terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Pérolas Diárias



28 de Fevereiro

"...Porque vais à casa paterna." (Eclesiastes 12.5)
Todos nós, cristãos, seguimos em direção a um alvo que é o próprio Senhor. O que significa ir ao encontro do Senhor? Significa progressiva santificação, e isso não quer dizer outra coisa do que ser cada vez mais orientado exclusiva e concretamente pela pessoa de Jesus Cristo. Nesse sentido, Paulo é para nós um exemplo brilhante, pois seguia em direção a esse alvo. Mas, ao mesmo tempo, ele era tão unido a Jesus que ambos eram praticamente inseparáveis. Por isso, Paulo tinha condições de afirmar: "...para mim o viver é Cristo." Em outro texto, ele testifica: "Estou crucificado com Cristo."Nisso residia seu extraordinário poder. Ele de fato era um com Cristo, indo ao Seu encontro. O progresso da santificação não pode ser separado desse seguir em direção ao encontro do Senhor.
A trágica tensão em que vivem muitos crentes consiste justamente no fato de quererem separar esses dois fatores que são inseparáveis. Porém, quem procede dessa maneira se torna vítima de um terrível engano. Você segue ao encontro do Senhor com o passar do tempo quer queira quer não, pois você vai ficando cada vez mais velho e mais próximo da morte, e interiormente você fica para trás. Examine-se até que ponto você tenta separar ou consegue juntar as duas coisas: chegar mais perto do fim da vida e ao mesmo tempo chegar mais perto de Jesus a cada dia que passa!

Cinco recompensas pela generosidade

Versículo do dia: Compartilhai as necessidades dos santos; praticai a hospitalidade. (Romanos 12.13)
Quais são as recompensas se nós confiamos nas promessas de Deus, damos generosamente e abrimos nossos lares uns aos outros e aos necessitados?
  1. O sofrimento dos santos será aliviado ou pelo menos diminuído. Isso é o que este versículo quer dizer quando afirma: “Compartilhai as necessidades dos santos”. Nós levantamos um fardo, aliviamos o estresse e damos esperança. E isso é uma recompensa!
  2. A glória de Deus é demonstrada. Mateus 5.16: “Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus”. Casas generosas e receptivas manifestam a glória, bondade e excelência de Deus em sua vida. A razão pela qual Deus nos dá dinheiro e lares é para que, pela maneira como os usamos, as pessoas possam ver que eles não são o nosso Deus, mas que Deus é o nosso Deus e tesouro.
  3. Mais ações de graças são dadas a Deus. 2 Coríntios 9.12: “O ministério dessa assistência não apenas supre a necessidade dos santos, mas também redunda em muitas graças a Deus”. Deus nos deu dinheiro e casas não apenas para que sejamos agradecidos, mas para que por meio de nossa generosidade e hospitalidade muitas pessoas sejam gratas a Deus.
  4. Nosso amor por Deus e seu amor por nós é confirmado. 1 João 3.17: “Ora, aquele que possuir recursos deste mundo, e vir a seu irmão padecer necessidade, e fechar-lhe o seu coração, como pode permanecer nele o amor de Deus?”. Em outras palavras, quando damos generosamente e abrimos nossas casas, o amor de Deus é confirmado em nossas vidas. Nós somos verdadeiros. Nós não somos falsos cristãos.
  5. Finalmente, depositamos um tesouro no céu. Lucas 12.33-34: “Vendei os vossos bens e dai esmola; fazei para vós outros bolsas que não desgastem, tesouro inextinguível nos céus… porque, onde está o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração”.
As casas generosas e receptivas estão próximas do centro da vida em Cristo. As razões pelas quais não abrimos nossos talões de cheques e nossos lares tão frequentemente como deveríamos estão enraizadas na escravidão do medo e da ganância. O remédio é o prazer da presença de Cristo e a certeza de sua promessa: “E o meu Deus, segundo a sua riqueza em glória, há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades” (Filipenses 4.19).
Nossa recompensa é a demonstração da glória de Deus, o bem dos outros e a alegria de entesourar em Cristo para sempre. Portanto, exorto-lhes: “Compartilhai as necessidades dos santos; praticai a hospitalidade”.
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 29 de Fevereiro – Cinco recompensas pela generosidade. © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Pérolas Diárias



27 de Fevereiro

"Bendito o homem que confia no Senhor, e cuja esperança é o Senhor." (Jeremias 17.7)
Amém! A palavra "amém" significa "assim seja". O amém confirma solenemente aquilo que acabou de ser falado. Jesus é o grande confirmador; inalterável, imutável, pois todas as promessas têm o sim e o amém nEle. O ser humano está cheio de enganos e dúvidas. Cada coisa em nossa vida que for dúbia tem a ver com a índole do anticristo, que apresentará a ambigüidade no mais alto grau: ele aparentará ser o Cristo, mas não será o Senhor Jesus Cristo.
Mas o Senhor ressurreto é o sim e o amém! Ele é o amém graças ao merecimento de Seu sangue precioso. Ele é o amém em Sua justiça. E esta vestidura santa e gloriosa do amém começa a brilhar cada vez mais claramente neste mundo em deterioração. Ele é o amém em cada situação. Ele é o noivo da Igreja, de quem nunca mais se separará. Ele é o amigo que ama você muito mais do que um irmão consegue fazê-lo. Ele é seu pastor que está com você no vale da morte. Ele é seu ajudador e seu Salvador, sua rocha e seu castelo, sua confiança, sua alegria, seu tudo, seu sim e seu amém em todas as coisas. Oh, se eu pudesse escrever com letras douradas em seu coração: só Jesus é sua confiança, o amém divino em sua alma!

Efeitos radicais da ressurreição

Versículo do dia: Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens. (1 Coríntios 15.19)
Paulo conclui a partir dos seus perigos a toda hora, sua morte diária e sua luta com feras que a vida que ele escolheu ao seguir a Jesus é tola e infeliz se ele não ressuscitar dentre os mortos.
Se a morte fosse o fim de tudo, ele diz: “comamos e bebamos, que amanhã morreremos” (1 Coríntios 15.32). Isso não significa: Tornemo-nos todos glutões e bêbados. Eles são infelizes ​​também — com ou sem a ressurreição. Paulo quer dizer: Se não há ressurreição, o que faz sentido é a moderação para maximizar os prazeres terrenos.
Porém, não é isso o que Paulo escolhe. Ele escolhe o sofrimento, porque escolhe a obediência. Na sua conversão, quando Ananias veio a ele com as palavras do Senhor Jesus: “Eu lhe mostrarei quanto lhe importa sofrer pelo meu nome” (Atos 9.16), Paulo aceitou isso como parte do seu chamado.
Como Paulo poderia fazer isso? Qual era a fonte dessa obediência radical? A resposta é dada em 1 Coríntios 15.20: “Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem”. Em outras palavras, Cristo ressuscitou e eu ressuscitarei com ele. Portanto, nenhum sofrimento por Jesus é vão (1 Coríntios 15.58).
A esperança da ressurreição mudou radicalmente a forma como Paulo viveu. Isso o libertou do materialismo e do consumismo. Isso lhe deu o poder de viver sem coisas que muitas pessoas sentem que precisam ter nessa vida. Por exemplo, embora tivesse o direito de se casar (1 Coríntios 9.5), ele renunciou a esse prazer porque foi chamado a suportar muito sofrimento.
Essa é a maneira como Jesus disse que a esperança da ressurreição deve mudar nosso comportamento. Por exemplo, ele nos disse para convidar para nossas casas pessoas que não podem nos retribuir nessa vida. Como somos motivados a fazer isso? “Tua recompensa, porém, tu a receberás na ressurreição dos justos” (Lucas 14.14).
Esse é um apelo radical para que examinemos nossa vida presente para ver se ela é moldada pela esperança da ressurreição. Nós tomamos decisões com base no ganho nesse mundo ou no mundo porvir? Arriscamo-nos pelo amor que só pode ser tido como sábio se houver uma ressurreição?
Que Deus nos ajude a nos dedicarmos novamente, por toda a vida, de modo que a ressurreição tenha seus efeitos radicais.
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 27 de Fevereiro – Efeitos radicais da ressurreição. © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Pérolas Diárias



26 de Fevereiro

"Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus." (Filipenses 2.5)
O serviço para Deus, o domínio de Jesus Cristo em nossa vida abriga em si o elemento da plenitude do Espírito. Em Hebreus 9, lemos que o Senhor Jesus Cristo se sacrificou a Deus pelo Espírito eterno e não por meio de algo como sentimentalismo emocional. Por isso, Paulo também diz de maneira bem clara: "Porque nós é que somos a circuncisão, nós que adoramos a Deus no Espírito." Quão poucos crentes aprenderam a servir ao Senhor em espírito! A maioria ainda age emocionalmente. Filhos de Deus sentimentais nunca serão nem permanecerão íntegros interiormente.
Um outro elemento do senhorio de Jesus Cristo em sua vida é a sublime tranqüilidade interior. Só aquele que serve ao Deus vivo entrou no descanso interior, pois Jesus Cristo reina nele. É o descanso do Senhor que diz: "Vinde a mim... eu vos aliviarei." Essa é a tranqüilidade experimentada por alguém como Paulo que testemunha em meio a um terrível temporal, quando o navio em que ele se encontrava ameaçava afundar: "Porque esta mesma noite o anjo de Deus, de quem sou e a quem sirvo, esteve comigo." Servir a Jesus significa ter a mesma motivação que Ele teve. Tal pessoa é honrada pelo Pai na mesma medida que o próprio Senhor Jesus foi honrado. Isso Ele nos prometeu: "E, se alguém me servir, o Pai o honrará."

Quando Deus se torna 100% por nós

Versículo do dia: …entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais. (Efésios 2.3)
Toda a ira de Deus e toda a condenação que nós merecemos foram derramadas sobre Jesus. Todas as exigências da perfeita justiça de Deus foram cumpridas por Cristo. No momento em que vemos esse Tesouro (pela graça!) e o recebemos dessa forma, sua morte é contada como a nossa morte, sua condenação como nossa condenação, sua justiça como nossa justiça, e Deus se torna 100% irrevogável e eternamente favorável a nós naquele instante.
A questão que isso deixa sem resposta é: “A Bíblia não ensina que na eternidade Deus estabeleceu o seu favor sobre nós na eleição?”.
Em outras palavras, pessoas pensativas questionam: “Será que Deus se tornou 100% por nós somente no momento da fé, da união com Cristo e da justificação? Ele não se tornou 100% por nós no ato da eleição antes da fundação do mundo?”. Paulo diz em Efésios 1.4-5: “Assim como [Deus] nos escolheu, nele [em Jesus], antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo”.
Então, Deus não é 100% pelos eleitos desde a eternidade? A resposta depende do significado de “100%”.
Com o termo “100%” estou tentando assegurar uma verdade bíblica encontrada em várias passagens da Escritura. Por exemplo, em Efésios 2.3, Paulo diz que os cristãos eram “filhos da ira” antes de serem vivificados em Cristo Jesus: “Todos nós andamos outrora [entre os filhos da desobediência], segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais”.
Paulo está dizendo que antes da regeneração a ira de Deus estava sobre nós. Os eleitos estavam sob ira. Isso mudou quando Deus nos vivificou em Cristo Jesus e nos despertou para vermos a verdade e beleza de Cristo, para que o recebêssemos como aquele que morreu por nós e como aquele cuja justiça é imputada como nossa, devido à nossa união com Jesus. Antes que isso ocorresse conosco, estávamos sob a ira de Deus. Então, por causa da fé em Cristo e da união com ele, toda a ira de Deus foi removida e Deus então se tornou, nesse sentido, 100% por nós.
Portanto, alegre-se na verdade de que Deus o preservará. Ele o conduzirá até o fim porque, em Cristo, ele é 100% por você. E, portanto, perseverar até o fim não faz Deus ser 100% por você. Esse é o efeito do fato de que ele já é 100% por você.
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 26 de Fevereiro – Quando Deus se torna 100% por nós. © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.

sábado, 25 de fevereiro de 2017

25 de Fevereiro

"...Muito mais o sangue de Cristo que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas para servirmos ao Deus vivo!" (Hebreus 9.14)
Qual foi o propósito de Jesus ao servir a Deus? Ele derramou Sua vida para que nós fôssemos capacitados para o ministério cristão. Em outras palavras, o ilimitado poder de vitória do servir que Jesus praticou é a fonte de poder para o meu e para o seu ministério, para o nosso serviço cristão. Em Jesus Cristo temos tudo. Por isso, como é tolo entregar-se à anarquia e submeter-se ao domínio do inimigo! Observemos o caráter do serviço de Jesus: Ele traz embutido o elemento da total espontaneidade. Com Deus não há serviço forçado, serviço por obrigação. O Senhor Jesus diz de si mesmo: "...eu dou a minha vida para a reassumir. Ninguém a tira de mim; pelo contrário, eu espontaneamente a dou." Já no tempo de Josué apareceu essa espontaneidade quando ele disse no fim de sua vida: "Eu e minha casa serviremos ao Senhor." De sua parte é necessária somente uma decisão livre e concreta: declaro-me liberto do poder de Satanás e quero servir sob o domínio real do Senhor Jesus Cristo.

Você é muito amado

Versículo do dia: Entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais. Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, – pela graça sois salvos. (Efésios 2.3-5)
Você não gostaria de ouvir o anjo Gabriel dizer: “Você é muito amado”?
Isso aconteceu três vezes com Daniel.
  • “No princípio das tuas súplicas, saiu a ordem, e eu vim, para to declarar, porque és mui amado” (Daniel 9.23).
  • “Ele me disse: Daniel, homem muito amado, está atento às palavras que te vou dizer; levanta-te sobre os pés, porque eis que te sou enviado” (Daniel 10.11).
  • “E disse: Não temas, homem muito amado! Paz seja contigo!” (Daniel 10.19).
Seja encorajado. Se você tem fé em Jesus, o próprio Deus diz a você: “Você é muito amado”.
Nós “éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais. Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo… Porque pela graça sois salvos, mediante a fé” (Efésios 2.3-5, 8).
Isso é melhor do que a voz de um anjo. Se você está “vivo”, você é muito amado.
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 25 de Fevereiro – Você é muito amado. © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Pérolas Diárias



24 de Fevereiro

"...E todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus; pelo contrário, este é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que vem, e presentemente já está no mundo." (1 João 4.3)
Senhorio de Cristo ou anarquia! Assim como Satanás disse no princípio: "...serei semelhante ao Altíssimo", do mesmo modo, nesse tempo do fim, ele tentará ser igual a Cristo e tomar o Seu lugar.
O senhorio do Senhor Jesus em sua vida pessoal capacita você a cumprir a verdadeira finalidade da sua conversão, que é servir ao Deus vivo. Assim também podemos formular de outra maneira a alternativa – senhorio de Cristo ou anarquia: servir ou dominar. O que, na verdade, significa servir? Nada menos do que a entrega de si mesmo em favor de outra pessoa! O que significa dominar? Auto-afirmação às custas de outros! O aparente dominador foi vencido pelo servo! Isso o próprio Senhor nos disse: "...e quem quiser ser o primeiro entre vós, será vosso servo." Todo e qualquer orgulho e tentativa de auto-afirmação é um rebaixamento da sua personalidade. E, servir traz poder em si? Sim, pois servir é exercitar o domínio vitorioso de Jesus nas nossas vidas! Vemos isso na cruz do Calvário. O Servo venceu o dominador cruel por meio da entrega da Sua própria vida.

Deus abre o coração

Versículo do dia: Certa mulher, chamada Lídia, da cidade de Tiatira, vendedora de púrpura, temente a Deus, nos escutava; o Senhor lhe abriu o coração para atender às coisas que Paulo dizia. (Atos 16.14)
Em todos os lugares onde Paulo pregou, alguns creram e outros não. Como devemos entender o porquê de alguns dos mortos em delitos e pecados (Efésios 2.1, 5) crerem e outros não?
O motivo pelo qual alguns não creram é que eles “rejeitaram” a palavra de Deus (Atos 13.46), porque a mensagem do evangelho lhes era “loucura” e não puderam entendê-la (1 Coríntios 2.14). A mente carnal “é inimizade contra Deus, pois não está sujeita à lei de Deus, nem mesmo pode estar” (Romanos 8.7).
Todo aquele que ouve e rejeita o evangelho “aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem arguidas as suas obras” (João 3.20). Eles permanecem “obscurecidos de entendimento… por causa da ignorância em que vivem, pela dureza do seu coração” (Efésios 4.18). Essa é uma ignorância culpada. A verdade está disponível. Mas eles, pela sua impiedade, “detêm a verdade pela injustiça” (Romanos 1.18).
Mas, por que alguns creem, já que todos estamos nessa condição de rebelde dureza de coração, mortos em nossos delitos? O livro de Atos dá a resposta em pelo menos três formas diferentes. Uma delas é que eles são destinados a crer. Quando Paulo pregou em Antioquia da Pisídia, os gentios se alegraram e “creram todos os que haviam sido destinados para a vida eterna” (Atos 13.48).
Outra maneira de responder por que alguns creem é que Deus concedeu arrependimento. Quando os santos de Jerusalém ouviram que os gentios estavam respondendo ao evangelho e não apenas os judeus, disseram: “também aos gentios foi por Deus concedido o arrependimento para vida” (Atos 11.18).
Porém, a resposta mais clara em Atos à pergunta do porquê uma pessoa crê no evangelho é que Deus abre o coração. Lídia é o melhor exemplo. Por que ela creu? Atos 16.14 diz: “o Senhor lhe abriu o coração para atender às coisas que Paulo dizia”.
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 24 de Fevereiro – Deus abre o coração © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Pérolas Diárias



23 de Fevereiro

"Quando somos injuriados, bendizemos; quando perseguidos, suportamos; quando caluniados, procuramos conciliação..." (1 Coríntios 4.12-13)
Quando você é injustiçado e seu bom nome é manchado, você, em Jesus Cristo, tem a oportunidade de se tornar manso e permanecer manso e humilde sem falar uma única palavra. Jesus quer muito guardar você em perfeita paz! Confie nEle ao invés de brigar, de discutir e argumentar. Não é necessária nenhuma palavra de sua parte. Mas o inverso é igualmente verdade: Jesus ordena: "Não julgueis." Isso quer dizer que não devemos julgar ou condenar ninguém que não tenhamos ouvido pessoalmente. Uma palavra áspera, uma calúnia indireta ou até um olhar ou mesmo um mau pensamento prejudica a deliciosa tranqüilidade da alma. "Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus", diz o Senhor. Outra passagem bíblica adverte: "No muito falar não falta transgressão." Entregue a Ele o domínio e você verá que a paz de Deus que excede a todo entendimento guardará o seu coração e sua alma em Cristo Jesus. Enquanto o seu coração estiver calmo, você será abençoado e fortalecido por Deus. E quando a velha e conhecida agitação e o nervosismo quiserem se manifestar em você devido às muitas coisas negativas e mentirosas que disseram contra você e por toda injustiça que foi cometida contra você, lembre-se da palavra prática: "O que a mim me concerne o Senhor levará a bom termo."

Pérolas Diárias



23 de Fevereiro

"Quando somos injuriados, bendizemos; quando perseguidos, suportamos; quando caluniados, procuramos conciliação..." (1 Coríntios 4.12-13)
Quando você é injustiçado e seu bom nome é manchado, você, em Jesus Cristo, tem a oportunidade de se tornar manso e permanecer manso e humilde sem falar uma única palavra. Jesus quer muito guardar você em perfeita paz! Confie nEle ao invés de brigar, de discutir e argumentar. Não é necessária nenhuma palavra de sua parte. Mas o inverso é igualmente verdade: Jesus ordena: "Não julgueis." Isso quer dizer que não devemos julgar ou condenar ninguém que não tenhamos ouvido pessoalmente. Uma palavra áspera, uma calúnia indireta ou até um olhar ou mesmo um mau pensamento prejudica a deliciosa tranqüilidade da alma. "Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus", diz o Senhor. Outra passagem bíblica adverte: "No muito falar não falta transgressão." Entregue a Ele o domínio e você verá que a paz de Deus que excede a todo entendimento guardará o seu coração e sua alma em Cristo Jesus. Enquanto o seu coração estiver calmo, você será abençoado e fortalecido por Deus. E quando a velha e conhecida agitação e o nervosismo quiserem se manifestar em você devido às muitas coisas negativas e mentirosas que disseram contra você e por toda injustiça que foi cometida contra você, lembre-se da palavra prática: "O que a mim me concerne o Senhor levará a bom termo."

Pérolas Diárias



23 de Fevereiro

"Quando somos injuriados, bendizemos; quando perseguidos, suportamos; quando caluniados, procuramos conciliação..." (1 Coríntios 4.12-13)
Quando você é injustiçado e seu bom nome é manchado, você, em Jesus Cristo, tem a oportunidade de se tornar manso e permanecer manso e humilde sem falar uma única palavra. Jesus quer muito guardar você em perfeita paz! Confie nEle ao invés de brigar, de discutir e argumentar. Não é necessária nenhuma palavra de sua parte. Mas o inverso é igualmente verdade: Jesus ordena: "Não julgueis." Isso quer dizer que não devemos julgar ou condenar ninguém que não tenhamos ouvido pessoalmente. Uma palavra áspera, uma calúnia indireta ou até um olhar ou mesmo um mau pensamento prejudica a deliciosa tranqüilidade da alma. "Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus", diz o Senhor. Outra passagem bíblica adverte: "No muito falar não falta transgressão." Entregue a Ele o domínio e você verá que a paz de Deus que excede a todo entendimento guardará o seu coração e sua alma em Cristo Jesus. Enquanto o seu coração estiver calmo, você será abençoado e fortalecido por Deus. E quando a velha e conhecida agitação e o nervosismo quiserem se manifestar em você devido às muitas coisas negativas e mentirosas que disseram contra você e por toda injustiça que foi cometida contra você, lembre-se da palavra prática: "O que a mim me concerne o Senhor levará a bom termo."

Pérolas Diárias



23 de Fevereiro

"Quando somos injuriados, bendizemos; quando perseguidos, suportamos; quando caluniados, procuramos conciliação..." (1 Coríntios 4.12-13)
Quando você é injustiçado e seu bom nome é manchado, você, em Jesus Cristo, tem a oportunidade de se tornar manso e permanecer manso e humilde sem falar uma única palavra. Jesus quer muito guardar você em perfeita paz! Confie nEle ao invés de brigar, de discutir e argumentar. Não é necessária nenhuma palavra de sua parte. Mas o inverso é igualmente verdade: Jesus ordena: "Não julgueis." Isso quer dizer que não devemos julgar ou condenar ninguém que não tenhamos ouvido pessoalmente. Uma palavra áspera, uma calúnia indireta ou até um olhar ou mesmo um mau pensamento prejudica a deliciosa tranqüilidade da alma. "Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus", diz o Senhor. Outra passagem bíblica adverte: "No muito falar não falta transgressão." Entregue a Ele o domínio e você verá que a paz de Deus que excede a todo entendimento guardará o seu coração e sua alma em Cristo Jesus. Enquanto o seu coração estiver calmo, você será abençoado e fortalecido por Deus. E quando a velha e conhecida agitação e o nervosismo quiserem se manifestar em você devido às muitas coisas negativas e mentirosas que disseram contra você e por toda injustiça que foi cometida contra você, lembre-se da palavra prática: "O que a mim me concerne o Senhor levará a bom termo."

O momento do perigo incomum

Versículo do dia: Se, pelo nome de Cristo, sois injuriados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória e de Deus. (1 Pedro 4.14)
Atualmente, muitos cristãos no mundo desconhecem o perigo que ameaça a vida do crente em Cristo. Nós nos acostumamos a ser livres de tal perseguição. Isso parece ser como as coisas devem ocorrer.
Assim, nossa primeira reação ao perigo de que as coisas sejam de outra forma é muitas vezes a ira. Porém, essa ira pode ser um sinal de que perdemos nosso senso de sermos estrangeiros e forasteiros (“Amados, exorto-vos, como peregrinos e forasteiros que sois…” – 1 Pedro 2.11).
Talvez tenhamos nos acomodado demais nesse mundo. Não sentimos saudades de Cristo como Paulo: “Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo” (Filipenses 3.20).
Muitos de nós precisam da lembrança: “Amados, não estranheis o fogo ardente que surge no meio de vós, destinado a provar-vos, como se alguma coisa extraordinária vos estivesse acontecendo” (1 Pedro 4.12).
Alguma vez você já se perguntou como agirá no momento da última tribulação? O homem armado mira em você e pergunta: “Você é um cristão?”. Aqui está uma palavra forte para lhe dar esperança de que pode agir melhor do que imagina.
“Se, pelo nome de Cristo, sois injuriados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória e de Deus” (1 Pedro 4.14). Esse encorajamento de Pedro diz que no momento do perigo incomum (seja insulto ou morte) haverá “o Espírito da glória e de Deus repousando sobre nós”. Não significa isso que Deus concede ajuda especial na hora da crise para aqueles que sofrem por serem cristãos?
Não intenciono dizer que Deus esteja ausente em nossos outros sofrimentos. Eu apenas quero dizer que Pedro saiu de seu curso para dizer àqueles que sofrem “pelo nome de Cristo” que experimentarão um especial “repouso” sobre eles do “Espírito da glória e de Deus”.
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 23 de Fevereiro – O momento do perigo incomum. © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.
Promova a Alegria Inabalável em seu blog/site. Clique aqui e pegue o código.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

22 de Fevereiro

"Jesus, porém, nada lhe respondia." (Lucas 23.9)
Curioso, estranho e impressionante é esse silêncio do Senhor! Por que Ele nada respondeu às falsas acusações? Há somente uma resposta para isso. Jesus estava convicto: o Pai sabe da minha situação! Também Moisés, quando outrora foi atacado duramente pelos próprios irmãos, se calou e não abriu sua boca. Mas o Senhor o justificou.
Nós também somos chamados a seguir o exemplo de Jesus em situação semelhante, e isso significa não responder à ofensa com palavras ofensivas, mas ficar calados. Quanta destruição pode resultar por meio de uma única palavra! Por isso nunca combata a carne com a carne! Você não precisa se preocupar com a sua reputação ou com o julgamento que é feito de seu caráter, pois o Senhor conhece e julga você. Você causa um prejuízo enorme a si mesmo quando tenta aumentar ou salvar o prestígio próprio. Por isso, cale-se! Uma resposta dura abafa o falar suave do Espírito Santo. Você é incompreendido, menosprezado? Suas boas intenções são mal interpretadas? Isso não faz mal. Deus promete a você em Sua palavra: "Toda arma forjada contra ti, não prosperará; toda língua que ousar contra ti em juízo, tu a condenarás..."

Deleite em sua plenitude

Versículo do dia: Todos nós temos recebido da sua plenitude e graça sobre graça. (João 1.16)
Pouco antes do culto no domingo passado, o pequeno grupo de santos que orava se esforçava lutando pela fé do nosso povo e pelas igrejas das cidades e pelas nações enquanto orava. Em um dado momento, um homem orou as palavras de João 1.14, 16:
E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai… Porque todos nós temos recebido da sua plenitude e graça sobre graça.
Esse foi um daqueles momentos de epifania para mim. Deus concedeu naquele momento que a palavra “plenitude” — de sua plenitude — transmitisse uma abundância que foi extraordinária em seu efeito sobre mim. Eu senti alguma medida do que a palavra realmente indica — a plenitude de Cristo.
Eu senti um pouco da maravilha de que, sim, eu realmente tinha recebido graça sobre a graça dessa plenitude. E estava naquele momento recebendo graça sobre graça. Achei adequado que nada seria mais doce do que simplesmente sentar aos seus pés — ou ler minha Bíblia — durante toda a tarde e sentir a sua plenitude transbordar.
Por que essa plenitude teve tal impacto em mim — e por que ainda nesse momento me comove de modo incomum? Em parte, porque…
  • …Aquele de cuja plenitude sou cheio de graça é o Verbo que estava com Deus e era Deus (João 1.1-2), de modo que sua plenitude é a plenitude de Deus — uma plenitude divina, uma plenitude infinita;
  • …Esse Verbo se fez carne e assim foi um de nós e estava nos buscando com sua plenitude — é uma plenitude acessível;
  • …Quando esse Verbo apareceu em forma humana, sua glória foi vista — é uma plenitude gloriosa;
  • …Esse Verbo era o “Unigênito do Pai” (João 1.14), de modo que a plenitude divina estava sendo mediada para mim não apenas a partir de Deus, mas por meio de Deus — Deus não enviou um anjo, mas seu Filho unigênito para conceder a sua plenitude;
  • …A plenitude do Filho é uma plenitude de graça — eu não me afogarei nessa plenitude, mas serei abençoado em todos os sentidos por ela;
  • …Essa plenitude não é apenas uma plenitude de graça, mas também de verdade — eu não sou agraciado com a lisonja que ignora a verdade; essa graça está enraizada em inabalável realidade.
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 22 de Fevereiro – Deleite em sua plenitude © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.
Promova a Alegria Inabalável em seu blog/site. Clique aqui e pegue o código.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Pérolas Diárias



21 de Fevereiro

"Perguntou-lhe, pois: Como te chamas? Ele respondeu: Jacó. Então disse: Já não te chamarás Jacó, e, sim, Israel: pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens, e prevaleceste." (Gênesis 32.27-28)
Existe ainda uma terceira pessoa na Bíblia que teve seu nome mudado. Isto aconteceu numa noite misteriosa em Peniel. Este episódio é misterioso e mal podemos entendê-lo: quando Jacó estava sozinho, um homem lutou com ele. Muitas vezes, ensina-se que Jacó lutou com Deus, mas, em primeiro lugar, Deus lutou com Jacó, até o clarear do dia. Está escrito claramente: "...lutava com ele um homem." Durante quanto tempo? Até que o Senhor quebrou sua força humana, pois Jacó não queria se entregar. Somente então Jacó começou a lutar. Ele se agarrou firmemente no Senhor e exclamou: "Não te deixarei ir, se me não abençoares." Devemos levar em conta que o Senhor de fato o abençoou, mas só depois da renovação do nome, só depois que Jacó confessou o que era em seu íntimo. Jacó chorou, lutou com persistência e exclamou: "Não te deixarei ir, se me não abençoares." Ele quer que o Senhor o abençoe logo. Então o Senhor lhe pergunta: "Como te chamas? Ele respondeu: Jacó." Essa foi a sua confissão de pecado, pois Jacó significa "embusteiro, enganador". Depois de ele confessar isso, o Senhor diz: "Já não te chamarás Jacó, e, sim, Israel."

Nosso servo Jesus

Versículo do dia: O próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos. (Marcos 10.45)
Jesus não somente era o servo do seu povo enquanto vivia na terra, mas também será nosso servo quando ele voltar. “Em verdade vos afirmo que ele há de cingir-se, dar-lhes lugar à mesa e, aproximando-se, os servirá” (Lucas 12.37).
Não apenas isso, ele é nosso servo agora. “De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei. Assim, afirmemos confiantemente: O Senhor é o meu auxílio, não temerei; que me poderá fazer o homem?” (Hebreus 13.5-6).
Deprecia o Cristo ressurreto dizer que ele foi, é e será para sempre o servo do seu povo? Poderia depreciar se “servo” significasse “aquele que cumpre ordens”, ou se pensássemos sermos senhores dele. Sim, isso o desonraria. Porém, não o desonra dizer que somos fracos e necessitados.
Não o desonra dizer que ele é o único que pode nos servir com aquilo que mais precisamos.
Não o desonra dizer que ele é uma fonte inesgotável de amor, e que quanto mais ele nos ajuda e quanto mais dependemos do seu serviço, mais maravilhosos os seus auxílios se evidenciam. Portanto, podemos dizer com confiança: “Jesus Cristo vive para servir!”.
Ele vive para salvar. Ele vive para dar. E ele se agrada por isso ser assim.
Ele não está sobrecarregado com as suas necessidades. Ele prospera em carregar o fardo. Ele ama trabalhar “para aquele que nele espera” (Isaías 64.4). Ele se agrada “dos… que esperam na sua misericórdia” (Salmo 147.11). Seus olhos “passam por toda a terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo coração é totalmente dele” (2 Crônicas 16.9).
Jesus Cristo é exuberante em serviço onipotente por causa de todos os que confiam nele.
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 21 de Fevereiro – Nosso servo Jesus. © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.
Promova a Alegria Inabalável em seu blog/site. Clique aqui e pegue o código.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Pérolas Diárias



20 de Fevereiro

"Disse também Deus a Abraão: A Sarai, tua mulher, já não lhe chamarás Sarai, porém Sara. Abençoá-la-ei, e dela te darei um filho: sim, eu a abençoarei, e ela se tornará nações; reis de povos procederão dela." (Gênesis 17.15-16)
Depois que o Senhor deu o novo nome a Abraão, no mesmo capítulo da Bíblia vemos que Ele se ocupa com Sarai. Em outras palavras: "Abraão, sua mulher faz parte da bênção!" Seu nome Sarai já tinha um significado bonito: "Minha princesa". Sara significa "mãe fecunda de povos". A maravilha é que Abraão e Sara se contentaram unicamente com a Palavra de Deus, sem ver, sem provar, sem sentir e sem experimentar. Essa é a fé que precisamos em nossos dias. Não vemos muito. Sua Palavra, Sua promessa deve ser suficiente para nós. "Sim, Senhor, eu creio!" Porque Abraão e Sara creram, o Senhor os renovou, e eles puderam ser pai e mãe de muitos povos. O Senhor também quer fazer isso em sua vida! Mas o que você vai fazer com o bonito nome de "cristão" se você não quiser carregar a cruz de Cristo? Você deve crer na Palavra e levar a sério o discipulado, e então será fecundo e sua vida será multiplicada por milhares.

Maravilhado com a ressurreição

Versículo do dia: Amados, esta é, agora, a segunda epístola que vos escrevo; em ambas, procuro despertar com lembranças a vossa mente esclarecida. (2 Pedro 3.1)
À medida que a Páscoa se aproxima, vamos despertar nossa gratidão, alegria, admiração e maravilha pelo que a ressurreição de Jesus significa para nós. A maldição de nossa natureza caída é que aquilo que uma vez nos emocionou torna-se comum. A realidade não mudou. Nós mudamos.
É por isso que a Bíblia existe. Pedro diz que suas duas cartas são escritas para “estimular” ou “despertar” por meio de “lembranças”.
Então, despertemos nossas mentes esclarecidas por meio de lembranças.
O que Deus fez ao ressuscitar Jesus dentre os mortos? Aqui estão algumas respostas bíblicas.
Por causa da ressurreição de Jesus, nós nascemos de novo para uma viva esperança.
1 Pedro 1.3: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos”.
Por causa da ressurreição de Jesus, ele agora tem a glória para a qual nós fomos criados. Nosso destino final é vê-lo como ele é.
1 Pedro 1.21: “Deus… o ressuscitou dentre os mortos e lhe deu glória”.
João 17.5, 24: “E, agora, glorifica-me, ó Pai, contigo mesmo, com a glória que eu tive junto de ti, antes que houvesse mundo… Pai, a minha vontade é que onde eu estou, estejam também comigo os que me deste, para que vejam a minha glória que me conferiste, porque me amaste antes da fundação do mundo”.
Que o Senhor Jesus ressurreto desperte a sua mente esclarecida para novas profundezas de adoração, fidelidade e alegria.
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 20 de Fevereiro – Maravilhado com a ressurreição. © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.
Promova a Alegria Inabalável em seu blog/site. Clique aqui e pegue o código.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Pérolas Diárias



19 de Fevereiro

"...E serás chamado por um nome novo, que a boca do Senhor designará." (Isaías 62.2)
Aquele que usa o nome do Senhor com o coração purificado e cheio de fé experimentará que desta maneira Satanás é enxotado como um raio. Nenhum poder do inimigo pode resistir diante desse nome precioso. Abrão esteve muito tempo sozinho com sua mulher Sarai. Eles creram na Palavra de Deus. Deus lhes havia dado a promessa e queria fazer deles uma grande nação. Eles esperaram décadas e continuaram obedientes confiando no seu Deus. Então chegou o momento em que Deus pôde renová-los. Ele falou a Abrão: "Abrão já não será o teu nome, e, sim, Abraão". Em outras palavras: "Agora você ainda é um só, mas eu o multiplicarei por milhões". Quando a Palavra de Deus penetra em nós e quando obedecemos pela fé ignorando todas as evidências em contrário, assim como fez Abraão, agindo como o Senhor deseja: "...anda na minha presença, e sê perfeito", então o Senhor nos transformará e não mais estaremos sozinhos. Mas o maravilhoso é que Deus não toma só a Abrão e faz dele um Abraão, Ele transformou também a Sarai, dando-lhe o nome de Sara. Para Deus o matrimônio é um todo. A estrutura que Deus deseja para o matrimônio é que homem e mulher andem juntos, e os dois andem com o Senhor!

Doações para manutenção

Banco Bradesco
Ag. 1804-0 c/c 00585785

Banco Bradesco
Ag.1804-0 conta poupança 1008973-5