terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Pérolas Diárias



31 de Janeiro

"Em todas estas cousas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou." (Romanos 8.37)
Há alguns anos foi lançado em Israel um selo postal em homenagem aos soldados que tombaram na guerra. O selo mostrava um soldado com um capacete e um manto de oração. Será possível simbolizar de maneira mais precisa o poder da oração? Dificilmente. Aquele que ora luta – e o lutador ora. Nossa batalha espiritual é um verdadeiro golpe no ar quando não oramos. Se sua vida de oração não acompanha a luta que lhe foi designada, você vai ser derrotado. Ai de nós se anunciarmos a Palavra de Deus sem que antes tenhamos batalhado de joelhos.
Todos os filhos de Deus são reis e sacerdotes, mas em um ministério que deveria ser real e sacerdotal, às vezes, existe uma grande falta da santa influência do Senhor. Eu temo que, em nossas atividades para o Senhor, existam demais características da maneira baixa, agitada e calculista dos empresários de nossos dias. Quem tem algo a dizer ou a fazer no Reino de Deus, quem tem uma incumbência do Senhor ou um cargo importante só consegue ser um servo de Cristo e não de homens quando leva uma vida de oração. Por isso, ore! Ore exatamente naquelas situações em que você está diante de um caso insolúvel, quando está tomado de profundo abatimento, pois está escrito: "No dia em que eu clamei, tu me acudiste, e alentaste a força de minha alma."

Cinco propósitos do sofrimento

Versículo do dia: Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. (Romanos 8.28)
Raramente nós conhecemos as micro razões de nossos sofrimentos, mas a Bíblia nos dá macro razões que sustentam a fé.
É bom termos uma maneira de nos lembrar de algumas delas para que, quando de repente formos afligidos ou tenhamos a chance de auxiliar outros em sua aflição, possamos lembrar de algumas das verdades que Deus nos deu para nos ajudar a não perdermos a esperança.
Aqui está uma maneira de lembrar: cinco palavras (ou se ajudar, escolha três e tente embra-las).
Os macro propósitos de Deus em nossos sofrimentos incluem:
Arrependimento: O sofrimento é um chamado para que nós e outros deixemos de valorizar qualquer coisa na terra acima de Deus. Lucas 13.4-5:
“Ou cuidais que aqueles dezoito sobre os quais desabou a torre de Siloé e os matou eram mais culpados que todos os outros habitantes de Jerusalém? Não eram, eu vo-lo afirmo; mas, se não vos arrependerdes, todos igualmente perecereis.”
Confiança: O sofrimento é um chamado para confiar em Deus e não nos suportes que sustentam a vida do mundo. 2Coríntios 1.8-9:
“Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a natureza da tribulação que nos sobreveio na Ásia, porquanto foi acima das nossas forças, a ponto de desesperarmos até da própria vida. Contudo, já em nós mesmos, tivemos a sentença de morte, para que não confiemos em nós, e sim no Deus que ressuscita os mortos.”
Justiça: O sofrimento é a disciplina do nosso amoroso Pai celestial, para que possamos compartilhar sua santidade. Hebreus 12.6, 10-11:
“Porque o Senhor corrige a quem ama e açoita a todo filho a quem recebe… Deus, porém, nos disciplina para aproveitamento, a fim de sermos participantes da sua santidade. Toda disciplina, com efeito, no momento não parece ser motivo de alegria, mas de tristeza; ao depois, entretanto, produz fruto pacífico aos que têm sido por ela exercitados, fruto de justiça.”
Galardão: O sofrimento está operando para nós um grande galardão no céu que compensará mil vezes cada perda aqui. 2Coríntios 4.17:
“Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação.”
Lembrança: O sofrimento nos lembra que Deus enviou seu Filho ao mundo para sofrer, para que o nosso sofrimento não fosse uma condenação divina, mas a sua purificação. Filipenses 3.10:
“…para o conhecer, e o poder da sua ressurreição, e a comunhão dos seus sofrimentos.”
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 21 de Janeiro – A âncora da alegria. © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Pérolas Diárias



30 de Janeiro

"Se, porém, andarmos na luz como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado." (1 João 1.7)
Certa vez, quando me encontrava sobre o Atlântico voando para casa após uma série de conferências nos Estados Unidos, notei claramente: quando se voa da América para a Europa, vamos em direção à luz, uma vez que, no continente europeu, onde vivo, o dia amanhece sete horas antes. Durante o vôo, notei de repente que deixávamos para trás a escuridão, negra como betume, e voávamos diretamente para dentro da luz do dia.
Espiritualmente, como é importante para um filho de Deus que seu caminho vá em direção à luz e não em sentido contrário! E é igualmente importante na sua e na minha vida de fé que fujamos da escuridão. "Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor." Fuja da escuridão! O Senhor fala que Seu servo Jó "se desvia do mal". Este é um segredo da vitória: escapar e fugir do mal e se colocar na presença do Senhor Jesus, que a tudo ilumina. Apresse-se em direção à luz! Fuja da escuridão, pois o Senhor em breve virá!

Graça prevalecente

Versículo do dia: “Tenho visto os seus caminhos e o sararei; também o guiarei e lhe tornarei a dar consolação, a saber, aos que dele choram…” (Isaías 57.18)
Aprenda sua doutrina a partir de textos bíblicos. É melhor assim e alimenta a alma.
Por exemplo, aprenda a graça irresistível a partir dos textos. Desta forma, você verá que não significa que a graça não pode ser resistida; significa que quando Deus escolhe, ele pode e vai vencer essa resistência.
Em Isaías 57.17-19, por exemplo, Deus castiga o seu povo rebelde, ferindo-os e escondendo a sua face deles: “Por causa da indignidade da sua cobiça, eu me indignei e feri o povo; escondi a face e indignei-me” (versículo 17).
Porém, eles não responderam com arrependimento. Em vez disso, eles continuaram a retroceder. Eles resistiram: “mas, rebelde, seguiu ele o caminho da sua escolha” (versículo 17).
Assim, a graça pode ser resistida. De fato, Estêvão disse aos líderes judeus: “vós sempre resistis ao Espírito Santo” (Atos 7.51).
Então, o que Deus faz? Ele é incapaz de trazer aqueles que resistem ao arrependimento e à integridade? Não. O próximo versículo diz: “Tenho visto os seus caminhos e o sararei; também o guiarei e lhe tornarei a dar consolação, a saber, aos que dele choram” (versículo 18).
Assim, diante de um retrocesso recalcitrante e que resiste à graça, Deus diz: “Eu o sararei”. Ele “restaurará” — a palavra é “farei íntegro ou completo”. Ela está relacionada com a palavra shalom, “paz”. Essa integridade e paz é mencionada no versículo seguinte, que explica como Deus se aproxima de alguém que retrocede e resiste à graça.
Ele faz isso “como fruto dos seus lábios criei a paz, paz (shalom, shalom) para os que estão longe e para os que estão perto, diz o SENHOR, e eu o sararei” (versículo 19). Deus cria o que não existe. É assim que nós somos salvos. E é assim que somos convertidos dos nossos desvios.
A graça de Deus triunfa sobre nossa resistência ao criar louvor onde não existia. Ele traz shalom, shalom para o que está perto e para o que está longe. Integridade para o que está perto e para o que está longe. Ele faz isso “curando”, ou seja, substituindo a doença da resistência pela saúde da submissão.
A essência da graça irresistível não é que não podemos resistir. Nós podemos e nós resistimos. O ponto é que quando Deus escolhe, ele supera nossa resistência e restaura um espírito submisso. Ele cria. Ele diz: “Haja luz!”. Ele cura. Ele guia. Ele restaura. Ele consola.
Portanto, nunca nos orgulhemos de termos retornado de nossos desvios. Nós caímos sobre as nossas fazes diante do Senhor e com alegria tremente agradecemos por sua graça irresistível.
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 30 de Janeiro – Graça prevalecente. © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.

domingo, 29 de janeiro de 2017

Pérolas Diárias



29 de Janeiro

"Ouve, povo meu, quero exortar-te. " Israel, se me escutasses!" (Salmo 81.8)
A admoestação de Deus – para Israel na antigüidade e para nós hoje – começa assim: "Ouve"! Por que o Senhor nos chama a atenção? Pais e mães têm a experiência de que seus filhos, em uma certa idade, têm dificuldade em escutá-los, porque de antemão já acham que sabem das coisas melhor do que seus pais. De certa forma, isso também acontece espiritualmente, no relacionamento dos filhos de Deus com o Pai celestial. Quando o Senhor chama a atenção duas vezes: "Ouve... se me escutasses..." Ele ainda não fala da obediência propriamente dita, mas do simples ouvir. Se aprendêssemos a ouvir melhor, a plenitude de Deus poderia se manifestar de maneira mais clara em nós. Aquietar-se interiormente e ouvir, simplesmente escutar, é extraordinariamente importante. Aí fazemos experiências que não se conseguem com esforço nem com muita dedicação. Em Isaías 55.2-3 está escrito: "Porque gastais o dinheiro naquilo que não é pão: e o vosso suor naquilo que não satisfaz? Ouvi-me atentamente, comei o que é bom, e vos deleitareis com finos manjares. Inclinai os ouvidos, e vinde a mim; ouvi, e a vossa alma viverá." Se o Senhor salienta isso tantas vezes, esse deve ser um assunto de grande importância. Quanto tempo você parou para ouvir o Senhor hoje?

Converte-nos

Versículo do dia: Converte-nos, ó Senhor, para que possamos ser convertidos! (Lamentações 5.21, tradução própria)
Não há esperança para o povo de Deus, a menos que Deus os converta de seus desvios e queda no pecado e incredulidade.
O livro de Lamentações é o livro mais sombrio da Bíblia. O próprio Deus havia dizimado a menina dos seus olhos.
 • “Deu o SENHOR cumprimento à sua indignação, derramou o ardor da sua ira; acendeu fogo em Sião, que consumiu os seus fundamentos” (Lamentações 4.11).
 • “Destruiu tudo o que era formoso à vista” (Lamentações 2.4).
 • “O SENHOR a afligiu, por causa da multidão das suas prevaricações” (Lamentações 1.5).
Então, como o livro termina?
Ele termina com a única esperança que existe:
Converte-nos, ó Senhor, para que possamos ser convertidos.
Essa é minha única esperança, e sua única esperança.
Jesus disse a Pedro: “Simão, Simão, eis que Satanás vos reclamou para vos peneirar como trigo! Eu, porém, roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; tu, pois, quando te converteres, fortalece os teus irmãos” (Lucas 22.31-32).
Não se você se converter. Mas, quando você se converter.
Cristo Jesus é aquele que está à destra de Deus, quem de fato está intercedendo por nós (Romanos 8.34).
Ele nos converterá. Logo, “àquele que é poderoso para vos guardar de tropeços… seja a glória, majestade, império e soberania, antes de todas as eras, e agora, e por todos os séculos” (Judas 1.24-25).
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 29 de Janeiro – Converte-nos. © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.

sábado, 28 de janeiro de 2017

Pérolas Diárias



28 de Janeiro

"Cantai de júbilo a Deus, força nossa; celebrai o Deus de Jacó. Salmodiai e fazei soar o tamboril, a suave harpa com o saltério." (Salmo 81.1-2)
A Palavra de Deus é tão atemporal, tão próxima da realidade atual porque é a Palavra eterna para todos os tempos. Na passagem acima, o povo de Israel é conclamado a se alegrar, a cantar e a tocar todo tipo de instrumentos. Existem inúmeras passagens bíblicas que fazem o povo se recordar da libertação que Deus lhes deu. No Salmo 81.7, o Senhor lembra o Seu povo de como Ele ouve orações: "Clamaste na angústia e te livrei; do recôndito do trovão eu te respondi, e te experimentei junto às águas de Meribá."
Por que o Senhor nos lembra continuamente de coisas passadas? Por que Ele ordenou a Israel que contasse aos filhos e aos filhos dos filhos Suas obras maravilhosas e mandou escrever Seus mandamentos nos umbrais das casas? Exatamente por que Ele sabe o quanto somos esquecidos. E é por esta razão que Deus recorda Seu povo de que Ele ouve orações. A realidade de que não oramos muito mais do que o fazemos é uma prova de que somos esquecidos e que relaxamos, e aí o inimigo ainda consegue nos enganar. Mas o Senhor quer ouvir e responder agora às nossas orações porque Ele é o Eterno e Imutável. Ele ouve o clamor dos justos e faz aquilo que desejam os que temem a Deus.

Como arrepender-se

Versículo do dia: Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. (1João1.9)
Um sentimento vago e ruim de que você é uma pessoa miserável não é o mesmo que convicção de pecado. Sentir-se arruinado não é o mesmo que arrependimento.
Nessa manhã, comecei a orar e me senti indigno de estar falando com o Criador do universo. Esse foi um vago senso de indignidade. Então, eu disse a ele: e agora?
Nada mudou até que comecei a ser específico sobre meus pecados. Sentimentos de miséria podem ser úteis se levam à convicção de pecados. Sentimentos vagos de ser uma pessoa má não são muito úteis.
O nevoeiro da indignidade precisa tomar forma de claros pilares sombrios de desobediência. Assim, você pode apontar para eles, arrepender-se, pedir perdão e buscar destruí-los.
Então, comecei a lembrar dos mandamentos que frequentemente quebrei. Esses são os que me vieram à mente.
  • Ame a Deus com todo seu coração, alma, mente e força. Não 95%, mas 100% (Mateus 22.37).
  • Ame o seu próximo como a si mesmo. Esteja tão desejoso que as coisas ocorram bem para ele quanto é para que as coisas vão bem para você (Mateus 22.39).
  • Faça todas as coisas sem murmurar. Nenhuma murmuração — interior ou exterior (Filipenses 2.14).
  • Lance todas as suas ansiedades nele — de forma que você não seja mais abatido por isso (1Pedro 5.7).
  • Diga apenas aquilo que dá graça aos outros — especialmente àqueles mais próximos de você (Efésios 4.29).
  • Remir o tempo. Não desperdice ou seja ocioso (Efésios 5.16).
Muito para qualquer pretensão de grande santidade! Estou desfeito.
Mas agora é específico. Eu olho nos olhos. Eu não estou reclamando sobre me sentir mal. Peço desculpas a Cristo por não ter guardado tudo o que ele ordenou.
Estou quebrantado e estou zangado com o meu pecado. Eu quero matá-lo, não a mim. Eu não sou suicida. Eu sou um odiador e assassino do pecado. (“Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena”, Colossenses 3.5; “Mortificardes os feitos do corpo”, Romanos 8.13).
Neste conflito, ouço a promessa: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça” (1João 1.9). A paz surge.
A oração se torna possível, correta e poderosa novamente.
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 28 de Janeiro – Como arrepender-se. © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Pérolas Diárias



27 de Janeiro

"Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar." (1 Pedro 5.8)
Como cristãos, temos lutas diárias, grandes e pequenas, interiores e exteriores. Quando essas lutas se tornam cada vez mais fortes, mesmo que tenhamos recebido o perdão dos pecados, deveríamos saber que elas vêm diretamente de Satanás, nosso inimigo mortal. Mas nós, que temos o Senhor Jesus em nosso coração, podemos resistir vitoriosamente a Satanás pela fé. Pela fé – mas como, se eu sou fraco e miserável, se não consigo crer em mais nada, se nada mais sinto a não ser escuridão ao meu redor? Será esta a sua queixa? Então Tiago nos dá a maravilhosa resposta: "...resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Chegai-vos a Deus e ele se chegará a vós outros." Assim, resistindo a Satanás, você pode se aproximar de Deus, pois o caminho para o interior do santuário, à presença de Deus, está livre: "Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus... e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus, aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo os corações purificados de má consciência, e lavado o corpo com água pura."

Ele conhece a sua necessidade

Versículo do dia:Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos? Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas. (Mateus 6.31-32)
Jesus deseja que seus seguidores sejam livres da preocupação. Em Mateus 6.25-34, ele dá pelo menos sete argumentos com o propósito de remover a nossa ansiedade. Um deles lista comida, bebida e roupas, e então diz: “vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas” (Mateus 6.32).
Jesus deve intencionar que o conhecimento de Deus é acompanhado por seu desejo de satisfazer nossa necessidade. Ele está enfatizando que temos um Pai e que este Pai é melhor do que um pai terreno.
Eu tenho cinco filhos. Eu amo satisfazer suas necessidades. Porém, meu conhecimento fica aquém de Deus em pelo menos três maneiras.
Em primeiro lugar, agora mesmo eu não sei onde eles estão. Eu poderia presumir. Eles estão em suas casas, no trabalho ou na escola, saudáveis ​​e seguros. Mas, eles podem estar caídos em uma calçada tendo um ataque cardíaco.
Em segundo lugar, eu não sei o que está no coração deles em um dado momento. Eu posso imaginar de vez em quando. Porém, eles podem estar sentindo medo, dor, raiva, luxúria, ganância, alegria ou esperança. Eu não consigo ver seus corações.
Em terceiro lugar, eu não conheço o futuro deles. Agora, eles podem parecer bem e estáveis. Porém, amanhã uma grande tristeza pode vir sobre eles.
Isso significa que eu não posso ser para eles uma razão muito forte para que não se preocupem. Há coisas que podem estar acontecendo com eles agora ou podem acontecer amanhã que eu não conheço. Mas, é totalmente diferente com Pai celestial deles. Ele sabe tudo sobre eles agora e amanhã, por fora e por dentro. Ele vê todas as necessidades.
Acrescente a isso, sua enorme disposição em atender às necessidades deles (o “quanto mais” de Mateus 6.30).
Adicione a isso sua completa capacidade de fazer o que deseja (ele alimenta bilhões de aves por hora, Mateus 6.26).
Então, junte-se a mim, confiando na promessa de Jesus de satisfazer as nossas necessidades. É isso que Jesus está indicando quando diz: “Vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas”.
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 27 de Janeiro – Ele conhece a sua necessidade. © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Pérolas Diárias



26 de Janeiro

"Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá." (João 11.25)
Que maravilhosa promessa para filhos de Deus! O cristão vive na eternidade, pois ele tem a vida eterna dentro de si. Quando ele fechar seus olhos aqui na terra, "não verá a morte", conforme a afirmação e a promessa do Senhor Jesus. Só Jesus Cristo tem o poder de ignorar a morte como se ela não existisse. Sobre a filhinha de Jairo, Jesus disse: "...não está morta a menina, mas dorme"; e a respeito de Lázaro, Seu amigo que havia falecido, Jesus disse: "Nosso amigo Lázaro adormeceu." Paulo diz que estão dormindo os crentes renascidos que esperam pelo arrebatamento, mas não estão mais sobre a terra. Isso significa que, quanto à sua existência terrena, eles dormem, mas estão vivos diante do trono de Deus. Jesus Cristo nos garantiu isso com Sua ressurreição. "Onde está, ó morte, a tua vitória? onde está, ó morte, o teu aguilhão?"Jesus Cristo realmente ressuscitou, então podemos dizer que, quando um filho de Deus falece, tal pessoa não morreu; mas vive no paraíso em felicidade inexprimível.

O doador obtém a glória

Versículo do dia: Por isso, também não cessamos de orar por vós, para que o nosso Deus vos torne dignos da sua vocação e cumpra com poder todo propósito de bondade e obra de fé, a fim de que o nome de nosso Senhor Jesus seja glorificado em vós, e vós, nele, segundo a graça do nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo. (2Tessalonicenses 1.11-12)
É uma boa notícia que Deus designa que sua glória seja magnificada pelo exercício de sua graça.
Certamente, Deus é glorificado pelo poder de sua ira (Romanos 9.22), mas repetidamente o Novo Testamento (e o Antigo Testamento; por exemplo, em Isaías 30.18) diz que devemos experimentar a graça de Deus para que ele seja glorificado.
Reflita sobre como isso funciona na oração de 2Tessalonicenses 1.11-12.
Paulo ora para que Deus cumpra as nossas boas resoluções.
Como? Ele ora para que elas sejam realizadas “com poder [de Deus]”. Ou seja, que elas sejam “[obras] de fé”.
Por quê? Para que Jesus seja glorificado em nós.
Isso significa que o doador recebe a glória. Se realizarmos uma boa resolução “pelo seu poder”, ele recebe a glória. Nós temos fé; Ele concede poder. Nós recebemos a ajuda; ele é glorificado. Esse é o acordo que nos mantém humildes e felizes e o mantém supremo e glorioso.
Então, Paulo diz que esta glorificação de Cristo é “segundo a graça do nosso Deus e do Senhor Jesus”.
A resposta de Deus à oração de Paulo para que confiemos no poder de Deus para fazer boas obras é graça. O poder de Deus para que você seja capacitado a fazer o que se propõe é graça.
É assim que ocorre no Novo Testamento repetidamente. Confie em Deus para capacitação graciosa, e ele recebe a glória quando a ajuda vier.
Nós recebemos a ajuda. Ele recebe a glória.
É por isso que a vida cristã, e não apenas a conversão cristã, é uma boa notícia.
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 21 de Janeiro – A âncora da alegria. © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Pérolas Diárias



25 de Janeiro

"Bendito o homem que confia no Senhor, e cuja esperança é o Senhor." (Jeremias 17.7)
Temos de aprender a confiar total e incondicionalmente no Senhor: "...ele é escudo para todos os que nele se refugiam." Decepções com as pessoas com as quais convivemos não deveriam nos levar à amargura, mas nos conduzir à correção e à convicção: "Não confiei no Senhor, me agarrei em pessoas." Quando desmorona tudo aquilo que você construiu como infra-estrutura durante toda a sua vida, não desanime. As Sagradas Escrituras advertem: "Não abandoneis, portanto, a vossa confiança; ela tem grande galardão." Deus vai derrubando mais e mais as escoras terrenais em que nos apoiamos, para que tenhamos a Jesus, a Jesus somente!
Não é por acaso que Abraão se tornou o pai da fé. Deus foi tirando dele todas aquelas coisas nas quais ele se apoiava. Na época em que vivemos agora, a qual vai ficando cada vez mais escura por estarmos nos tempos finais, temos muitas oportunidades de honrar ao Senhor através de uma confiança sem restrições. Por isso, oremos assim:"Socorro, Senhor! porque já não há homens piedosos; desaparecem os fiéis dentre os filhos dos homens."

Livramentos tardios

Versículo do dia: De repente… abriram-se todas as portas, e soltaram-se as cadeias de todos. (Atos 16.26)
Nesta era, Deus livra o seu povo de alguns danos. Não de todos os danos. É reconfortante saber disso, porque de outra forma poderíamos concluir do nosso mal que ele nos esqueceu ou nos rejeitou.
Portanto, seja encorajado pela simples lembrança de que em Atos 16.19-24, Paulo e Silas não foram libertos, mas nos versículos 25-26, eles foram.
Primeiro, nenhuma libertação:
 • “Agarrando em Paulo e Silas, os arrastaram para a praça” (versículo 19).
 • “E os pretores, rasgando-lhes as vestes” (versículo 22).
•  “E, depois de lhes darem muitos açoites” (versículo 23).
 • O carcereiro “lhes prendeu os pés no tronco” (versículo 24).
Mas, depois, livramento:
“Por volta da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam louvores a Deus… De repente, sobreveio tamanho terremoto, que sacudiu os alicerces da prisão; abriram-se todas as portas, e soltaram-se as cadeias de todos” (versículos 25-26).
Deus poderia ter agido mais cedo. Não o fez. Ele tem suas razões. Ele ama Paulo e Silas.
Eu pergunto para você: Se traçar sua vida ao longo dessa sequência, onde você está? Está no estágio despido-e-ferido ou no estágio portas-abertas-e-liberto?
Ambos são estágios do cuidado de Deus por você.
Se você está no estágio encarcerado, não se desespere. Louve. A liberdade está a caminho. É apenas uma questão de tempo; mesmo se ela vier através da morte.
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 25 de Janeiro – Livramentos tardios. © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Pérolas Diárias



24 de Janeiro

"...E que, havendo feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as cousas, quer sobre a terra, quer nos céus." (Colossenses 1.20)
O mundo todo se encontra em oposição a Israel porque foi lá que Deus fez a paz através do sangue de Jesus Cristo na cruz do Calvário. Ele é a nossa paz! Essa é, em última análise, a razão por que o mundo rejeita Israel e diz não ao Filho de Deus que veio e que voltará, e diz não à paz que vem de Deus. Pois Jesus não é apenas a nossa paz, Ele também é a luz do mundo. Paz sem luz não existe. Em Jesus Cristo se reúnem a Palavra, a luz e a paz. Ele é a Palavra que se fez carne. Ele é a luz. Ele é a nossa paz. "Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para os meus caminhos."
A Palavra nos ilumina e nos corrige, e é dessa maneira que conseguimos chegar à cruz do Calvário. É ali que, à luz da Palavra de Deus, através do sangue do Cordeiro, somos purificados de todos os nossos pecados, e assim a paz de Deus enche o nosso coração. Ao nosso redor, a tempestade continuará a rugir, mas em meio à fúria da tempestade podemos estar transbordantes da paz de Deus!

Servido ao servir outros

Versículo do dia: Jesus, percebendo-o, lhes perguntou: Por que discorreis sobre o não terdes pão? Ainda não considerastes, nem compreendestes? Tendes o coração endurecido? (Marcos 8.17)
Depois que Jesus alimentou os cinco mil e os qutro mil com apenas alguns pães e peixe, os discípulos entraram em um barco sem pão suficiente para si mesmos.
Quando começaram a discutir sobre a sua situação, Jesus disse: “Por que discorreis sobre o não terdes pão? Ainda não considerastes, nem compreendestes?” (Marcos 8.17). O que eles não entenderam?
Eles não entenderam o significado das sobras, ou seja, que Jesus cuidará deles quando cuidam de outros. Jesus diz:
“De quando parti os cinco pães para os cinco mil, quantos cestos cheios de pedaços recolhestes? Responderam eles: Doze! E de quando parti os sete pães para os quatro mil, quantos cestos cheios de pedaços recolhestes? Responderam: Sete! Ao que lhes disse Jesus: Não compreendeis ainda? (Marcos 8.19-21)
Entender o quê? As sobras.
As sobras foram para aqueles que serviram. Na verdade, na primeira vez havia doze servidores e doze cestos restantes (Marcos 6.43). Na segunda vez, sobraram sete cestos: o número da completude abundante.
O que eles não entenderam? Que Jesus cuidaria deles. Você não pode dar mais do que Jesus. Quando você gasta sua vida por outros, suas necessidades serão atendidas.
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 24 de Janeiro – Servido ao servir outros. © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Pérolas Diárias



23 de Janeiro

"Por que se enfurecem os gentios e os povos imaginam cousas vãs?" (Salmo 2.1)
Os atuais acontecimentos políticos parecem um turbilhão. Os fatos se sucedem de maneira vertiginosa. Tudo está em movimento. Quando ficamos observando esse furacão podemos ficar perturbados e entrar em pânico. A fúria das pessoas e dos povos é cada vez maior. Grita-se por justiça social, mas se continua sendo egoísta na vida pessoal. Nos protestos se clama pela paz, mas individualmente não temos paz com Deus. Esta é a fatal contradição: dizemos "Paz, paz", mas não há paz.
Será que em seu coração também se encontra esta contradição fatal? Será que você exige de outros aquilo que você também não tem? As desesperadas tentativas de construir um mundo melhor através do esforço humano estão aumentando. Mas elas estão condenadas ao fracasso porque os povos se voltam contra a nação que intermediou a paz na terra através de Jesus Cristo – o povo de Israel. Esta é, em essência, a crise mundial de nossos dias. Mas escondido no turbilhão dos acontecimentos políticos mundiais se acha o suave sopro divino. A verdadeira paz, o reino de paz, e o Príncipe da paz vão chegar, e vão chegar em Israel. Hoje Satanás tenta se antecipar a esse acontecimento, e é por isso que tudo aquilo que tem aparência de paz hoje em dia é apenas uma paz enganadora e uma felicidade aparente.

Vá diretamente a Deus

Versículo do dia: Naquele dia, pedireis em meu nome; e não vos digo que rogarei ao Pai por vós. Porque o próprio Pai vos ama, visto que me tendes amado e tendes crido que eu vim da parte de Deus. (João 16.26-27)
Não faça do Filho de Deus um Mediador além do que ele é.
Jesus diz: “Não vos digo que rogarei ao Pai por vós”. Em outras palavras, não me colocarei entre vós e o Pai, como se vós não pudésseis ir diretamente a ele. Por quê? “Porque o próprio Pai vos ama”.
Isso é surpreendente. Jesus está nos advertindo a não pensar no Deus Todo-Poderoso como indisposto a nos receber diretamente em sua presença. Por “diretamente” intenciono o que Jesus quis indicar quando disse: “Eu não levarei os seus pedidos a Deus por vocês. Vocês poderão levá-los diretamente. Ele os ama. Ele quer que vocês venham. Ele não está irado com vocês”.
É absolutamente verdade que nenhum ser humano pecaminoso tem acesso ao Pai senão através do sangue de Jesus (Hebreus 10.19-20). Ele intercede por nós agora (Romanos 8.34; Hebreus 7.25). Ele é nosso advogado diante do Pai agora (1 João 2.1). Ele é nosso Sumo Sacerdote diante do trono de Deus agora (Hebreus 4.15-16). Ele disse: “Ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14.6).
Sim. Mas, Jesus está nos protegendo de considerar a sua intercessão além do limite. “E não vos digo que rogarei ao Pai por vós. Porque o próprio Pai vos ama”. Ele está lá. Ele está dando um testemunho constante e eterno da remoção da ira do Pai sobre nós.
Porém, ele não está lá para falar por nós, nem para nos manter afastados do Pai, nem para sugerir que o coração do Pai tem reservas para conosco ou nos despreza; por isso as palavras: “Porque o próprio Pai vos ama”.
Então venha. Venha com ousadia (Hebreus 4.16). Venha com expectativa. Venha esperando um sorriso. Venha tremendo de alegria, não de terror.
Jesus está dizendo: “Eu fiz um caminho para Deus. Agora, não ficarei no caminho”. Venha.
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 23 de Janeiro – Vá diretamente a Deus. © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.

domingo, 22 de janeiro de 2017

Pérolas Diárias



22 de Janeiro

"Porque o meu povo é inclinado a desviar-se de mim; se é concitado a dirigir-se acima, ninguém o faz." (Oséias 11.7)
Por que será que são tão poucos os cristãos que realmente levam uma vida do jeito que Deus quer? Em primeiro lugar, a conhecida preguiça espiritual é um dos empecilhos. Você não acompanha o ritmo do Senhor, mesmo sabendo que deveria andar e viver com Ele. Você fica para trás, é indolente e remisso na oração e em sua disposição para o ministério, e assim é interrompida a ligação orgânica com o Senhor Jesus. Distúrbios espirituais são o resultado disso. Em Hebreus 12.3 somos conclamados a não desmaiarmos, não ficarmos fatigados e cansados em nosso ânimo. O resultado dessa canseira espiritual é que nos tornamos insensíveis e apáticos para com a Palavra de Deus. Por isso o Senhor lamenta em Isaías 42.20: "Tu vês muitas coisas, mas não as observas; ainda que tens os ouvidos abertos, nada ouves." Essas palavras muito enérgicas ilustram a preguiça espiritual. Acordemos! Em 2 Pedro 1.3 temos a promessa de que nos foram dadas as melhores condições para que possamos viver da maneira que agrada a Deus: "Visto como pelo seu divino poder nos têm sido doadas todas as cousas que conduzem à vida e à piedade, pelo conhecimento completo daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude."

Nós governaremos todas as coisas

Versículo do dia: Ao vencedor, dar-lhe-ei sentar-se comigo no meu trono, assim como também eu venci e me sentei com meu Pai no seu trono. (Apocalipse 3.21)
O que Jesus intencionava quando disse isso à igreja de Laodicéia?
Sentar-se com Jesus no seu trono? Mesmo?
Essa é uma promessa para todos os que vencem, ou seja, aqueles que perseveram na fé até o fim (1 João 5.4), apesar de toda dor ameaçadora e prazer atrativo. Então, se você é um crente em Jesus, sentar-se-á no trono do Filho de Deus que está sentado no trono de Deus, o Pai.
Eu considero que “trono de Deus” significa o direito e a autoridade para governar o universo. Então, Jesus nos promete uma parte no governo de todas as coisas.
É isso que Paulo tem em mente em Efésios 1.22-23? “E pôs todas as coisas debaixo dos pés e, para ser o cabeça sobre todas as coisas, o deu à igreja, a qual é o seu corpo, a plenitude daquele que a tudo enche em todas as coisas”.
Nós, a igreja, somos a “plenitude daquele que a tudo enche”. Considero que isso significa que o universo será preenchido com a glória do Senhor (Números 14.21). E uma dimensão dessa glória será a extensão completa e sem oposição do seu governo em todos os lugares.
Portanto, Efésios 1.23 pode indicar que Jesus enche o universo com o seu próprio governo glorioso através de nós. Somos a plenitude do seu governo. Nós governamos em seu nome. Nesse sentido, nós nos sentamos com ele em seu trono.
Nenhum de nós sente isso como deveria. É grandioso. É por isso que Paulo ora por ajuda divina “[para que possam ser] iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do seu chamamento” (Efésios 1.18).
Sem o auxílio onipotente agora, não podemos sentir a maravilha do que seremos. Porém, se nos for concedido sentir isso verdadeiramente, todas as nossas reações emocionais a esse mundo mudarão para melhor.
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 22 de Janeiro – Nós governaremos todas as coisas. © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.

sábado, 21 de janeiro de 2017

Pérolas Diárias



21 de Janeiro

"Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo." (Filipenses 3.20)
A Bíblia parte do princípio de que nós, os que cremos no Senhor Jesus Cristo, já temos o céu mesmo estando ainda na terra. Não precisamos mais lutar para conseguir o céu; podemos viver a partir da certeza de que já temos uma pátria celestial. Mas como é que isso pode ser realizado aqui na terra? A resposta lemos em Colossenses 2.6: "Ora, como recebestes a Cristo Jesus, o Senhor, assim andai nele." Posso estar em Cristo e Ele estar em mim. É dessa maneira que eu ando nEle. Este é o andar nos céus. Jesus subiu aos céus com Seu corpo glorificado, onde agora está assentado à direita de Deus. Mas, ao mesmo tempo, Ele está na terra, só que em sentido inverso do nosso. Enquanto Ele se assenta ao lado do Pai literalmente, Ele habita em nossos corações pelo Espírito Santo, como diz Efésios 3.17: "...e assim habite Cristo nos vossos corações, pela fé."Assim conseguimos entender esse maravilhoso intercâmbio: enquanto que, com nosso corpo, ainda andamos sobre a terra, nosso espírito já está no céu. A conseqüência irrefutável é mencionada em 1 João 2.6: "...aquele que diz que permanece nele, esse deve também andar assim como ele andou."

Doações para manutenção

Banco Bradesco
Ag. 1804-0 c/c 00585785

Banco Bradesco
Ag.1804-0 conta poupança 1008973-5