segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Todo Dia Com Paz

Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.
Inclinai os ouvidos e vinde a mim; ouvi, e a vossa alma viverá
(Isaías 55:6, 3).

UM ERRO COM CONSEQUÊNCIAS

Apesar de que à Carmen, uma jovem senhora, parecia não faltar nada, ela estava desesperadamente infeliz. Ela estava ciente de que era uma pecadora e não podia estar diante de Deus com a sua culpa, se ela de repente morresse. Então ela viveu no medo da morte por algum tempo. Um amigo aconselhou-a a assistir um concerto de um músico famoso, de modo a pôr fim a seus pensamentos sombrios. Embora ela não comungava muito da idéia, ela foi persuadida a ir.
Ela não havia anotado a hora correta para o começo do show; assim, ao chegar, em vez de uma multidão, ela viu apenas algumas pessoas, a quem ela seguiu até uma pequena sala. Ela sentou-se, mas tudo parecia estranho: a aparência sóbria do salão, o comportamento dos presentes. Ninguém pediu para ver o ingresso. Então, alguém começou um hino. Carmen percebeu que ela havia cometido um erro e decidiu sair despercebida uma vez que o hino terminasse. Ela estava prestes a fazer isso quando o seu guarda-chuva caiu na sua pressa. Todo mundo se virou e olhou para ela: então ela sentou-se de novo rapidamente.
Em seguida, todos se levantaram para orar. Carmen escutou. Ela nunca havia ouvido algo assim antes. O evangelista pediu a Deus que abençoasse a porção da Escritura que iria ser lida. Agora Carmen simplesmente não conseguia se mover: a mensagem do evangelho da graça de Deus respondeu às mesmas perguntas que a incomodaram por tanto tempo; esta encheu o seu coração de uma nova esperança que ela tanto precisava.

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do Dia: “Com benignidade te atraí.” (Jeremias 31.3)
A lei e o juízo são utilizados para nos trazerem a Cristo, mas a vitória final é conseguida pela benignidade. O filho pródigo se dispôs e retornou à casa de seu pai motivado por um sentimento de necessidade. O pai o viu à grande distância e correu ao seu encontro. Os últimos passos do pródigo em direção à casa do pai foram dados com o calor do beijo ainda em seu rosto e com a música de boas-vindas ainda ressoando aos seus ouvidos.
O Senhor veio à porta e bateu com a mão de ferro da Lei; a porta balançou e tremeu em suas dobradiças. O homem amontoou contra a porta todos os móveis que pôde achar, pois dizia: “Não admitirei o Homem”. O Senhor foi embora, mas retornou e, com sua mão suave, marcada pelos cravos, bateu novamente, com gentileza e ternura. Desta vez, a porta não balançou e, embora pareça estranho, se abriu. No interior, prostrado de joelhos, o anfitrião, anteriormente indisposto, foi encontrado regozijando-se por receber seu convidado. “Entre, entre. Você bateu de tal modo, que meu coração foi atraído. Não posso nem pensar sobre a sua mão ferida marcando de sangue a minha porta e você indo embora, sem hospedagem. Eu me rendo, eu me rendo. Você conquistou o meu coração”. Deste modo, em todos os casos, a benignidade se mostra vencedora. Aquilo que Moisés com as tábuas de pedra nunca pôde realizar, o Senhor Jesus o faz com suas mãos traspassadas. Assim é a doutrina do chamado irresistível. A minha experiência é esta? Eu posso dizer: “Ele me atraiu, e eu O segui, alegre por atender à voz divina”. Assim, que Ele continue a me atrair até ao dia em que me assente para as Bodas do Cordeiro.
A lei e terrores apenas o fardo concedem, Por todo o tempo em que se sucedem.
Mas, comprado por sangue, um senso de perdão Dissolverá o mais duro coração!

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Todo Dia Com Paz

E, clamando Jesus com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isso, expirou
(Lucas 23:46).

UM LUGAR VERGONHOSO PARA MORRER? E TRIUNFAR!

Foi um lugar vergonhoso onde o Senhor Jesus sacrificou Sua vida: na cruz, entre dois criminosos. As pessoas O levaram para lá, embora Ele tenha ido voluntariamente. Mais de uma vez quiseram matá-Lo, porém, das outras vezes o Senhor Jesus escapou das mãos deles, porque não era o momento determinado para isso.
Mas agora Sua hora havia chegado. Por Sua própria vontade, Ele tomou o nosso lugar no julgamento de Deus. Ele não morreu como os criminosos que deram seu último suspiro devido aos cruéis maus-tratos dos soldados romanos. Ele recusou a bebida narcótica que Lhe ofereceram, e agora dava a Sua vida pelo Seu próprio poder. Seu brado final comprova isso. Ele bem disse: "Ninguém ma tira de mim [ou seja, Minha vida], mas eu de mim mesmo a dou" (João 10:18).
Mas essa não era a única diferença entre a Sua morte e a de outras pessoas. Além dEle, ninguém jamais foi abandonado por Deus. Somente Ele, o Puro e Santo, foi "feito pecado por nós" (2 Coríntios 5:21) nas três horas de trevas. "O castigo que nos traz a paz estava sobre ele" (Isaías 53:5). Nós não podemos entrar nos sentimentos sofridos do Salvador quando Ele clamou: "Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?" (Mateus 27:46). Ali, o Cordeiro de Deus sofreu para expiar nossos pecados. Nada foi poupado dEle em juízo até que Ele clamou: "Está consumado!".
Na cruz as justas exigências de Deus foram cumpridas. Deus, o Pai foi glorificado à perfeição. E com que preço nós fomos redimidos! Nunca nos esqueçamos disso!

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do Dia: “Dele vem a minha esperança.” (Salmos 62.5)
Usar esta linguagem é um privilégio do crente. Se ele espera alguma coisa do mundo, esta é realmente uma expectativa infeliz. Mas, se o crente espera em Deus para suprir as suas necessidades, quer sejam estas bênçãos temporais, quer sejam espirituais, sua expectativa não se tornará vã. Constantemente, o crente pode sacar do banco da fé e ter suas necessidades supridas a partir das riquezas da bondade de Deus. Meu Senhor nunca falha em honrar suas promessas. Quando trazemos suas Palavras ao trono dele, nunca as recebemos de volta sem resposta. Portanto, esperarei tão-somente junto à sua porta, porque Ele sempre a abre com mãos de misericórdia. Naquela hora, haverei de perguntar-Lhe novas coisas.
Entretanto, nós também temos necessidades referentes à vida futura. Em breve morreremos, e, então, nossa expectativa virá do Senhor. Não esperamos que, ao morrermos, Ele enviará seus anjos para nos levarem à sua presença? Quando o pulso desfalecer e o coração ofegar intensamente, algum mensageiro angelical se colocará ao nosso lado e, contemplando-nos com olhos de amor, sussurrará: “Irmão, vem para casa”. Enquanto nos aproximamos do portão celestial, esperamos ouvir o convite para entrar: “Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo” (Mateus 25.34). Esperamos harpas de ouro e coroas de glória; esperamos logo estar entre a multidão dos seres reluzentes, diante do trono. Anelamos pelo tempo em que seremos semelhantes ao nosso glorioso Senhor, “porque haveremos de vê-lo como ele é” (1 João 3.2). Assim, sendo estas as suas expectativas, ó minha alma, vive para Deus, com o desejo de glorificá-Lo, pois dele vem todo o suprimento e a graça da sua eleição, redenção e chamado que são a razão da “expectativa” da glória por vir.

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Todo Dia Com Paz

O SENHOR, teu Deus, está no meio de ti, poderoso para te salvar; ele se deleitará em ti com alegria; calar-se-á por seu amor, regozijar-se-á em ti com júbilo
(Sofonias 3:17).

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE 2 CRÔNICAS (Leia 2 Crônicas 5:1-14)

A magnífica casa está completa. No entanto, está faltando o principal objeto: a arca da Aliança. A introdução dela no "seu lugar, no santuário mais interior do templo, no Santo dos Santos, debaixo das asas dos querubins" (v. 7) atrai nossos olhos para Jesus, sentado nos lugares celestiais, exaltado pelo próprio Deus, o centro do louvor universal, enchendo os céus e a terra com Sua glória. Ele é o objeto da admiração dos anjos (o querubim: 1 Timóteo 3:16) e da adoração do Seu abençoado povo: um som, mas vários instrumentos (v. 13). Há uma só canção: uma nova canção, entoada pela multidão dos redimidos, cada um participando com sua nota individual, mas todos em perfeita harmonia.
Dos três objetos que a arca continha - o maná, a vara de Arão e as tábuas da aliança -, restavam apenas os últimos (v. 10). Durante a jornada dos israelitas no deserto, Deus lhes deu o maná e conduziu o povo a Si mesmo por meio do sacerdote. Agora a arca estava em Sião, o lugar de descanso de Deus, que cumprira Sua promessa. E Ele mesmo, baseado na nova aliança garantida pelas tábuas, descansa em Seu amor no meio do povo redimido (Sofonias 3:17).

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do Dia: “Pois disseste: O SENHOR é o meu refúgio. Fizeste do Altíssimo a tua morada.” (Salmos 91.9)
No deserto, os israelitas estavam continuamente expostos a mudança. Quando a coluna de nuvens parava, as tendas eram armadas. Mas, no dia seguinte, antes que a aurora rompesse, a arca se movia, e a coluna de nuvem e de fogo guiava o povo no caminho, através das trilhas estreitas das montanhas, subindo ladeiras, ou através da terra árida do deserto. Eles tinham pouco tempo para descansar, porque logo ouviam o grito: “Adiante; este não é o nosso lugar de descanso. Temos de prosseguir em nossa jornada até Canaã”. Eles nunca ficavam num lugar por muito tempo. Nem mesmo os oásis, com palmeiras, poderiam detê-los. Apesar disso, eles tinham uma habitação permanente em seu Deus. A coluna de nuvens do Senhor era o abrigo deles; e o resplendor de fogo, à noite, era a lareira de suas famílias.
Os israelitas tinham de seguir adiante, de um lugar para outro, mudando continuamente, nunca tendo tempo de se fixar e dizer: “Agora estamos seguros; neste lugar viveremos”. “Mas”, declarou Moisés, “embora estejamos sempre mudando, Senhor, Tu tens sido a nossa habitação, em todas as gerações” (ver Salmos 90.1). O crente não conhece qualquer mudança no que diz respeito a Deus. O crente pode ser rico hoje e pobre amanhã; talvez esteja sadio hoje e enfermo amanhã. Pode estar gozando de alegria hoje e amanhã entristecer-se. No entanto, não existe qualquer mudança no que se refere ao relacionamento dele com Deus. Se Ele me amou ontem, também me ama hoje. Mesmo que as expectativas sejam arruinadas e a esperança, frustrada; mesmo que a alegria murche e o míldio destrua tudo, nada perdi, do que tenho em Deus. Deus é a minha fortaleza, na qual eu sempre posso me acolher (ver Salmos 71.3). Sou peregrino neste mundo; em Deus, porém, estou em casa. Na terra, viajo; mas em Deus, habito em lugar seguro.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Todo Dia Com Paz

Porque, quem é Deus senão o SENHOR? E quem é rochedo senão o nosso Deus?
(Salmo 18:31).

EXPERIÊNCIAS COM DEUS

Vários jornalistas e diplomatas franceses da década de 1980 foram reféns durante muitos meses ou mesmo anos. Eles viviam em condições extremamente difíceis. Alguns deles falam de suas experiências espirituais durante este longo período de encarceramento.
Roger Auques afirma: "Os sequestradores permitiram-me ficar com a minha Bíblia... O meu tempo como refém foi necessário para me fazer pensar em Deus novamente. Deus é uma rocha, como diz em Salmos".
Marcel Carton relata: "Eu não sei quantas vezes li os mesmos livros, mas também e sobretudo a Bíblia". Carton acreditava na existência de Deus antes, mas sem viver a experiência cristã. "Durante minha prisão", continua ele, " redescobri o que é oração".
"A Bíblia sustentou, nutriu e fortaleceu a minha fé". Essa foi a experiência de Jean-Paul Kauffmann. "Ao mesmo tempo, a Bíblia provou a sua capacidade de dar verdadeiro encorajamento espiritual. Histórias como as de Jó, José e de muitos outros lidam com pessoas que sofreram grandes desgraças. Porque eles acreditavam em Deus, não desistiram da esperança, mas superaram suas dificuldades. Assim, a Bíblia tornou-se um constante conforto pessoal para mim. Deus e eu nunca tínhamos perdido de vista um ao outro, mas ali nós nos encontramos outra vez adequadamente".
"O SENHOR... Enviou a sua palavra, e os sarou, e os livrou da sua destruição. Louvem ao SENHOR pela sua bondade e pelas suas maravilhas para com os filhos dos homens!" (Salmo 107:19-21).

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do Dia: “Ao SENHOR pertence a salvação!” (Jonas 2.9)
Salvação é trabalho de Deus. É somente Ele que vivifica a alma “morta em delitos e pecados”, e também é Ele que mantém a alma viva espiritualmente. Ele é ambos “Alfa e Ómega”. Se cultivo o hábito de orar, Deus me fez cultivá-lo. Se me beneficio de bênçãos, elas são presentes de Deus para mim. Se vivo consistentemente é porque Ele me sustenta com sua mão. Eu mesmo nada faço para ser preservado, exceto o que Deus já começou a fazer em mim. Se peco, esta ação é só minha; mas se ajo corretamente, isto vem, completamente, de Deus. Eu tenho, diante dos homens, uma vida consagrada? Não sou eu, mas Cristo, que vive em mim. Sou santificado? – eu não limpei a mim mesmo, Deus, o Espírito Santo, me santifica. Sou afastado do mundo? Sou afastado pela correção da parte de Deus, santificado para o meu bem-estar. Cresço em conhecimento? O grande instrutor ensina-me. Apenas Ele é minha rocha e minha salvação. Alimento-me da Palavra? Ela não me serviria de alimento, se o Senhor não a tivesse feito fonte de nutrição para minha alma e não tivesse me ajudado a alimentar-me dela. Eu recebo, continuamente, acréscimo de forças? Onde entesouro minha força? Meu auxílio vem das colinas celestes. Sem Jesus, nada posso. Como um galho não frutifica, a menos que permaneça na videira, não poderia fazer muito mais, se não permanecesse nEle. A lição que Jonas aprendeu no fundo do mar, quero aprender neste momento, enquanto oro. Ao Senhor pertence a salvação.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Todo Dia Com Paz

E Jesus, movido de grande compaixão, estendeu a mão, e tocou-o, e disse-lhe: Quero, sê limpo!
(Marcos 1:41).

A GRANDE PAIXÃO DE CRISTO

Esta foi a resposta que o Senhor deu ao leproso que se ajoelhou com fé diante dEle com este pedido: "Se queres, bem podes limpar-me". Se o Senhor Jesus não mostrasse misericórdia para com esse pobre homem, ninguém nesta terra poderia ajudá-lo; ele estava com uma doença incurável.
Mas Deus estava presente. O Filho de Deus tornou-Se homem, e Ele, Jesus Cristo, não só podia ajudar, Ele estava disposto a fazê-lo. Hoje Cristo é o Ressuscitado no céu; Sua obra de redenção está consumada. E Ele ainda é o mesmo Salvador cheio de amor, graça, poder e misericórdia. A "lepra" que Ele deseja curar hoje em dia é o pecado. Que conforto para cada pessoa que reconhece o seu pecado, que sabe que está perdido, e procura a salvação e espera que o Senhor o cure!
O leproso veio ao Senhor Jesus como ele era naquela ocasião: imundo e incurável. Foi precisamente o desespero de sua situação que o fez apto para a graça e poder do Senhor. Como é impressionante o que Ele fez: "E Jesus, movido de grande compaixão, estendeu a mão, e tocou-o, e disse-lhe: Quero, sê limpo!" O que aconteceu? A lepra desapareceu imediatamente.
Quem vem ao Senhor Jesus hoje como está, com os pecados de sua vida e acreditando, vai viver a mesma experiência. Eis o chamado de Deus para você: "Se você ainda não se voltou para o Senhor Jesus, venha a Ele!" Ele te ama e é movido de compaixão por você e sua situação. Suas mãos estavam esticadas e perfuradas na cruz, para fazer dEle o seu Salvador. Agora você pode encontrar salvação e paz.

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do Dia: “A ira vindoura.” (Mateus 3.7)
É agradável andar no campo após a chuva e sentir o frescor das plantas. Com o crente acontece coisa semelhante. Ele passa por uma terra onde a tempestade já caiu sobre a cabeça do Salvador. Se algumas gotas de tristeza caem, elas escorrem de nuvens de misericórdia. Jesus o encoraja, assegurando-lhe que o chuvisco não tem a finalidade de destruí-lo. Mas, como é terrível testemunhar a aproximação de uma tempestade, ver o prenúncio dela. Quão terrível é esperar o medonho avanço de um furacão – como acontece às vezes, nos trópicos – esperar em terrível apreensão.
Esta, pecador, é sua presente situação. Ainda não caíram gotas quentes, mas uma chuva de fogo se aproxima. Ventos horríveis não uivam ao seu redor, mas a tempestade de Deus monta sua pavorosa artilharia. Embora a enchente esteja represada pela misericórdia, logo haverá inundação. Os raios e trovões de Deus ainda estão em seu depósito, mas a tempestade se apressa e quão horrendo será aquele momento, quando Deus, vestido em vingança, marchará em fúria! Onde, ó pecador, você esconderá sua cabeça, ou para onde fugirá? Que a mão de misericórdia conduza-o a Cristo. Ele está diante de você, no evangelho. Você conhece sua carência dele. Creia nEle e então, a fúria passará, para sempre.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Todo Dia Com Paz

Deus não é homem, para que minta; nem filho de homem, para que se arrependa; porventura, diria ele e não o faria? Ou falaria e não o confirmaria?
(Números 23:19).

ELE FALA E ELE CUMPRE!

Este versículo da Bíblia nos dá um testemunho maravilhoso de Deus. Deus não pode e não tem como ser comparado a um ser humano. As pessoas prometem muito mais do que podem cumprir, pois muitas vezes mudam de opinião para adaptá-la à situação. Deus é totalmente diferente em relação a isso.
No Novo Testamento, o caráter essencial de Deus é descrito da seguinte maneira: "Porque os dons e a vocação de Deus são sem arrependimento" (Romanos 11:29).
Todo crente pode testemunhar: "Ao me aproximar dEle carregado com meus pecados, eu fui recebido. Ele disse: 'Aquele que crê no Filho tem a vida eterna' (João 3:36). Eu cri no Senhor Jesus, e Deus nunca volta atrás em Sua palavra. Ele sabia quem eu era quando vim para Ele. Sabia tudo sobre meu passado, e sabia o que seria até o instante em que eu deixasse este mundo: todas as minhas fraquezas, pecados, frieza e obstinação - Ele sabia tudo. E ainda assim me aceitou e me concedeu a vida eterna. E agora sou Seu filho. Não, Deus nunca se arrepende".
Como isso é importante para um cristão em sua vida diária. Se o Senhor Jesus Cristo diz: "É-me dado todo o poder no céu e na terra", acrescentando a promessa: "E eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos" (Mateus 28:18 e 20), então isso é verdade. Ele não volta atrás. Mesmo quando nos sentimos solitários, Ele jamais nos deixou sozinhos. O que Ele diz, Ele realmente cumpre.

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do Dia: “Farei descer a chuva a seu tempo, serão chuvas de bênçãos.” (Ezequiel 34.26)
Este versículo nos apresenta uma soberana misericórdia. Quem pode dizer “farei descer chuva”, exceto Deus? Só existe uma voz que pode falar às nuvens e ordenar-lhes que produzam chuvas. Quem envia a chuva para a terra? Quem a espalha sobre a relva verde? Não é o Senhor? De modo semelhante, a graça é um dom de Deus e não pode ser criada pelos homens. Ela é também uma graça necessária. O que o solo fará sem as chuvas? Você pode arar sua terra e semeá-la, mas o que fará sem a chuva? A bênção de Deus é tão igualmente necessária como a chuva para o solo. Trabalhamos em vão, até que Deus, o abundante criador de chuvas, age e nos envia a salvação. Então, recebemos graça abundante. “Farei descer a chuva.” Ele não disse: “Farei descer gotas”, e sim: “Farei descer a chuva”. Isso também ocorre com a graça. Se Deus nos dá uma bênção, frequentemente Ele nos dá em tal medida, que não há bastante espaço para acomodá-la. Graça abundante! Oh, necessitamos de graça abundante para sermos pessoas de oração, nos mantermos humildes, nos tornarmos santos, nos tornarmos zelosos, para nos preservar nesta vida e ao fim das contas, para nos levar ao céu. Não podemos viver sem abundantes chuvas de graça. Além disso, esta é uma graça de tempo oportuno. “Farei descer a chuva a seu tempo. ” Qual é o seu tempo nesta manhã? É tempo de aridez? Então, esta é uma ocasião oportuna para chuvas. É tempo de grande opressão e nuvens escuras? Então, é tempo de chuvas. “Como os teus dias, durará a tua paz” (Deuteronômio 33.25). Neste versículo de Ezequiel, temos uma bênção diversificada -“Eu te darei chuvas de bênçãos”. A palavra chuvas está no plural. Deus enviará todos os tipos de bênçãos. Todas as bênçãos de Deus estão unidas, como elos em uma corrente de ouro. Se Deus outorga a graça que converte, também nos dará a graça que consola. Ele enviará “chuvas de bênçãos”. Levante os olhos hoje, planta ressecada, abra suas folhas e suas flores para uma chuva celestial.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Todo Dia Com Paz

Mas, se o ímpio se converter de todos os seus pecados que cometeu, e guardar todos os meus estatutos, e fizer juízo e justiça, certamente viverá; não morrerá.
Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti
(Ezequiel 18:21; Lucas 15:18).

CONVERSÃO ? VOLTANDO-SE PARA DEUS (2)

Temos ido na direção errada e nos encontramos em um beco sem saída. Estamos perdidos; quanto mais rápido mudamos de direção, menos tempo é desperdiçado.
Mudar o rumo: esse é o significado da palavra "conversão". Esta não é uma mera teoria, nenhuma restauração externa, mas uma mudança interna completa. Qualquer um que busca melhorar a sua conduta externa não é de forma alguma um convertido. A conversão é uma cura radical das nossas maneiras morais. Ela tem, naturalmente, um efeito sobre a forma de conduzir a nossa vida.
Conversão não consiste em mudar de religião, mas aceitar um padrão novo de valores, tornando-se naquilo que não era antes, ter uma nova fonte de energia e diferentes esperanças e amigos. Isso significa escolher outro caminho, colocar o olhar sobre outros objetivos, e trabalhar para um novo Mestre. Antes eu vivia para mim, agora eu vivo para Deus. Eu costumava estar satisfeito comigo mesmo, agora eu tenho reconhecido meu antigo e triste estado moral. Ontem Deus teve que condenar-me; hoje Ele me vê como justificado pela obra redentora de Cristo na cruz.
A conversão é uma mudança total na forma de pensar e viver. Um novo convertido colocou assim: "Até agora eu pensava que eu vivia; agora eu realmente vivo".

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do Dia: “Nunca jamais te abandonarei.” (Hebreus 13.5)
Nenhuma promessa deve ser interpretada como algo de domínio particular. Aquilo que Deus disse a um crente, Ele o disse a todos. Quando Ele abre uma fonte para mim, Ele o faz para que todos possam beber. Quando Deus abre a porta do celeiro, talvez exista um crente faminto que seja a razão pela qual Ele abriu tal porta, mas todos os famintos podem vir e se alimentar do celeiro. Quer Deus tenha dado uma mensagem a Abraão ou a Moisés, isso não importa. Ele também a deu a você como um membro da família da aliança.
Não há bênção grandiosa demais, nem misericórdia ampla demais para você. Lance seu olhar para o norte e para o sul, para o leste e para o oeste, pois tudo isto é seu. Suba ao topo do monte Pisgah e contemple o limite extremo da promessa divina, pois toda a terra é sua. Não existe um ribeiro de água do qual você não possa beber. Se a terra prometida mana leite e mel, coma o mel e beba o leite, pois ambos lhe pertencem. Seja ousado em crer, porque Ele disse: “De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei”. Nesta promessa, Deus outorga todas as coisas ao seu povo. Portanto, nenhum dos atributos divinos cessará de comprometer-se por nós. Ele é poderoso? Deus se mostrará poderoso em favor daqueles que põem nEle a sua confiança. Ele é amor? Com amor e bondade, Ele terá misericórdia de nós. Sejam quais forem os atributos que compõem o caráter divino, cada um deles, em sua maior proporção nos beneficiará. Resumindo, não há nada de que você possa sentir falta, precisar ou mesmo pedir, no tempo e na eternidade; nada vivo, nada morto, nada deste mundo, nada no mundo por vir, nada agora, nada na manhã da Ressurreição, nada no céu que não esteja incluído neste versículo: “De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei” (Hebreus 13.5).

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Todo Dia Com Paz

Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no Reino dos céus 
(Mateus 18:3).

CONVERSÃO ? VOLTANDO-SE PARA DEUS (1)

A Bíblia nos mostra que a condição do homem após a queda de Adão é o oposto de seu estado original. O dia se tornou noite para ele; seu senso de moralidade foi obscurecido. Ele agora considera seus inimigos como amigos, e seus amigos como inimigos. Ele chama o bom de ruim, e o ruim de bom. Ele se considera livre e justo; só que na verdade ele é escravizado e perverso.
A única coisa que, de acordo com as palavras da Bíblia, pode ajudá-lo, a redenção através da fé em Jesus Cristo, lhe parece totalmente desnecessário. Ele pensa em Deus como seu inimigo contínuo em vez de aceitá-Lo como seu Pai. Este é o resultado de um impulso maligno interior que o homem não pode vencer sozinho. Isso torna-o cego e conduz sua vontade a uma direção errada que leva à destruição.
Por isso, é necessário que o homem permita que Deus trabalhe em seu coração e o reforme completamente. Quem quiser ser libertado do poder do pecado e salvo da condenação eterna deve reconhecer-se moralmente falido e se render a Deus.
Isso é "conversão", declarando-se impotente diante de Deus, que pode mudar o seu modo pecaminoso e confiando a si mesmo a Deus, para que tudo possa ser feito novo. A criatura caída deve retornar ao Criador, o filho perdido para a casa do Pai. A conversão abre o caminho para a salvação. Deus responde a esta confissão de culpa e fraqueza perdoando o crente de seus pecados e tornando-o Seu filho.

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do Dia: “O seu arco, porém, permanece firme, e os seus braços são feitos ativos pelas mãos do Poderoso de Jacó.” (Gênesis 49.24)
A firmeza que Deus proporciona aos seus Josés é uma firmeza divina. Não é heroísmo ostentoso, ficção, ou algo de que os homens falam e que depois some, igual a fumaça; é verdadeira, é força divina. Como José permaneceu firme contra a tentação? Deus lhe outorgou ajuda. Não há nada que possamos fazer sem o poder de Deus. Todo fortalecimento verdadeiro vem do “Poderoso de Jacó”. Observe de que maneira bendita e familiar Deus outorgou este fortalecimento a José -“os seus braços são feitos ativos pelas mãos do Poderoso de Jacó”. Deus é apresentado como Alguém que põe suas mãos sobre as mãos e seus braços sobre os braços de José. Assim como um pai ensina seus filhos, assim também Deus ensina aqueles que O temem. Ele põe os seus braços sobre eles. Que maravilhosa condescendência! O Deus todo-poderoso, eterno, onipotente desce de seu trono e coloca sua mão sobre a mão de seu filho, estendendo seu braço sobre o braço de José, para que ele se torne forte!
Este fortalecimento era também um fortalecimento característico da aliança, porque é atribuído ao “Poderoso de Jacó”. Ora, sempre que lemos, nas Escrituras, a respeito do Deus de Jacó, devemos nos lembrar da aliança feita com ele. Os crentes amam pensar sobre esta aliança. Todo o poder, toda a graça, todas as bênçãos, misericórdias, consolações, e as coisas que temos, fluem até nós procedentes da nascente, por meio da aliança. Se não houvesse aliança, já teríamos caído, porque todas as graças procedem da aliança, assim como a luz e o calor procedem do sol. Anjos não sobem ou descem, salvo naquela escada que Jacó viu, no topo da qual se encontrava o Deus da aliança. Crente, talvez os flecheiros o tenham molestado extremamente, atirado contra você, ferindo-lhe, mas o seu arco, porém, permanece firme. Então, certifique-se de atribuir toda glória ao Deus de Jacó.

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Todo Dia Com Paz

O sumo sacerdote lhe tornou a perguntar e disse-lhe: És tu o Cristo, Filho do Deus Bendito? E Jesus disse-lhe: Eu o sou
(Marcos 14:61-62).

O PROCESSO DE JESUS: O MOTIVO

O julgamento do Senhor Jesus Cristo revelou processos judiciais irregulares! Os líderes religiosos apresentaram o caso contra o Inocente durante a noite, e a sentença de morte já havia sido decidida. Faltava só encontrar o motivo para tal veredito. Houve testemunhas suficientes, mas isso não bastou para a sentença, uma vez que os testemunhos eram contraditórios. Apesar de todas as argumentações, provavelmente discutidas de antemão, Deus não permitiu que o Seu Filho fosse declarado culpado por motivos duvidosos.
O acusado permaneceu em silêncio. Como o julgamento caminhava para um impasse, o sumo sacerdote que o presidia interveio com uma pergunta decisiva: "És tu o Cristo, o Filho do Deus Bendito?".
O sumo sacerdote sabia do que estava falando: o Messias tinha de ser o Filho de Deus. Seu povo Israel estava esperando por Ele, como o Antigo Testamento mostrou. Isso estava bem testificado.
Mas ele e a maioria dos outros setenta presentes não estavam preparados para admitir que o prisioneiro silencioso era o Messias, embora Ele tivesse dado provas convincentes de Sua identidade desde o início. Neste ponto do processo Jesus quebrou o silêncio e respondeu: "Eu sou", e acrescentou algumas afirmações que irritaram Seus acusadores. 
Talvez poucos são os que percebem que saber se Jesus é o Cristo ainda é um assunto de vital importância hoje, e isso não só para os judeus. Ele é o enviado de Deus? Não podemos contornar esta questão, pois ela diz respeito ao nosso próprio bem ou ao nosso mal.

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do Dia: “Porque ele tem dito.” (Hebreus 13.5)
Se assimilamos estas palavras por meio da fé, temos em nossas mãos uma arma conquistadora de todas as vitórias. Que dúvida não será eliminada pela espada de dois gumes? Que temor não desaparecerá com um golpe mortal desta flecha proveniente do arco da aliança de Deus? Os infortúnios da vida, as angústias mortais, a nossa corrupção interna e as ciladas externas, as provações divinas e as tentações satânicas; não parece tudo isto leves aflições, quando nos podemos esconder sob o seguinte baluarte: “Ele tem dito”. Sim, quer seja para recebermos deleites em nossa tranquilidade, quer seja para obtermos fortalecimento em nossa luta, “ele tem dito” precisa ser o nosso lugar de descanso todos os dias.
Estas palavras podem nos ensinar o imenso valor de examinar as Escrituras. Pode haver nas Escrituras uma promessa que satisfaz adequadamente ao seu caso. Mas talvez você ainda não conheça essa promessa e, por isso, não tem a consolação que ela proporciona. Você é como prisioneiros num calabouço e, entre as chaves, pode haver uma que abrirá a porta. Você pode ser liberto, mas se não procurar a chave, pode permanecer preso, embora a liberdade esteja tão perto. Pode haver um remédio poderoso, mas você continua doente, a menos que examine e investigue as Escrituras, para descobrir o que “ele tem dito”.
Juntamente com a leitura das Escrituras, você não abastecerá ricamente sua memória com as promessas de Deus? Você memoriza as palavras de homens importantes; entesoura os versos de poetas famosos, e não se aprofundará no conhecimento da Palavra de Deus, de modo que possa citá-la com prontidão, quando tiver de resolver um problema inquietante e difícil? Visto que “ele tem dito” é a fonte de toda sabedoria e de toda consolação, permita que esta fonte habite ricamente em você, tornando-se “uma fonte a jorrar para a vida eterna” (João 4.14). Deste modo, você crescerá saudável, feliz e vigoroso em sua vida espiritual.

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Todo Dia Com Paz

A justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé
(Romanos 1:17, RA).

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE 2 CRÔNICAS (Leia 2 Crônicas 4:1-22)

Completamente revestido com ouro, o templo fala sobre a justiça perfeita e pura. Além disso, o adorador não poderia aproximar-se sem antes ter passado pelo altar de bronze do sacrifício. Esse altar era quadrado, e suas dimensões, vinte côvados (cerca de nove metros) de largura, eram idênticas às do Santo dos Santos. Em outras palavras, as glórias do Santo dos Santos correspondem às grandezas e à perfeição do sacrifício representado pelo altar.
E aqui está "o mar". Os doze bois nos trazem à memória a paciente e perseverante obra de Cristo conforme Efésios 5:26, bem como a firmeza que deve ser demonstrada para resistir às influências externas e manter a pureza. Apenas depois disso outros itens são enumerados: as pias, os candelabros, as mesas, o altar de bronze e vários acessórios dos sacerdotes. Tudo, enfim, relembra que não podemos desfrutar das verdades representadas por tais objetos a menos que tenhamos sido moralmente purificados no "mar de bronze" (Salmo 26:6; 2 Coríntios 7:1).
Com exceção do cálice e do pão da Ceia do Senhor, o adorador no Novo Testamento não tem mais nenhum objeto visível, sacramento ou cerimônia diante de si. Nossa adoração agora é "em espírito e em verdade" (João 4:24). Tudo o que contemplamos é pelos olhos da fé, e não por coisas materiais ou rituais religiosos.

Devocional Diário CHARLES SPURGEON


Versículo do Dia: “Deus, que conforta os abatidos.” (2 Coríntios 7.6)
Quem pode confortar como Deus? Procure algum dos filhos de Deus que esteja em abatimento, melancolia e aflição. Conte-lhe esta promessa tão agradável e sussurre aos ouvidos dele palavras excelentes de consolação. Ele é como um surdo, não pode ouvir. Está em desespero. Conforte-o como você pode e receberá dele apenas um suspiro de resignação. Você não produzirá salmos de louvor, aleluias ou sonetos alegres. Permita que Deus venha ao encontro de seu filho e levante o rosto em direção a ele; então, os olhos do lamentador resplandecerão com esperança. Você não o ouve cantar? Você não pôde animá-lo, mas o Senhor mesmo o fez. Ele é o “Deus de toda consolação” (2 Coríntios 1.3).
Não há qualquer bálsamo em Gileade, mas existem bálsamos em Deus. Não existe um médico verdadeiro entre as criaturas, mas o Criador é Jeová-Rapha, o SENHOR que sara (ver Êxodo 15.26). É maravilhoso como uma palavra tão doce do vocabulário divino produz canções alegres nos crentes. Uma palavra de Deus é como uma imensa pepita de ouro. O crente é o ourives e pode lapidar esta promessa por semanas.
Crente, você não precisa viver no desespero. Busque o Consolador e peça-Lhe consolação. Você é um poço pobre, seco. Você já deve ter escutado que uma bomba-d’água seca precisa, antes de tudo, receber um pouco de água, para que bombeie novamente. Crente, quando você estiver seco, busque a Deus e peça-Lhe que transborde a alegria dele em seu coração; assim, a sua alegria será completa. Não procure pessoas conhecidas, você descobrirá que elas são semelhantes aos consoladores de Jó. Em primeiro lugar, busque a Deus, “que conforta os abatidos”. Logo você dirá: “Nos muitos cuidados que dentro de mim se multiplicam, as tuas consolações me alegram a alma” (Salmos 94.19).

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Todo Dia Com Paz

Onde, pois, estão os teus deuses, que fizeste para ti? Que se levantem, se te podem livrar no tempo da tua tribulação.
Quem não honra o Filho não honra o Pai, que o enviou
(Jeremias 2:28; João 5:23).

O PROBLEMA É O PECADO

Que período em que vivemos! Corrupção, desordem e criminalidade são comuns, e as pessoas desesperadas pela incapacidade de seus representantes eleitos em corrigir a injustiça ou trazer a estabilidade. E essas mesmas pessoas são melhores? Um vislumbre em nossos próprios corações deve revelar uma série de falhas pessoais que contribuem para esses tempos de dificuldade.
O texto de hoje é tirado de uma mensagem que Deus enviou ao seu povo Israel através do profeta Jeremias. Eles estavam num caminho de rebeldia, depois de ter abandonado o Deus que tinha sido tão fiel a eles. Esta é a verdadeira causa de todos os nossos problemas de hoje em dia. Queremos levar nossa vida de forma independente de Deus, mas quando tentamos nos libertar da confusão em que estamos, não há ninguém para ajudar!
Há uma abundância de deuses que reverenciamos: as estrelas do esporte e do mundo do entretenimento, até mesmo cidadãos, cujos resultados merecem reconhecimento universal. Mas eles são humanos, como nós e não podem intervir para o nosso bem.
No entanto, há um Deus, apenas um, que pode ajudar de forma eficaz: "Que eu, eu o sou, e mais nenhum deus comigo" (Deuteronômio 32:39). Ele está pronto para ir à raiz de todos os nossos problemas: nosso pecado. Ele abriu o caminho ao dar Seu Filho, Jesus Cristo, para morrer por nós, em nossa necessidade. Devemos recebê-Lo pela fé em Sua morte expiatória; caso contrário, iremos apenas experimentar a ira de Deus, quando o mundo for julgado em justiça (veja Atos 17:29-31).

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do Dia: “Assim diz o SENHOR Deus: Ainda nisto permitirei que seja eu solicitado pela casa de Israel: que lhe multiplique eu os homens como um rebanho.” (Ezequiel 36.37)
A oração precede a misericórdia. Leia a história bíblica e dificilmente você achará um caso em que a misericórdia vinda a este mundo não foi precedida de súplicas. Você já descobriu que isto é verdade por experiência própria. Deus lhe tem dado muitos favores não-solicitados; apesar disso, muita oração tem sido o prelúdio de grandes misericórdias para você. Antes da primeira vez em que encontrou paz, por meio do sangue na Cruz, você já estava em oração e em séria intercessão com Deus, para que removesse suas dúvidas e o livrasse da angústia. A segurança foi o resultado da oração. Quando você desfrutou de alegrias extasiantes, sentiu-se constrangido a vê-las como respostas às suas orações. Quando experimentou grandes livramentos em aflições e auxílio poderoso em perigos, você pôde afirmar: “Busquei o SENHOR, e ele me acolheu; livrou-me de todos os meus temores” (Salmos 34.4).
A oração sempre é o prefácio de bênçãos. Ela aparece antes das bênçãos, como se fosse a sombra delas. Quando o sol das misericórdias de Deus surge no horizonte de nossas necessidades, as sombras de nossas orações se espalham. Quando Deus empilha as misericórdias num monte, Ele mesmo brilha por trás delas e lança em nosso espírito a sombra da oração, para que descansemos seguros. A oração está vinculada à bênção, para nos mostrar o valor desta. Se tivéssemos as bênçãos sem pedi-las, nós as consideraríamos coisas comuns. As orações tornam nossas misericórdias mais preciosas do que diamantes. As coisas que pedimos são preciosas, mas não compreendemos a sua preciosidade até que as tenhamos procurado com ardor.
A oração a nuvem negra faz sumir;
Além de exercitar a fé e o amor
E na escada de Jacó é vista a subir;
E a nos trazer a bênção do Senhor!

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Todo Dia Com Paz

Contudo, vós me deixastes a mim e servistes a outros deuses; pelo que não vos livrarei mais. Andai e clamai aos deuses que escolhestes; que vos livrem eles no tempo do vosso aperto.
Onde, pois, estão os teus deuses, que fizeste para ti? Que se levantem, se te podem livrar no tempo da tua tribulação
(Juízes 10:13-14; Jeremias 2:28).

UM ÁTOMO DE CONSCIÊNCIA

Em relatos de um acidente de avião, uma inundação, um incêndio ou qualquer outra catástrofe, muitas vezes lê-se que pessoas que negam a existência de Deus de repente clamam a Ele por ajuda. Será que eles acham que o Todo-Poderoso está lá apenas para preservá-los de catástrofes e vir em seu auxílio com "equipamentos de emergência do céu"?
 Geralmente, o pedido de ajuda é um ato inconsciente. Mas revela que há um átomo de consciência de Deus escondido em nossa mente, no subconsciente. E Deus usa essas desgraças para nos mostrar como somos impotentes sem Ele.
Ele não poderia nos desafiar hoje, com o mesmo tipo de questionamento feito naquela época? "Por que você clama a mim agora? Por que não procurar os deuses que normalmente vocês servem: dinheiro, egoísmo, o poder e a grandeza que você imagina que tem? Obtenha a sua ajuda onde estão os seus interesses!"
Mas Deus não é assim. Os versículos bíblicos de hoje têm a intenção de nos tornar conscientes do paradoxo da vida sem Deus e mesmo assim clamar a Ele por ajuda sem verdadeiramente se voltar para Ele.
Deus ainda é o mesmo. Ele diz: "Desejaria eu, de qualquer maneira, a morte do ímpio?... Não desejo, antes, que se converta dos seus caminhos e viva?" (Ezequiel 18:23).

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do Dia: “Faze-me saber por que contendes comigo.” (Jó 10.2)
Talvez, ó alma que enfrenta provações, o Senhor esteja fazendo isto para te fazer crescer em graça. Não descobriríamos algumas de nossas graças, se não passássemos por aflições. Você não sabe que sua fé nunca parece tão grande no verão quanto no inverno? O amor é frequentemente semelhante a um vagalume que mostra pouca luz, exceto quando se encontra em meio à escuridão. A própria esperança é como uma estrela – não pode ser vista no resplendor do sol da prosperidade, mas pode ser descoberta tão-somente na escuridão da adversidade. As aflições são as lâminas negras nas quais Deus incrusta as joias das graças de seus filhos, para que elas brilhem melhor.
Há pouco tempo atrás, de joelhos, você dizia: “Senhor, temo não ter fé. Prova-me que tenho fé”. Você não estava, na verdade, orando por provações – pois como você pode saber que tem fé, até que esta seja exercitada? Deus sempre permite as provações, a fim de que nossas graças sejam descobertas e nos certifiquemos da existência delas. Além disso, o que ocorre não é uma simples descoberta; verdadeiro crescimento na graça é o resultado de provações santificadas. Frequentemente, Deus remove nossos confortos e privilégios, para que nos tornemos crentes melhores. Ele treina os seus soldados não por meio de oferecer-lhes tendas de sossego e luxo, e sim por meio de revirar essas tendas e leva-los a marchas forçadas e serviço árduo. Ele os leva a passar pelos córregos, nadar pelos rios, subir montanhas e caminhar muitos quilômetros com fardos pesados em suas costas. Isto explica os sofrimentos pelos quais você passa? O Senhor está fazendo suas graças aparecerem e crescerem? Esta é a razão por que Ele está contendendo com você?

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Todo Dia Com Paz

Porque qualquer que quiser salvar a sua vida perdê-la-á
(Marcos 8:35).

O DESAFIO DE SEGUIR A CRISTO

Uma jovem mulher, sedenta pela vida, descreveu-me sua filosofia de vida. "É claro que Deus existe, e Ele certamente não é o estraga-prazeres que muitos O consideram ser. Se pessoas como eu desfrutam sua vida e todos os prazeres que ela lhes proporciona, Deus não pode ser contra isso. Gosto de ler literatura cristã, se estiver escrita de modo atrativo. Aliás, Jesus Cristo é uma das personalidades mais fascinantes da história do mundo. Estou pronta para entrar em acordo com Ele".
Como a opinião desta mulher pode ser julgada à luz da Bíblia? Se tivesse vivido quando o Senhor Jesus esteve na terra, ela poderia facilmente ter sido colocada na categoria das pessoas que O seguiam. Elas também ficaram impressionadas com as Suas palavras e atos, de fato, por toda a Sua conduta, a qual, de modo algum, correspondia ao pensamento dos teólogos de Seu tempo. Havia mais do que isso.
Certa vez, quando grandes multidões novamente cercaram ao Senhor Jesus, Ele de repente se virou para eles e disse algo que deve ter sido uma ofensa para muitos: "Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo... Porque qualquer que quiser salvar a sua vida (ou seja, tirar melhor proveito de seu tempo para si aqui na terra) perdê-la-á" (Marcos 8:34-35), isto é, por toda a eternidade.
Um discipulado meramente temporal e aparente não conduz à vida eterna. Não se pode viver como cristão e ainda se envolver com o mundo que O rejeitou. Não muito tempo depois Cristo foi condenado à morte. Talvez alguns dos que, apenas exteriormente, tinham seguido ao Senhor Jesus, se juntaram ao clamor: "Crucifica-o!" Sua morte mudou a situação completamente. As opiniões ainda estão divididas sobre esta questão hoje em dia

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do Dia: “Isaque habitava junto a Beer-Laai-Roi.” (Gênesis 25:11)
Hagar já havia encontrado alívio nesse lugar, e Ismael bebeu da água tão graciosamente revelada pelo Deus que vive e vê os filhos dos homens. Mas esta visita de Ismael a Beer-Laai-Roi foi apenas casual, semelhante à que as pessoas mundanas fazem ao Senhor em tempos de necessidade, quando lhes é conveniente. Essas pessoas clamam a Deus na época de tribulação, mas O deixam em tempos de prosperidade. Isaque habitava em Beer-Laai-Roi e fez do poço do Deus vivo, que vê todas as coisas, sua constante fonte de suprimento. A tendência primordial da vida de um homem, o lugar de habitação de sua alma, é a verdadeira prova de sua condição espiritual. As frequentes meditações de Isaque nas bordas do poço fez com que ele se familiarizasse com o lugar. O seu encontro com Rebeca possibilitou que seu espírito se sentisse à vontade, nas proximidades do poço. E, acima de tudo, o fato de que ali Isaque desfrutou de comunhão com o Deus vivo o levou a escolher aquele terreno santo para a sua habitação.
Devemos aprender a viver na presença do Deus vivo. Oremos ao Espírito Santo para que neste dia e nos outros, sintamos ser Deus ”aquele que me vê” (Gênesis 16.13). Que o Senhor Jeová seja como um poço para nós, encantador, confortável, infalível, brotando para a vida eternal. O frasco da criatura racha e seca, mas o poço de nosso Criador nunca falha. Feliz é aquele que habita nesse poço e, assim, tem à mão suprimentos constantes e abundantes. O Senhor tem sido um auxiliador seguro para outras pessoas – seu nome é El-Shadai, Deus todo-suficiente. Nossos corações têm, com frequência, experimentado a mais agradável comunhão com Ele. Por meio dele, a nossa alma encontrou o seu glorioso esposo, o Senhor Jesus. Nele, nós vivemos, nos movemos e existimos (ver Atos 17.28). Permaneçamos em comunhão íntima com Ele. Glorioso Senhor, constrange-nos a jamais Te deixarmos e a habitarmos para sempre bem perto do poço do Deus vivo.

Todo Dia Com Paz

Buscai no livro do SENHOR e lede
(Isaías 34:16).

PEGUE E LEIA!

Muitas pessoas que se sentiam infelizes e buscavam a paz interior pegaram a Bíblia, começaram a lê-la e se tornaram cristãos cheios de vida. Talvez você esteja interessado e quer saber por onde começar a ler, pois a Bíblia é volumosa e abrangente.
Faça o que um garimpeiro faz. Ele não desanima se não encontra ouro quando peneira a terra. Encontrar ouro exige muito tempo e esforço de escavação. Portanto, não perca a paciência após 25 minutos lendo a Bíblia. O tesouro que você está procurando, a palavra que se aplica à sua situação e vai ajudá-lo está ali, disponível para você! Pegue sua Bíblia e peça a Deus que lhe conceda a palavra necessária. Não fique irritado com passagens que parecem áridas ou difíceis. Simplesmente continue a ler, e não desanime se algumas partes lhe pareçam incompreensíveis.
Acima de tudo, aceite o fato de que a Bíblia é o livro que Deus nos deu. Ouça a sua mensagem sem preconceito. Permita que a Bíblia lhe diga qual é a situação verdadeira de suas faltas e pecados, grandes e pequenos. Deixe que penetre em seu coração tudo o que você leu sobre a majestade de Deus, Seu amor, graça e Seus propósitos. Leia esse livro com um coração disposto, e então você irá apreciar mais sobre o Filho de Deus, Jesus Cristo, a quem Ele enviou como Salvador. Quem confia nEle e ajusta a sua vida de acordo com a Bíblia sabe que em todas as circunstâncias da vida está nas boas mãos de Deus, seu Pai.
"Lâmpada para os meus pés é tua palavra e luz, para o meu caminho" (Salmo 119:105).

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do Dia: “Aprendi a viver contente em toda e qualquer situação.” (Filipenses 4.11)
Este versículo nos mostra que o contentamento não é uma inclinação natural do homem. Cobiça, descontentamento e murmuração são tão naturais ao homem como os espinhos e cardos ao solo. Não precisamos plantar cardos e espinhos, pois são inerentes ao solo. Semelhantemente, não precisamos ensinar os homens a reclamar; eles o fazem rapidamente, sem qualquer aula. As coisas preciosas da terra precisam ser cultivadas. Se queremos colher trigo, temos de arar e semear a terra. Se desejamos ter flores, precisamos de um jardim e todos os cuidados de um jardineiro. O contentamento é uma das flores do céu. Se nós a queremos, ela tem de ser cultivada. Ela não se desenvolverá em nós, naturalmente. É somente a nova natureza que pode produzi-la; e, depois de produzida, temos de ser cuidadosos e especialmente vigilantes em cultivar e manter a graça que Deus semeou em nós.
O apóstolo Paulo disse: “Aprendi a viver contente”. Estas palavras nos mostram que antes ele não sabia viver desta maneira. Custou-lhe algum esforço para alcançar o mistério dessa grande verdade. Sem dúvida, às vezes ele pensava que já havia aprendido, mas falhava. E, quando, finalmente, a alcançou e pôde afirmar: “Aprendi a viver contente em toda e qualquer situação”, já era um homem velho, de cabelos grisalhos, às portas da morte – um miserável prisioneiro encarcerado por Nero, em Roma. Se queremos chegar onde Paulo chegou, também devemos suportar as enfermidades dele e compartilhar com ele da sua prisão. Não alimente a ideia de que você pode viver contente sem aprender, ou aprender sem disciplina. Viver contente não é uma virtude que pode ser praticada naturalmente, e sim uma arte a ser obtida gradualmente. Sabemos disto por experiência. Silencie a murmuração, embora ela seja natural, e continue sendo um aluno diligente na Palavra.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Todo Dia Com Paz

Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas
(João 10:11).

JESUS, A PONTE ENTRE DEUS E OS HOMENS

Alarmes de incêndio soaram em Liverpool certa noite. A pousada de marinheiros estava em chamas. Muitos espectadores se reuniram do lado de fora. Avistaram alguns homens gritando por ajuda nos andares superiores. O caminho para baixo estava bloqueado. A escada do carro de bombeiros era muito curta. Então um marinheiro que estava observando subiu ao topo da escada, esticou os braços para segurar com firmeza o parapeito da janela e gritou: "Depressa! Passem através de mim até a escada! E então desçam!" Um marinheiro após o outro desceu até que todos tinham descido com segurança. Por último, o marinheiro salvador desceu também, com seu rosto assustado com marcas de queimadura, o cabelo chamuscado e as mãos cheias de bolhas. Ele tinha abnegadamente arriscado a sua vida para ser a ponte entre o andar em chamas e a escada, e então salvar seus colegas.
Jesus Cristo, o Filho de Deus, veio a esta terra e Se tornou a Ponte para a travessia do fosso que nos separa de Deus. Mas, para isso, Ele teve que sacrificar a Sua vida na cruz do Calvário. Isso foi necessário porque a fenda foi feita pelos nossos muitos pecados. E a justa punição para o pecado é a morte.
A morte vicária de Jesus Cristo, portanto, significa a salvação para todos os que se entregam a Ele, abandonando os seus pecados e voltando-se para Deus. Como Cristo suportou o julgamento, morrendo por eles, eles não verão o fogo eterno do juízo de Deus, que a Bíblia chama de "a segunda morte".

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do Dia: “A ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno.” (2 Pedro 3.18)
O céu estará repleto dos incessantes louvores ao Senhor Jesus. A Ele seja a glória. O Senhor Jesus é “sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque” (Hebreus 5.6). A Ele seja a glória. O Senhor Jesus é Rei para sempre! Rei dos Reis e Senhor dos senhores, o Pai da Eternidade! A Ele seja a glória para sempre. Seus louvores nunca cessarão. Aquilo que foi comprado com sangue tem de subsistir, enquanto durar a imortalidade. A glória da cruz não pode ser eclipsada. O brilho do sepulcro e da ressurreição não pode ser ofuscado. Ó Senhor Jesus, Tu serás bendito para sempre! Enquanto espíritos imortais viverem – enquanto o trono do Pai permanecer – a Ele seja a glória.
Crente, você tem antecipado aquele tempo em que se reunirá aos santos no céu, atribuindo toda a glória ao Senhor Jesus; porém, você O está glorificando agora? As palavras do apóstolo são: “A ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno”. Esta será sua oração hoje: “Senhor, ajuda-me a glorificar-Te. Eu sou pobre; ajuda-me a glorificar-Te por meio de meu contentamento. Estou necessitado; ajuda-me a honrar-Te por meio de minha paciência. Eu possuo talentos. Ajuda-me a exaltar-Te, usando-os para a tua glória. Eu tenho tempo; Senhor, ajuda-me a remi-lo, a fim de que possa servir-Te. Tenho um coração para sentir; Senhor, faze com que ele não sinta qualquer amor, exceto o teu e não brilhe com qualquer chama, exceto com a afeição por Ti. Tenho uma mente para pensar; Senhor, ajuda-me a pensar em Ti. Tu me puseste neste mundo com algum propósito. Senhor, mostra-me qual é este propósito e ajuda-me a torná-lo o meu propósito de vida. Não posso fazer muito; todavia, assim como a viúva que ofertou suas pequenas moedas, que eram tudo o que ela possuía, também lanço o meu tempo e a eternidade em teu tesouro. Sou todo teu. Toma-me e capacita-me a glorificar-Te agora, em tudo o que digo, tudo o que faço e com tudo o que tenho”.

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Todo Dia Com Paz

E lhe porás o nome de JESUS, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados
(Mateus 1:21).

"O" NOME

Um anjo anunciou o nome que o Filho de Deus deveria ter na Terra muito antes de Seu nascimento: Jesus. O próprio nome revela o plano maravilhoso de Deus, pois Jesus significa "o Senhor é salvação". Isso foi exatamente o foco de Sua vinda ao mundo. Deus Se tornou Homem na Pessoa de Jesus. Ele desejava salvar "o seu povo dos seus pecados".
Em primeiro lugar, Cristo veio para Seu povo terreno Israel, que se afastou totalmente de Deus. Será que sequer se lembravam que eram o Seu povo, o povo do Deus vivo? De nenhuma maneira estavam vivendo na grande bênção que Ele lhes havia prometido, desde que O servissem. Eles eram pecadores como todos os outros e precisavam da salvação dos seus pecados mais do que qualquer outra coisa.
Mas o simples fato do Filho de Deus se fazer Homem e viver na terra não era suficiente. Ele teve de dar a Sua vida na cruz do Calvário como "resgate por muitos" (Marcos 10:45) e sofrer o castigo de Deus pelo pecado. Portanto Sua encarnação não pode ser separada de Seus sofrimentos e de Sua morte expiatória.
No plano de salvação de Deus estava previsto que somente na Pessoa e na obra redentora de Jesus as pessoas poderiam receber a remissão dos pecados. Por isso, logo após a ascensão de Cristo, Pedro pregou que o nome de Jesus é o único nome que Deus deu "pelo qual devamos ser salvos" (Atos 4:12). E chegará o momento em que ao nome de Jesus todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Jesus Cristo é o Senhor (Filipenses 2:10-11).

Devocional Diário CHARLES SPURGEON



Versículo do Dia: “E da parte do rei lhe foi dada subsistência vitalícia, uma pensão diária, durante os dias da sua vida.” (2 Reis 25.30)
Joaquim não foi levado do palácio real com uma provisão que duraria apenas alguns meses, mas a sua provisão lhe foi dada como uma pensão diária. Joaquim é uma boa ilustração da bem-aventurada posição de todos os membros do povo de Deus. Uma porção diária é tudo aquilo de que um homem realmente necessita. Não precisamos das provisões de amanhã; aquele dia ainda não raiou e suas necessidades ainda não nasceram. A sede que talvez sentiremos no mês de junho não precisa ser saciada em fevereiro, pois ainda não a sentimos. Se tivermos o suficiente para cada dia, nunca experimentaremos carência. O suficiente para o dia é tudo que podemos desfrutar. Não podemos comer, nem beber, nem vestir mais do que o suprimento diário de alimentos e vestes. O excesso nos traz a inquietação de saber o que fazer para guardá-lo e a ansiedade de protegê-lo de ladrões. Um cajado ajuda o viajante, mas um feixe de cajados é um fardo pesado. O suficiente não apenas é tão bom quanto um banquete, como também é tudo que mesmo um glutão pode realmente desfrutar.
O suficiente é tudo que podemos esperar. Anelar mais do que isto é ingratidão. Quando nosso Pai nos dá somente aquilo de que necessitamos, devemos ficar contentes com a provisão diária da parte dele. O caso de Joaquim é o nosso caso. Temos uma porção certa, que o Rei nos dá – uma porção graciosa e perpétua. Este é um motivo para expressarmos gratidão. Querido leitor crente, no que diz respeito à graça, você precisa de uma provisão diária. Você não tem um estoque de forças. Dia após dia, tem de buscar ajuda do alto. É uma agradável certeza o fato de que uma provisão diária lhe será outorgada. Na Palavra, no ministério, na meditação, na oração e no esperar em Deus, você receberá forças renovadas. Em Jesus se encontram estocadas todas as coisas que lhe são necessárias. Então, goze de sua provisão contínua. Jamais sinta fome, enquanto o diário pão da graça está à disposição, na mesa da misericórdia.

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Todo Dia Com Paz

Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória. Quem é este Rei da Glória? O SENHOR forte e poderoso
(Salmo 24:7-8).

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE 2 CRÔNICAS (Leia 2 Crônicas 3:1-17)

As Crônicas apresentam a construção do templo sob um aspecto diferente do apresentado pelo livro de Reis. Este último descreve-o sobretudo como o lugar de habitação do Senhor em meio ao Seu povo. Já em Crônicas, o templo é retratado como lugar de acesso onde o adorador é admitido para se encontrar com Deus. A fundação do edifício está sobre o monte Moriá, onde a graça de Deus adiou o julgamento e consumiu o holocausto.
No que tange à Igreja, sabemos sobre qual rocha ela está edificada a partir da declaração de Pedro e da resposta do Senhor Jesus: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo" (Mateus 16:16-18).
Salomão construiu o pórtico (ou alpendre), o Lugar Santo e o Santo dos Santos. Depois fez duas grandes esculturas de querubins, o véu, os dois pilares: Jaquim e Boaz. A extraordinária altura do pórtico é mencionada apenas aqui: 120 côvados (cerca de nove metros), quatro vezes a altura da casa. Isso não é uma figura do Salmo 24:7 e 9, que por duas vezes repete: "Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó portais eternos, para que entre o Rei da Glória"?

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do Dia: “Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus; e, de fato, somos filhos de Deus. Por essa razão, o mundo não nos conhece, porquanto não o conheceu a ele mesmo. Amados, agora, somos filhos de Deus.” (1João 3.1-2)
” Vede que grande amor nos tem concedido o Pai.” Pense naquilo que éramos e no que agora somos, quando a corrupção ainda se mostra poderosa em nós, e você se admirará de nossa adoção. Apesar disso, somos chamados “filhos de Deus”. Que sublime é o relacionamento de um filho, e que privilégios estão incluídos neste relacionamento! Quanto cuidado e ternura o filho espera de seu pai, e quanto amor o pai sente pelo filho! Mas tudo isso, e mais do que isso, nós temos agora em Cristo Jesus. No tocante aos sofrimentos temporários, que experimentamos por causa de nosso Irmão mais velho, nós os aceitamos como honra.
“O mundo não nos conhece, porquanto não o conheceu a ele mesmo.” Alegramo-nos em sermos desconhecidos juntamente com Ele, em sua humilhação, porque seremos exaltados com Ele. “Amados, agora, somos filhos de Deus.” Lemos isto com facilidade, mas não o sentimos com a mesma facilidade. Como está o seu coração hoje? Você se encontra no mais profundo vale de tristeza? A sua confiança quase fracassou? Não tema, você não tem de viver por intermédio de seus sentimentos. Tem de viver simplesmente por meio da fé em Cristo Jesus.
Com todas estas coisas contra nós – no mais profundo de nossa dor, onde quer que estejamos -“agora”, tanto no vale como na montanha, “somos filhos de Deus”. Talvez você diga: “Oh! Veja como estou! Minhas graças não resplandecem, e minha retidão não brilha com glória visível!” Espere, leia o versículo 2: 11: “Ainda não se manifestou o que haveremos de ser. Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele”. O Espírito Santo purificará nossa mente, e o poder de Deus refinará nossos corpos; então, nós O veremos como Ele é.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Todo Dia Com Paz

E ainda dizes: Eu estou inocente; certamente, a sua ira se desviou de mim. Eis que entrarei em juízo contigo, porquanto dizes: Não pequei
(Jeremias 2:35).

O PADRÃO DE DEUS

A suposição de que se viver uma vida justa vai obter o favor de Deus, de forma que Ele não vai condenar uma pessoa, é ainda uma crença comum hoje em dia, 2.500 anos depois do profeta Jeremias registrar o versículo acima. É na verdade uma falácia fatal. Isso não tinha nenhuma influência nos dias de Jeremias. Deus se opunha a isso ao declarar a razão do por que Ele iria julgar quem quer que alegue ser inocente. Desde que o veredicto de Deus sobre a humanidade é "todos pecaram" (Romanos 3:23), quem pode ousar afirmar que é uma exceção?
Não subestime o padrão de justiça de Deus. Nada menos do que a perfeição vai satisfazê-Lo. Ele não fechará os olhos para as nossas falhas. Nem abaixará Seu padrão para um nível que nos satisfaça. Nosso Deus onisciente tem um conhecimento profundo de toda a nossa vida com todas as nossas falhas. Quem assume que Deus não pode imputar pecado contra ele está se dirigindo para o julgamento. A prova do erro de cada pecador então lhe será óbvia; ele vai receber uma justa sentença: a condenação eterna no inferno.
O nosso Deus é, no entanto, gracioso. Ele quer que todos sejam salvos. É por isso que Ele enviou Seu Filho para ser o Salvador do mundo (1 Timóteo 2:4; 1 João 4:14). Jesus Cristo levou o justo juízo de Deus sobre o pecado, morrendo por pecadores perdidos na cruz. Mas todos devem reconhecer a sua culpa diante de Deus e confiar na obra de Cristo, pessoalmente, para a salvação. Isto é exatamente o que Paulo pregou: "A conversão a Deus e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo" (Atos 20:21).

Doações para manutenção

Banco Bradesco
Ag. 1804-0 c/c 00585785

Banco Bradesco
Ag.1804-0 conta poupança 1008973-5