e para abrir seus olhos para ver os encontros que ele está planejando.
2.Ore por respostas divinas
Quando oramos, deveríamos esperar que Deus responderá. Servimos a um Deus que se deleita em encontrar e usar pessoas disponíveis (2 Crônicas 16:9). Isso significa que, quando acordamos todas as manhãs, deveríamos esperar grandemente que o Deus dos céus nos usará na terra naquele dia para a sua glória. Alguns dias esse processo será mais óbvio que outros, mas devemos sempre esperar que ele nos use.
Há muito tempo, minha esposa disse: “Cada breve encontro vem do Senhor”. Uma vez que não há algo como sorte ou acaso, devemos sempre nos lembrar que quando encontramos pessoas em nossa família, vizinhança, trabalho e caixa do supermercado (saia, por favor, do celular), isso acontece porque Deus planejou que acontecesse dessa forma.
Você está buscando uma porta aberta ao conversar com alguém? Está perguntando às pessoas sobre suas vidas? Está perguntado às pessoas como pode orar por elas? Está empurrando portas nos relacionamentos para ver se o Senhor abre uma?
Conheço um presbítero e sua esposa que preparam uma refeição grande praticamente todos os domingo para que possam convidar pessoas que encontram na igreja para almoçar. Tenho ouvido alguns testemunhos de pessoas que sentaram na frente deles na igreja e foram convidadas por eles para almoçar. Essa família do presbítero estava preparada para ser usada pelo Senhor.
Outra maneira prática para planejar respostas divinas é estocar recursos que você possa dar às pessoas que estejam interessadas em saber mais. Eu tenho cópias das Escrituras e um folheto evangelístico na minha mochila quando viajo, no meu carro, no meu escritório e na igreja. Também tenho um plano de leitura bíblica para entregar a quem se mostre interessado em ler a Bíblia.
3.Ore para saber quando deveria deixar de lado uma possível oportunidade evangelística
Nunca faltaram oportunidades para Jesus ministrar. Entretanto, Jesus não ministrava para toda pessoa que vinha até ele. Às vezes, ele dizia “não” para as oportunidades diante dele, porque tinha outros negócios do Pai para cuidar (Marcos 1:36-38).
Jesus tinha uma vantagem, sendo onisciente e tal, mas ele nos dá seu Espírito para nos guiar (João 16:33; Atos 8:29, 10:19, 13:2) e sabedoria conforme pedirmos (Mateus 7:7-11; Tiago 1:5).
Há tempos que não estamos disponíveis para compartilhar o evangelho porque temos outras coisas que o Senhor quer que façamos.
Por exemplo, não ficamos no domingo para compartilhar o evangelho com aquele rapaz no estacionamento depois da igreja. Não era o momento certo. Trocamos e-mails e eu o apresentei a alguns de nossos membros, mas, para mim, naquele dia, foi melhor manter o compromisso que tinha com minha família. Em outra ocasião, poderíamos convidá-lo para almoçar ou eu poderia falar para minha família ir antes para casa e eu ficaria para conversar com ele.
Ore para que o Senhor o ajude a caminhar em sabedoria e descansar no fato de que você não é o Salvador.
4.Ore para saber quando seus planos estão ficando no caminho dos planos de Deus
Há momentos em que as coisas boas que fazemos estão no caminho das grandes coisas que Deus quer que façamos. Em Lucas 9:57-62, Jesus encontra três pessoas que poderiam ser seus seguidores, mas, ao serem questionadas para segui-lo, deram o que parece ser boas desculpas. Garantir abrigo, enterrar um parente que morreu e dizer adeus à sua família me parecem razões melhores para adiar seguir a Jesus do que as desculpas que normalmente dou.
Essa passagem deve nos lembrar que não devemos “nos estribar no nosso próprio entendimento” (Provérbios 3:5-6) e deve nos ajudar a escolher a “melhor porção” (Lucas 10:38-42). Precisamos da graça para vermos coisas em nossas agendas que podem ser deixadas de lado para que tenhamos tempo livre. Devemos estar em espírito de oração para que Deus possa cultivar em nós um coração sensível como o do jovem Samuel (1 Sam 3:1-11), de maneira que, se sentirmos Deus nos chamando para fazer algo, possamos responder com fé expectante.
É nesse ponto que é essencial estar em uma comunidade amorosa, intencional e franca. Preciso de pessoas que me ajudem a pensar sobre minhas prioridades. Não estou isento de que meu conforto e meus planos pessoais interfiram e escureçam minha habilidade de ver o que Deus tem colocado na minha frente. Ajudemo-nos uns aos outros a estar atentos aos encontros divinos e a criar uma cultura em nossas igrejas na qual nos rendemos ao chamado do Senhor para fazer seu nome conhecido.
5.Descanse na graça de Deus se você perder uma oportunidade.
Todos nós perderemos compromissos divinos. Somos pecadores que, por muitas razões, estamos propensos a ter os ouvidos surdos, os corações, endurecidos e os sentidos, entorpecidos. Certos casos, nos quais pareço ter perdido uma oportunidade divinamente ordenada para direcionar alguém para Cristo, ainda me assombram. E, embora devamos sempre aprender e nos arrepender quando for o caso, precisamos descansar no fato de que a graça de Deus cobre todas as nossas falhas.
A boa notícia do evangelho é que Jesus morreu e ressuscitou por pecadores, incluindo os que perdem compromissos divinos. Assim, se você estiver muito atarefado para notar ou temeroso demais para falar, lance-se sobre a misericórdia incomparável do Senhor — e prepare-se para a próxima oportunidade que ele colocar diante de você.
O Espírito está pronto para nos usar, portanto aproxime-se do Senhor e peça que ele o faça. Nada melhor do que ter a mensagem da graça de Deus e a agenda cheia de compromissos divinos. Senhor, usa-nos!
Agradecimentos a Blake White(@ablakewhite) por seu twittar “O Espírito está pronto, mas a agenda está apertada”, que me fez pensar sobre este artigo e a Tim Challies (@challies) por este post sobre produtividade, na qual uma das seções era sobre estar pronto para compromissos divinos.
Quero também, fortemente recomendar o livro de Kevin DeYoung “Super Ocupado” e “What’s Best Next” de Matt Perman para você ler. Estes recursos maravilhosos o ajudarão a pensar melhor sobre como ter uma agenda cheia para a glória de Deus.
Por: Garrett Kell. © 2014 The Gospel Coalition. Original: The Spirit Is Willing But The Schedule Is Tight.
Tradução: César Augusto. Revisão: Vinícius Musselman Pimentel. © 2014 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: VoltemosAoEvangelho.com. Original: O Espírito Está Pronto, Mas a agenda é Apertada.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Todo Dia Com Paz

Ó terra, terra, terra! Ouve a palavra do Senhor
(Jeremias 22:29).

ENGANADORAMENTE GENTIS

Em setembro de 2003, muitos chefes de governo representando seus países se encontraram na Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque. Com extrema cortesia, o presidente da reunião anunciava e recepcionava os palestrantes. E a audiência os aplaudia.
Os discursos versavam sobre problemas recorrentes: armas de destruição em massa, terrorismo, conflitos regionais, epidemias, aquecimento global e pobreza nos países em desenvolvimento. A maioria dos oradores lamentaram que os fatos estavam muito atrás das promessas e dos tratados assinados.
o presidente do pequeno Estado de Andorra acabou sua preleção com este comentário: "Vamos tirar algo útil desses longos debates e discursos, que aplaudimos com cortesia diplomática, mesmo sem sequer ouvi-los. Há muito em jogo para nós". Como ele estava certo!
Não apenas o futuro do mundo está em jogo, mas o futuro eterno de cada indivíduo. Entre Deus e nós há o abismo do pecado. E ele mostra o caminho da salvação em sua Palavra, a Bíblia.
Muitos são polidos e parecem até se interessar quando o plano da salvação lhes é exposto. Alguns até aplaudem o Senhor Jesus Cristo. Mas não se importam nem um pouco com a verdade que ouvem nem com o Deus que lhes fala! E nem imaginam o que estão arriscando.

Conexão Voluntários em Campo se prepara para Jogos Pan-Americanos

Conexão Voluntários em Campo se prepara para Jogos Pan-AmericanosVoluntários em Campo se prepara para Jogos Pan-Americanos
Um grupo de missionários brasileiros se prepara para o desafio de promover o Evangelho em Toronto, no Canadá, considerada a cidade mais multicultural do mundo. A ação de evangelismo será realizada durante os Jogos Pan-Americanos 2015.
Os voluntários de todo o Brasil que integram o grupo Conexão Voluntários em Campo estarão em Toronto durante o período de realização dos Jogos, de 09 a 25 de julho. Os Jogos Pan-Americanos representam o terceiro maior evento esportivo do mundo.
“Nós já participamos da edição de 2007, que aconteceu no Rio de Janeiro, e em 2011, que ocorreu em Guadalaraja, no México. Já temos 30 pessoas com passagens compradas. Se a situação do dólar melhorar, teremos um grupo de até 40 líderes voluntários que ficarão em Toronto durante todo o período do evento”, informou o pastor Marcos Grava, presidente da Conexão Voluntários em Campo.
O pastor enfatizou que a Conexão Voluntários em Campo sempre mantém um missionário fixo nos países onde o trabalho de evangelismo é realizado. Isso permite que o trabalho de evangelismo responda e se some às necessidades das igrejas locais e prospere a longo prazo.
“É uma característica nossa. Nós sempre temos missionários locais que não apenas preparam a nossa chegada, mas ficam depois do período de evangelismo para colher e expandir os frutos do nosso trabalho. É importante trabalhar em conjunto com as igrejas locais, que conhecem a realidade do país, e faremos isso em Toronto”, disse Marcos Grava.
Como em outras missões que realizou em diversos lugares do mundo – como Haiti, China, México, África do Sul, entre outros – a Conexão Voluntários em Campo conta com o importante apoio da organização Atletas de Cristo, que usa o esporte como meio de ingressar até em países fechados.
Apesar de o Canadá ser um país aberto e reconhecidamente liberal, o trabalho de evangelismo em Toronto é considerado um grande desafio pelos missionários brasileiros da Conexão. O motivo é o grau de multiculturalismo que marca Toronto.
“Toronto é conhecida internacionalmente como a cidade mais multicultural do mundo. É um caldeirão de culturas, religiões e tradições. Os Jogos Pan-Americanos acontecerão em julho, quando é verão no Canadá, e são esperadas pessoas do mundo todo. Por isso é um grande desafio, mas graças a Deus temos já uma grande experiência”, avaliou Marcos Grava.

domingo, 26 de abril de 2015

Todo Dia Com Paz

A luz ainda está convosco por um pouco de tempo. Andai enquanto tendes luz, para que as trevas não vos apanhem
(João 12:35).

AINDA HÁ LUZ

O Senhor Jesus Cristo falou estas palavras com referência à Sua morte na cruz, que já se aproximava. Ele havia acabado de explicar aos Seus ouvintes que Sua morte produziria ricos frutos para Deus, assim como um grão de trigo semeado no solo produz uma espiga cheia de grãos. Mas também esclareceu que Sua morte traria julgamento sobre este mundo. Portanto, eles deveriam aproveitar aquele breve período em que a luz de Deus ainda brilharia entre os homens.
Hoje, centenários depois, as opiniões se dividem quanto à cruz do Calvário. Há milhões de pessoas que creem que Jesus Cristo é o Salvador do mundo e que morreu pelo pecado que cometeram. Elas obtiveram o perdão dos pecados e receberam a vida eterna. São a "colheita" produzida por Sua morte.
Ao mesmo tempo, torna-se cada vez mais claro a severidade com que a cruz condena o mundo. Ali a humanidade assassinou o Filho de Deus, o Senhor da glória. E milhões de pessoas ainda O hostilizam.
Após cumprir a obra da redenção, o Senhor Jesus retornou ao céu. Mas deixou neste mundo os que da parte de Cristo rogam aos inimigos de Deus que se reconciliem com ele enquanto podem (2 Coríntios 5:20).
Em breve os que pertencem ao Senhor serão tirados daqui e levados para o céu a fim de estarem com ele. Então cairá a noite "quando ninguém pode trabalhar" (João 9:4), e todos os que não creram serão envolvidos pelas trevas eternas.

Michelle Obama destaca importância da música gospel

Michelle Obama destaca importância da música gospelMichelle Obama destaca importância da música gospel
Nos Estados Unidos a música gospel tem raízes na história do próprio país e isso foi relembrado pela primeira dama, Michelle Obama, que citou a importância das canções religiosas em sua vida.
“A música gospel realmente tem desempenhado um papel muito importante na história do nosso país”, disse ela durante um grupo de estudantes e músicos que visitaram a Casa Branca.
Michelle citou os cânticos entoados por escravos e que ao longo da história passaram a ser usado pelos movimentos de direitos civis. “A partir de estilos como o ‘spirituals’, cantados por escravos, os hinos que se tornaram a trilha sonora do movimento pelos direitos civis, e os hinos que milhões de americanos cantam todos os dias nas igrejas em todo o país”.
Mas além de ter ligação com a história dos Estados Unidos, a música cristã tem sua importância na vida da primeira dama americana. “A música gospel é o que alimenta o meu amor pela música em geral”, disse.
Michelle Obama disse que entende que ao ouvir uma canção gospel o coração bate diferente e que muitas vezes a música traz esperança e força para que enfrenta momentos difíceis.
“É o que ajuda a nos conectarmos com Deus, com o poder superior e para muitos, em tempos difíceis, quando você luta a música gospel é como um raio de esperança que dá força”, concluiu.

Doações para manutenção

Banco Bradesco
Ag. 1804-0 c/c 00585785

Banco Bradesco
Ag.1804-0 conta poupança 1008973-5