segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Todo Dia Com Paz

Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus
(1 Coríntios 1:18).

A CRUZ DO CALVÁRIO

 A cruz do Calvário, na qual o Senhor Jesus morreu, é o ponto central da mensagem do evangelho. No momento em que Ele foi crucificado, toda a corrupção do coração do homem foi manifestada. Ali Alguém, que nunca tinha feito mal a ninguém mas só buscou o bem do homem e realizar a vontade de Deus, foi morto
Que culpa a humanidade acumulou com esse ato hediondo! No entanto, Deus fez dessa sentença de morte e sua execução o meio de revelar todo o Seu amor a nós. Embora matamos o Filho de Deus e devemos assumir total responsabilidade por isso, ao mesmo tempo Deus deu Seu Filho para ser o sacrifício expiatório na cruz, de modo que "todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" (João 3:16). Amor assim não podemos compreender, mas pela fé podemos aceitar a salvação oferecida a nós.
A cruz de Cristo é central para a história do mundo e também da eternidade. A vida de todos passa por ela, por assim dizer, pois todo mundo deve decidir por si mesmo se é a favor ou se continua contra Jesus Cristo. Aqueles que evitam uma decisão, alegando permanecerem neutros, se posicionam contra Ele.
No momento da crucificação diferentes pessoas cercaram a cruz: os líderes religiosos dos judeus, que haviam exigido Sua execução, mas também Seus familiares e conhecidos, aos quais Sua morte causou dor profunda. Você estava na cruz? Em desprezo e rejeição? Ou com os seus pecados? Ele sofreu e morreu por você. Você pode dizer: "Ele expiou meus pecados e me perdoou de tudo?"

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do dia: Renova dentro de mim um espírito inabalável. (Salmos 51.10)
Um crente que caiu em pecado, se há resquício de vida nele, gemerá por restauração. Esta restauração exige a mesma atividade da graça manifestada na conversão. Naquela ocasião, precisávamos de arrependimento; na restauração, o arrependimento certamente é necessário. Na conversão, precisávamos de fé, a fim de que pudéssemos ir a Cristo; na restauração, somente a mesma fé pode nos trazer de volta ao Senhor Jesus. Na conversão, queríamos uma palavra do Altíssimo, dos lábios do Amado, para acabar com nossos temores; logo descobriremos que, estando agora sob o sentimento de pecado presente, precisamos da mesma palavra. Nenhum homem pode ser renovado sem uma manifestação do poder do Espírito Santo, uma manifestação tão verdadeira e autêntica como a que ele teve na conversão, porque a renovação é uma obra poderosa, e a carne e o sangue estão tão envolvidos agora como sempre estiveram. Ó Crente, permita que sua fraqueza pessoal seja um argumento para fazê-lo orar sinceramente a seu Deus, suplicando-Lhe ajuda. Lembre-se: quando Davi se sentiu incapaz, ele não cruzou os braços nem calou a boca; ao invés disto dirigiu-se apressadamente ao trono da graça e clamou: “Renova dentro de mim um espírito inabalável” (Salmos 51.10). Não permita que lhe faça dormir, a doutrina que afirma ser você, desamparado, incapaz de agir; mas, faça com que este versículo se tome um lema a impulsioná-lo, com extraordinária prontidão, a buscar o grande Ajudador de Israel. “Senhor, renova dentro de mim um espírito inabalável”. Aquele que ora sinceramente a Deus, pedindo-Lhe que faça isso, provará sua honestidade por utilizar os meios pelos quais Deus age. Gaste muito tempo em oração. Viva na Palavra de Deus. Mortifique as concupiscência que o afastam do Senhor. Tenha o cuidado de manter-se em vigilância contra futuras manifestações do pecado. Assente-se à beira do caminho e prepare-se para quando o Senhor Jesus passar. Reconheça que todo o poder tem de vir do Senhor Jesus; não cesse de clamar: “Renova dentro de mim um espírito inabalável”.

domingo, 30 de outubro de 2016

Todo Dia Com Paz

Nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus e loucura para os gregos. Mas, para os que são chamados? Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus. Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens
(1 Coríntios 1:23-25).

UMA INSENSATEZ SÁBIA E UMA FRAQUEZA FORTE

Como se pode falar de "loucura de Deus" e "fraqueza de Deus"? Acaso Deus não é o Criador, o Todo-poderoso? Obviamente sim; mas para vir ao encontro de Sua criatura, o Filho de Deus se fez homem. Para salvar todos os que confiam n'Ele, o Senhor Jesus não utilizou Seu poder criador, mas aceitou morrer em uma cruz.
Essa é a mensagem da cruz. Para o mundo incrédulo, isso é uma insensatez, porém, para o crente, é poder e sabedoria de Deus.
Por quê? Porque pela morte de Jesus, o amor e a justiça de Deus triunfaram sobre as forças do mal e do ódio. Aquilo que os sábios e poderosos deste mundo nunca puderam produzir, ou seja, a liberação interior do mal, o Filho de Deus realiza dentro de todos aqueles que confiam n'Ele.
Pensemos na vida do Senhor Jesus. Nós sempre buscamos a independência e o poder, mas Deus se revelou em Jesus sob o caráter de humildade d'Aquele que serve, que não tinha onde reclinar a cabeça (Lucas 9:58). Jesus soube o que é sentir cansaço, sede, fome, suportar zombarias, ódio, injustiça, crucificação e morte. Mas permaneceu fiel em Sua vontade de honrar a Deus e de salvar os que confiam nEle. Por Sua morte nos revelou a força do perdão e o supremo poder do amor.
Os métodos humanos são completamente opostos aos divinos. O que o homem faz pela força e violência, Deus faz por amor, através de Seu Espírito: "Porque o que entre os homens é elevado perante Deus é abominação" (Lucas 16:15).

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do dia: Louvar-te-ei, SENHOR. (Salmos 9.1)
O louvor deve sempre acompanhar a oração respondida, assim como a névoa de gratidão terrena se levanta quando os raios de amor do sol celestial esquentam o solo. O Senhor tem sido gracioso para você, inclinando os ouvidos à voz do seu clamor? Então, louve-O enquanto você viver. Não deixe de louvar Aquele que tem respondido à sua súplica e satisfeito o desejo do seu coração. Ficar em silêncio a respeito das misericórdias de Deus significa incorrer no erro de ingratidão. Equivale a agir de modo tão desprezível como o fizeram os nove leprosos que, depois de curados da lepra, não retornaram para agradecer ao Senhor que lhes dera saúde completa.
O louvor, assim como a oração, é um dos mais nobres meios de promovermos o crescimento da vida espiritual. Ajuda-nos a remover os fardos, exercitar a esperança e aumentar a fé. O louvor é um exercício saudável e fortificante que renova o pulso do crente e o prepara para novos empreendimentos no serviço de seu Senhor. Bendizer a Deus pelas misericórdias recebidas é também o meio de beneficiar nossos semelhantes; “Os humildes o ouvirão e se alegrarão” (Salmos 34.2). Outros, que têm passado por circunstâncias semelhantes, receberão consolo, quando dissermos: “Engrandecei o SENHOR comigo, e todos, à uma, lhe exaltemos o nome… Clamou este aflito, e o SENHOR o ouviu e o livrou de todas as suas tribulações” (Salmos 34.3,6). Corações desanimados serão fortalecidos, e os crentes abatidos serão vivificados quando ouvirem nossas canções de libertação (Salmos 32.7). Serão repreendidas as dúvidas e medos deles, conforme ensinamos e admoestamos uns aos outros “com salmos, e hinos, e cânticos espirituais” (Colossenses 3.16). Eles também “cantarão os caminhos do SENHOR” (Salmos 138.5) quando nos ouvirem engrandecer o santo nome dele. Louvar é a mais santa das obrigações cristãs. Os anjos não oram, mas não cessam de louvar tanto de dia quanto de noite; e os remidos, usando vestiduras brancas, com folhas de palmeiras nas mãos, nunca se cansão de cantar a nova canção: “Digno é o Cordeiro” (Apocalipse 5.12).

sábado, 29 de outubro de 2016

Todo Dia Com Paz

O SENHOR tornará a alegrar-se em ti para bem? quando deres ouvidos à voz do Senhor? quando te converteres ao SENHOR, teu Deus, com todo o teu coração e com toda a tua alma
(Deuteronômio 30:9-10).

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE 2 CRÔNICAS (Leia 2 Crônicas 30:1-14)

coração entendido de Ezequias compreendeu que a Páscoa tinha de ser restabelecida. Deveria acontecer no segundo mês, como preconizado em Números 9:11. O grande coração de Ezequias abrange todo Israel, para o qual ele envia mensageiros? assim como o Senhor hoje difunde por toda parte Seu convite da graça. Será que o Senhor pode encontrar em você e em mim servos fiéis a quem confiar Suas preciosas mensagens? Qual é essa mensagem?: 1) "Voltai-vos ao Senhor" ? isso é arrependimento. 2) "Confiai-vos ao Senhor" ? isso é . 3) "Vinde ao seu santuário" ? busque o lugar onde Ele se faz presente. 4) "Servi ao Senhor" ? isso é devoção. Por fim: 5) Saiba que Ele é "misericordioso e compassivo" (v. 9). Tal mensagem encontrará muita resistência e zombaria.
A mensagem da graça é recebida por muitas pessoas com incredulidade e indiferença. Contudo, valeu a pena proclamá-la, pois alguns se humilharam e foram a Jerusalém onde havia uma grande congregação reunida. Ali, a congregação continuou a purificação que os levitas iniciaram. Os altares que Acaz fizera para si mesmo "em todos os cantos de Jerusalém" (28:24) foram jogados junto com todas a sujeira do templo no vale de Cedrom (29:16).

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do dia: Vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus. (Mateus 6.9)

Esta oração começa onde toda oração verdadeira deve começar -com o espírito de adoção: “Pai nosso”. Não haverá qualquer oração aceitável, enquanto não dissermos: “Levantarme-ei, e irei ter com o meu Pai” (Lucas 15.18). Este espírito de filho logo percebe a grandeza do Pai, “nos céus”, e ascende em piedosa adoração: “Santificado seja o teu nome” (Mateus 6.9). A criança balbuciando: “Aba, Pai” torna-se um anjo clamando: “Santo, Santo, Santo”. Há um único passo da adoração arrebatadora ao espírito missionário ardente, o qual é um renovo infalível do amor filial e adoração reverente. “Venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu” (v. 10). Em seguida, temos a sincera expressão de dependência de Deus: “O pão nosso de cada dia dá-nos hoje” (v. 11). Depois, iluminado pelo Espírito Santo, o crente que ora descobre que não é somente dependente, mas também pecador, por isso, ele implora à misericórdia “Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores” (v.12). O homem que está realmente perdoado se mostra ansioso por não ofender a Deus novamente. Possuir a justificação nos leva a um intenso desejo por santificação. “Perdoa-nos as nossas dívidas” (v. 12) -isto é justificação. “Não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal” (v. 13) -isto é santificação em suas formas negativa e positiva. Sendo perdoado, tendo a justiça de Cristo imputada e estando consciente de sua aceitação diante de Deus, o crente suplica humildemente em favor de sua perseverança: “Não nos deixes cair em tentação” (v. 13). Como resultado de tudo isso, surge um louvor triunfante: “Teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém!” (v. 13). Regozijamo-nos com o fato de que nosso Rei governa em providência e reinará em graça, desde o rio até aos confins da terra, e seu domínio não terá fim. Assim, este breve modelo de oração conduz a alma do senso de adoção à comunhão com o nosso Senhor, que reina. Senhor, ensina-nos a orar assim.

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Todo Dia Com Paz

Eis que, para minha paz, eu estive em grande amargura; tu, porém, tão amorosamente abraçaste a minha alma, que não caiu na cova da corrupção, porque lançaste para trás das tuas costas todos os meus pecados
(Isaías 38:17).

SEGURO NAS MÃOS DE DEUS

 Algum tempo atrás eu comecei uma conversa com um jovem. Ele estava extremamente abatido, mancava e tinha dificuldade em falar. Isso foi o resultado de um grave acidente de carro. Os médicos haviam desistido dele. O fato de que estava com vida era um dos milagres de Deus.
Ele me contou sua história, e acrescentou: "Eu agora leio a Bíblia todos os dias, oro muito e vou à igreja regularmente. Minha vida mudou completamente desde que coloquei minha fé em Jesus Cristo. Sinto-me seguro na mão de Deus".
Deus não só concedeu a esse jovem uma segunda vida, deu-lhe muito mais: a vida eterna.
 Essa foi a razão pela qual Ele enviou Seu Filho, Jesus Cristo, ao mundo: "Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" (João 3:16). Assim, o amargo sofrimento que quase custou a vida do nosso amigo provou ser o meio de sua salvação.
O Senhor disse certa vez que Deus o Pai atrai os homens para Ele. Este episódio me fez pensar nisso. Deus teve misericórdia com esse jovem, atraindo-o para se tornar um de Seus filhos. Quão terrível teria sido se ele tivesse adentrado a eternidade com a culpa de seus pecados. Mas agora todos eles estão perdoados. Deus os lançou no profundo abismo por amor de Cristo.
"Pois tu, Senhor, és bom, e pronto a perdoar, e abundante em benignidade para com todos os que te invocam" (Salmo 86:5).

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do dia: Não sois do mundo, pelo contrário, dele vos escolhi. (João 15.19)
Nestas palavras, encontramos graça distinguidora e consideração discriminadora, pois algumas pessoas são feitas objetos especiais das afeições de Deus. Não tenha medo de se firmar nesta sublime doutrina da eleição. Quando sua mente estiver sobrecarregada e oprimida, você perceberá que esta verdade é um frasco de calmante. Aqueles que duvidam das doutrinas da graça ou rejeitam-nas perdem ricos cachos de uvas; perdem os vinhos bem clarificados ou as mais ricas gloseimas. Não existe em Gileade bálsamo comparável a esta bênção. Se o mel do qual Jônatas se alimentou fez os seus olhos brilharem, ao ser apenas tocado, este é o mel que iluminará nosso coração para amar e aprender os mistérios do reino de Deus. Coma e não se preocupe em ficar cheio demais. Alimente-se continuamente, sem temor, desta iguaria especial. O alimento da mesa do Rei não prejudicará os súditos dele. Deseje ter uma mente dilatada para que compreenda mais e mais o amor eterno, permanente e discriminador de Deus. Quando você houver atingindo as alturas da eleição, demore-se em refletir sobre a doutrina irmã da eleição -a aliança da graça. Os compromissos da aliança da graça são as estupendas muralhas de rocha por trás das quais estamos abrigados. Os compromissos da aliança da graça, juntamente com o Fiador, o Senhor Jesus, são o lugar tranquilo para repouso de espíritos temerosos. Teu juramento, teu pacto, teu sangue, sustenta-me na enchente assoladora; e quando cede cada amparo terreal, Esta tranquilidade é minha força, meu suporte celestial. Se Jesus encarregou-se de trazer-me à glória; o Pai prometeu que me daria ao Filho como parte da infinita recompensa do penoso trabalho de sua alma; então, até que Deus se torne infiel ou o Senhor Jesus deixe de ser a verdade, a minha alma está em segurança. Após haver dançado perante a arca da aliança, Davi disse a Mical que a eleição o fez agir daquele modo. Venha, ó minha alma, exulte e alegre-se diante do Deus da graça.

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Todo Dia Com Paz

Quão amáveis são os teus tabernáculos, SENHOR dos Exércitos! A minha alma está anelante e desfalece pelos átrios do SENHOR; o meu coração e a minha carne clamam pelo Deus vivo.
Bem-aventurados os que habitam em tua casa; louvar-te-ão continuamente
(Salmo 84:1-2 e 4).

O ENCONTRO DA FAMÍLIA DE DEUS

É muito comum comparar a vida do ser humano com uma viagem; porém poucas vezes se fala de seu objetivo. Contudo, será que imaginaríamos viajar durante anos sem saber o destino?
O crente conhece seu destino final. Antes de deixá-los, o Senhor Jesus prometeu aos Seus discípulos: "Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito, pois vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também" (João 14:2-3). Estas palavras do Senhor Jesus nos dizem tudo o que nos é útil saber. Muitas outras passagens da Bíblia nos falam do paraíso ou da cidade celestial, alvo da carreira cristã.
Para o crente, o céu é a casa do Pai, a reunião da família de Deus, sua própria casa. Logo o Senhor Jesus virá buscar os que salvou e os levará ao lugar onde Ele mesmo vive.
Cada manhã, quando se levantava, certo pregador escocês tinha por costume sair à porta, levantar os olhos ao céu e exclamar: "Senhor Jesus, talvez o Senhor venha hoje!".
Sim, talvez seja hoje, e não esqueçamos que o Senhor Jesus ama tanto os Seus que deseja tê-los junto a Si.

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do dia: Fiel é esta palavra. (2 Timóteo 2.11)
Paulo fez quatro destas afirmações -“Fiel é esta palavra”. A primeira ocorre em 1 Timóteo 1.15: “Fiel é a palavra e digna de toda aceitação: que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores”. A segunda ocorre em 1 Timóteo 4.8, 9: “A piedade para tudo é proveitosa, porque tem a promessa da vida que agora é e da que há de ser. Fiel é esta palavra e digna de inteira aceitação”. A terceira ocorre em 2 Timóteo 2.11. A quarta afirmação se encontra em Tito 3.8: “Fiel é esta palavra … para que os que têm crido em Deus sejam solícitos na prática de boas obras”. Podemos estabelecer uma conexão entre estas afirmações de fidelidade. A primeira estabelece a graça gratuita de Deus como o fundamento de nossa eterna salvação, ao mostrar-nos a missão do Grande Redentor. A segunda revela os dois tipos de bênçãos que obtemos por meio desta salvação – as bênçãos temporais e as eternas. A terceira afirmação nos mostra um dos deveres aos quais, como povo escolhido, somos chamados. Somos ordenados a sofrer por Cristo, com a promessa de que, “se sofremos, também com ele reinaremos”. A quarta afirmação nos revela a forma ativa do serviço cristão, ordenando a praticarmos com diligência boas obras. Assim temos a raiz da salvação na graça gratuita; depois, os privilégios desta salvação na vida que agora é, e naquela por vir; e também temos os dois grandes ramos do sofrer com Cristo e servir com Cristo, carregados com frutos do Espírito. Entesoure estas afirmações. Permita que se tornem as diretrizes de sua vida, seu consolo e sua instrução. O apóstolo dos gentios comprovou que elas eram fiéis, e continuam sendo. Nenhuma palavra deixará de se cumprir. Todas elas são dignas de aceitação. Devemos aceitá-las agora e provar sua fidelidade. Que estas quatro afirmativas sejam gravadas nos quatro cantos de nossa casa.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Todo Dia Com Paz

Confessei-te o meu pecado e a minha maldade não encobri; dizia eu: Confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado
(Salmo 32:5).

"TODOS PECARAM"

 "Em geral, não sou pior do que as outras pessoas. Eu nunca fiz mal a qualquer pessoa, e Deus é bondoso. Ele vai fazer vista grossa para as minhas faltas leves e considerar meus sinceros esforços de viver retamente". ? Assim dizem ou pensam muitas pessoas.
Podemos até acreditar quando dizem que não são piores do que os outros. A questão é: quem são esses outros? A comparação que fazem com eles é um argumento válido aos olhos de Deus? Veja você, um dia todos nós daremos "conta de si mesmo a Deus" (veja Romanos 14:12). Então, os "outros" não terão nenhuma relação conosco. Em todo o caso, seria mais aconselhável confiar menos em nossa própria avaliação e prestar atenção ao veredicto de Deus, pois Ele é o Juiz Supremo. Sua Palavra diz: "Todos pecaram" (Romanos 3:23), e também que Deus não pode ignorar o pecado. Sua santidade exige que Ele deva julgar até mesmo o que nos parece insignificante.
Ao mesmo tempo, no entanto, Ele é um Deus que nos ama e nos deu um Salvador: o Seu Filho amado. Jesus Cristo voluntariamente tomou o nosso lugar no juízo divino plenamente em acordo com seu Pai. O pecado foi condenado na cruz do Calvário, onde o Senhor Jesus apagou o pecado de todos que confiam em Sua obra de expiação pela fé.
Nós nunca devemos pensar que Deus vai julgar os nossos pecados levemente, uma vez que Ele, particularmente, nos oferece os meios de obter o Seu completo perdão "gratuitamente" mediante a fé em Jesus Cristo.

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do dia: Esperastes o muito, e eis que veio a ser pouco, e esse pouco, quando o trouxestes para casa, eu com um assopro o dissipei. Por quê? -diz o SENHOR dos Exércitos; por causa da minha casa, que permanece em ruínas, ao passo que cada um de vós corre por causa de sua própria casa. (Ageu 1.9)

Muitos crentes limitam suas contribuições à igreja e aos esforços missionários, chamando essa limitação de boa economia. Eles nem imaginam que estão empobrecendo a si mesmos. A desculpa deles é que têm de cuidar de sua própria família, esquecendo, porém, que negligenciar a casa de Deus é a maneira segura de trazer ruína para seus próprios lares. Em sua providência, Deus tem um método pelo qual pode abençoar nossos esforços, além das expectativas, ou de frustrar nossos planos, a ponto de confundir-nos e desanimar-nos. Com um giro de sua mão, Ele pode guiar nosso barco num canal vantajoso ou encalhá-lo em escassez e bancarrota. As Escrituras ensinam que o Senhor enriquece os liberais e deixa os mesquinhos descobrirem que o reter conduz à pobreza. Numa ampla esfera de observação, tenho visto que os crentes mais generosos sempre têm sido os mais felizes e, invariavelmente, os mais prósperos. Os homens confiam aos bons administradores mais e mais quantias de dinheiro, e assim faz o Senhor. Ele dá em abundância aos que contribuem a mãos-cheias. Onde a riqueza não é guardada, o Senhor transforma o pouco em muito através do contentamento que o coração santificado sente, em proporção à dedicação com a qual o dízimo foi dado ao Senhor. O egoísmo olha inicialmente para sua própria casa, mas a piedade busca em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça (ver Mateus 6.33). Todavia, a longo prazo, o egoísmo se torna perda, e a piedade, grande lucro. Precisamos de fé para agirmos com mãos abertas em relação a nosso Deus; Ele, por sua vez, merece esta maneira de agir. Tudo que podemos fazer é um reconhecimento muito pobre de nossa surpreendente obrigação com a sua bondade!

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Todo Dia Com Paz

E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles?
Vede quão grande caridade nos tem concedido o Pai: que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso, o mundo não nos conhece, porque não conhece a ele.
O mesmo Pai vos ama
(Lucas 18:7; 1 João 3:1; João 16:27).

O SENHOR DO UNIVERSO É MEU PAI

Um menino estava de pé na praia, no momento em que um barco de pesca regressava, margeando a costa. O menino fazia grandes sinais para chamar a atenção dos passageiros. Próximo dele havia um homem que o estava observando, e lhe disse: "Não seja bobo, o barco não vai mudar de rumo só porque você está acenando". Porém, inesperadamente, o barco virou e se aproximou da margem.
Lançaram o bote ao mar e este veio recolher o menino. Já a bordo, o menino gritou para o homem que ficou na praia: "Senhor, eu não sou bobo; o capitão do barco é meu pai!".
Esta historieta contém um ensino para nós cristãos.
Por que o capitão mudou de rumo? Não foi porque o menino tinha direito de parar o barco, mas porque se tratava de seu filho.
Quando as circunstâncias da vida são difíceis e não há esperança, será que Deus pode mudar o curso das coisas pela oração de um só homem? Sim, e Aquele que governa o universo sempre o faz, desde que seja para o bem do crente, pois este não é só um homem, mas Seu filho.
Semelhante ao menino da praia, podemos ser incompreendidos, porém, não deixemos de orar a Deus, apesar de Sua grandeza e, às vezes de Seu silêncio, pois Ele é nosso Pai, que nos conhece pessoalmente. Aquele menino era insignificante diante de um barco, mas ocupava o lugar mais importante no coração do capitão que controlava o navio.

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do dia: Por causa da verdade que permanece em nós e conosco estará para sempre. (2 João 2)
Se a verdade de Deus recebe entrada no coração do homem e o subjuga a si mesma, nenhum poder, humano ou infernal, será capaz de expulsá-la. Nós a recebemos não como um simples convidado, e sim como o dono da casa -esta é uma das necessidades do crente. Os que sentem o poder vital do evangelho e conhecem o poder do Espírito Santo quando abre, aplica e sela a Palavra do Senhor, logo serão quebrantados, em vez de sentirem desejo de abandonar o evangelho de sua salvação. Incontáveis misericórdias estão envolvidas na certeza de que a verdade estará para sempre conosco; esta certeza será nosso amparo na vida, nosso conforto na morte, nossa canção de ascensão, nossa glória eterna. Este é um privilégio do crente; sem a certeza da presença da verdade nossa fé seria de pouco valor. Quando amadurecemos, deixamos algumas verdades para trás, visto que elas eram apenas rudimentos e lições para iniciantes. Mas não devemos agir assim para com a verdade de Deus. Embora a Palavra de Deus seja alimento agradável para os bebês, ela é, no sentido mais elevado, carne para os adultos. A verdade de que somos pecadores é dolorosa para nós; todavia, esta verdade nos humilha e nos torna vigilantes. A verdade mais bendita, de que todo o que crê no Senhor Jesus será salvo, permanece conosco como nossa alegria e esperança. Os motivos e fundamentos para crermos são agora mais fortes e mais numerosos do que antes; e temos razão para esperar que isso seja realmente assim, até que na morte abracemos o Senhor. Somos constrangidos a exercer o nosso amor onde o amor da verdade permanente for encontrado. Nenhum período curto pode conter nossa graciosa harmonia; ampla como a eleição da graça deve ser nossa comunhão de coração. Muito erro pode estar mesclado com a verdade recebida. Lutemos contra o erro, mas continuemos a amar os irmãos por causa da medida de verdade que percebemos neles. Acima de tudo, amemos e propaguemos, nós mesmos, a verdade!

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Todo Dia Com Paz

Se, com a tua boca, confessares ao Senhor Jesus e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo

(Romanos 10:9).

A CONFISSÃO DE UM CONDENADO

 Um homem que aguardava julgamento relatou o seguinte: "Eu sou acusado de vários crimes, alguns deles são graves. A sentença ainda não foi emitida, mas meu advogado me disse que o mínimo que posso esperar são 20 anos de prisão.
"Um dia, alguns meses atrás, fui tomado pela terrível realidade. Eu não podia comer nem dormir. No meu desespero senti-me extremamente solitário. Não havia ninguém que se preocupava comigo.
"Naquela época o padre da prisão se aproximou de mim e me deu um folheto intitulado: 'Quem se importa com você?'  Lendo-o, de repente me conscientizei de que Jesus Cristo estava interessado em mim. Reconheci que diante de Deus eu era um pecador, mas também descobri Romanos 10:9, e então pedi ao Senhor Jesus para entrar em meu coração".
"Eu ainda choro às vezes, mas são lágrimas de alegria. Vou ter que esperar pacientemente o castigo pela minha grande culpa para com a humanidade, reconheço isso. Mas minha ainda maior culpa para com Deus foi expiada por outra Pessoa: Jesus Cristo levou todos meus pecados na cruz e, em meu lugar, sofreu o justo castigo por eles".


O criminoso acrescenta o seguinte: "Agora que você leu a minha confissão, eu gostaria de lhe fazer uma pergunta. Você provavelmente é uma pessoa correta em comparação com o que eu tenho sido. Você provavelmente não tem nada a temer com relação à justiça do homem. Mas como irá escapar do infalível julgamento de Deus? Faça o que eu fiz: Ponha a sua confiança em Jesus Cristo!"

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do dia: Avigoram-se as árvores do SENHOR. (Salmos 104.16)

Sem a seiva, uma árvore não pode florescer, nem mesmo existir. Vitalidade é essencial para o crente. Tem de existir vida – um princípio vital infundido em nós por Deus, o Espírito Santo. A simples confissão de ser crente é apenas uma coisa mortal. Ternos de ser cheios com o Espírito da vida divina. Esta vida é misteriosa. Nós não compreendemos a circulação da seiva, por meio de qual força ela sobe, e por meio de qual poder ela desce novamente. Assim, a vida dentro de nós é um mistério sagrado. A regeneração é realizada pelo Espírito Santo, quando Ele entra em um homem e se torna a sua vida. Em seguida, esta vida divina, em um crente, se alimenta da carne e do sangue de Cristo, e, deste modo, ela é mantida por alimento divino. Mas, de onde ela vem e para onde vai, quem pode explicar? Que coisa secreta é a seiva! As raízes se aprofundam no solo, porém não podemos vê-las expirando os diversos gases e transformando o mineral em vegetal. Esta obra é realizada embaixo, ocultamente. Nossa raiz é o Senhor Jesus, e nossa vida está escondida nEle. Este é o segredo do Senhor. A fonte primária da vida cristã é tão secreta quanto a própria vida. Quão permanentemente ativa é a seiva no cedro! No crente, a vida divina é sempre cheia de energia -nem sempre em frutificação, mas em operações internas. As virtudes do crente não estão sempre em atividade, mas a sua vida nunca para de palpitar no íntimo. O crente não está sempre trabalhando para Deus; o seu coração, porém, está sempre vivendo nEle. Assim como a seiva se manifesta na produção da folhagem e dos frutos da árvore, assim também acontece com todo verdadeiro crente saudável. A graça divina no crente se manifesta externamente em seu falar e seu andar diário. Se você conversar com esse tipo de crente, logo o ouvirá falando sobre Jesus. Se você observar as ações dele, perceberá que ele tem estado com Jesus. Esse crente tem muita seiva em sua alma, seiva que encherá com vida o seu falar e a sua conduta.

domingo, 23 de outubro de 2016

Todo Dia Com Paz

 Não se turbe o vosso coração? Na casa de meu Pai há muitas moradas? vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também
(João 14:1-3).

A DESPEDIDA DO MESTRE

Compreendemos a tristeza dos discípulos de Jesus quando o Mestre lhes falou sobre Sua partida; e por isso Ele tocava no assunto com muita doçura. Ele não queria que ficassem perturbados, pois iria para a casa do Pai, o lugar onde reinam a paz e a felicidade perfeitas. O Senhor Jesus lhes disse: "Se me amásseis, certamente, exultaríeis por ter dito: vou para o Pai" (João 14:28).
Além disso, havia outra razão para não estarem tristes e o Senhor os tranquilizou, revelando o verdadeiro motivo de Sua promessa: "Virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também". Nesta frase expressou todo Seu amor pelos Seus.
Podemos imaginar a surpresa dos discípulos: como poderiam saber o caminho para o céu a fim de estar com o Mestre?! Como isso era possível? Mais tarde esse grande mistério lhes foi revelado plenamente. O Senhor Jesus não enviaria ninguém pelos que creem nEle, mas Ele mesmo viria buscá-los. "E assim estaremos sempre com o Senhor" (1 Tessalonicenses 4:17).
O Senhor Jesus disse que ia preparar um lugar para eles, porém não lhes disse o alto preço que Ele deveria pagar. Para que os pecadores culpados pudessem entrar na santa morada de Deus era necessário que Cristo sofresse na cruz o castigo de Deus por causa dos pecados. Esse é outro aspecto de Seu amor por eles.

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do dia: Quereis também vós… retirar-vos? (João 6.67)
Muitos têm abandonado a Cristo, não mais andam com Ele. Mas, que razão têm eles para esta mudança? Há algum motivo no passado? Jesus não se tem comprovado como todo-suficiente? Ele roga a você nesta manhã: “Tenho eu sido… um deserto?” (Jeremias 2.31.) Quando a sua alma confiou de maneira simples em Jesus, você se sentiu confuso em algum momento? Até agora você não descobriu que o seu Senhor tem sido um amigo compassivo e generoso? A fé simples nEle ainda não lhe deu toda a paz que seu espírito poderia desejar? Você pode sonhar como um amigo melhor do que Jesus lhe tem sido? Então, não troque o antigo e experimentado pelo novo e falso. Quanto ao presente, pode este motivá-lo a abandonar a Cristo? Quando somos afligidos por este mundo e por tribulações severas na igreja, descobrimos que é uma bênção poder reclinar a cabeça no seio de nosso Senhor. Este é o gozo que temos hoje – estamos salvos em Cristo. Se este gozo nos satisfaz, por que pensamos em mudar? Quem troca ouro por escória? Não deixaremos nosso Senhor, enquanto não aparecer um amor mais resplandecente. Uma vez que isto nunca acontecerá, nos apegaremos ao Senhor Jesus com vigor imortal e gravaremos o nome dele como selo em nossos braços. Quanto ao futuro, você pode sugerir algo que pode surgir e fazer com que seja necessário desertar ou revoltar-se contra o velho estandarte, a fim de servir outro capitão? Não cremos nisto. Se a vida é longa, Ele não muda. Se somos pobres, o que é melhor do que ter a Cristo, que pode nos tornar ricos? Quando estamos doentes, o que mais necessitamos além de Jesus cuidando de nós? Quando morrermos, não está escrito “que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Romanos 8.38-39)? Dizemos juntamente com Pedro: “Senhor, para quem iremos?” (João 6.68).

sábado, 22 de outubro de 2016

Todo Dia Com Paz

Bem-aventurados os que habitam em tua casa; louvar-te-ão continuamente
(Salmo 84:4).

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE 2 CRÔNICAS (Leia 2 Crônicas 29:20-36)

Levou dezesseis dias para que catorze levitas e seus irmãos completassem a limpeza da casa do Senhor e colocassem tudo no seu devido lugar. No entanto, não basta a casa estar "vazia, varrida e ornamentada" (Mateus 12:44). A adoração ao Senhor precisa ser restabelecida. Tendo acabado de santificar o santuário, Ezequias não perde tempo. Ele acorda cedo para oferecer sacrifícios com os líderes da cidade e os sacerdotes (sem, contudo, tomar o lugar deles como Uzias fez). Note que a oferta queimada e o sacrifício pelo pecado eram para todo o Israel. Jamais esqueçamos isso: os crentes que se reúnem ao redor de Sua mesa não são nada mais que uma frágil "expressão" de todo o povo de Deus. O pão e o cálice lembram o sacrifício oferecido, não apenas pelo pequeno número, mas também pela multidão dos redimidos que compõem a Igreja universal.


Por fim, os cânticos acompanharam as ofertas queimadas. Eles não podem precedê-las. Sem a obra do Gólgota, nenhum louvor ou alegria são possíveis. No entanto, agora que tal obra está terminada, única e definitivamente, o serviço dos verdadeiros adoradores pode começar? e jamais terá fim (Salmo 84:4).

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do dia: Eu de mim mesmo os amarei. (Oséias 14.4)
Esta sentença é um corpo de divindade em miniatura. Aquele que entende o significado desta afirmação é um teólogo e aquele que pode mergulhar na plenitude desta sentença é um verdadeiro mestre em Israel. Esta sentença é uma síntese da gloriosa mensagem de salvação que nos foi dada em Cristo Jesus, nosso Redentor. O âmago desta sentença está nas palavras “de mim mesmo”. Esta é a maneira apropriada, gloriosa e divina pela qual o amor flui do céu à terra. É um amor espontâneo, manifestando-se para com aqueles que não o merecem, não o compraram, não procuraram por ele. Esta é realmente a única maneira como Deus pode nos amar. O texto é um golpe mortal para todos os tipos de aptidões: “Eu de mim mesmo os amarei”. Ora, se houvesse em nós alguma aptidão necessária, então, Deus não nos amaria de Si mesmoi no mínimo, isto seria uma redução da generosidade deste amor. Mas a verdade permanece: “Eu de mim mesmo os amarei”. Nós lamentamos: “Senhor, meu coração é tão endurecido”. Ele responde: “Eu de mim mesmo os amarei”. Nós dizemos: “Mas não sinto necessidade de Cristo como gostaria de sentir. Não sinto aquele quebrantamento da parte do Espírito Santo, o quebrantamento que eu deveria desejar”. E Ele responde: “Eu não amarei vocês porque sentem sua necessidade. “Eu de mim mesmo os amarei”. A aliança da graça não impõe condições. Sem qualquer merecimento, podemos nos aventurar na promessa de Deus, feita para nós em Cristo Jesus: “Quem nele crê não é julgado” (João 3.18). Somos abençoados por sabermos que a graça de Deus é espontânea para conosco a todo o momento, sem a necessidade de preparações, adequações, dinheiro ou preço! De fato, este versículo foi escrito especialmente para tais pessoas. “Curarei a sua infidelidade, eu de mim mesmo os amarei” (Oséias 14.4). Ó pecador, a generosidade desta promessa certamente quebrantará o seu coração, e você retornará, e procurará a face de seu ofendido Pai

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Todo Dia Com Paz

O tempo está cumprido, e o Reino de Deus está próximo. Arrependei-vos e crede no evangelho
(Marcos 1:15).

O REINO DE DEUS

 O evangelista Marcos resume a pregação de Jesus Cristo laconicamente com estas Suas palavras. Era uma mensagem incomum e inspiradora. Não é de admirar que as pessoas ficassem excitadas com isso!
Com a vinda de Cristo, o reino de Deus era para ser visto na terra. Seria um reino em que Jesus Cristo seria o rei. O povo judeu esperava isso, e a espera pelo Messias era parte da fé de algumas pessoas naquele tempo.
No entanto, como as coisas estavam, as pessoas não podiam entrar nesse reino de Deus. Elas precisavam se submeter a uma fundamental mudança em seus caminhos, a saber, arrependimento. Muita culpa que os incriminava havia arruinado sua relação com Deus, de modo que Ele pudesse continuar Seus propósitos com eles. Isso foi provado quando Jesus Cristo, Seu Filho a quem Ele enviou, veio ao mundo: Ele sofreu rejeição, indiferença e ódio, sem que Ele desse qualquer ocasião para isso. Assim, a introdução do reino terreno de Deus em Israel, foi adiada para uma data posterior.
Ademais, nada mudou desde então. A maioria das pessoas ainda rejeitam a Jesus Cristo, como fizeram no passado. E, assim como naquela época, a obstinação e as injustiças bloqueiam o caminho.
No entanto, Deus é bom: Ele assegura que a mesma mensagem seja pregada ainda hoje. O que é necessário é uma volta completa para Ele e fé em Jesus Cristo, que morreu na cruz pela culpa dos pecadores perdidos. Quem tomar posse disso por fé, vai se tornar mais do que um cidadão do reino de Deus, vai se tornar um filho de Deus.

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do dia: O amor de Cristo nos constrange. (2 Coríntios 5.14)

Quanto você deve ao meu Senhor? Quanto Ele já fez por você? Perdoou os seus pecados? Ele o vestiu com um manto de justiça? Colocou os seus pés sobre a rocha? Ele tem estabelecido os seus caminhos? Preparou o céu para você? Preparou você para o céu? Escreveu o seu nome no Livro da Vida? Jesus lhe tem dado bênçãos incontáveis? Ele tem acumulado para você um estoque de misericórdias, que olhos não têm visto e sobre as quais ouvidos não têm ouvido (ver 1Coríntios 2.9)? Então, faça por Jesus alguma coisa digna do amor dele. Não dê ao Redentor que morreu urna mera oferta verbal. Como você se sentirá, quando seu Senhor vier e você tiver de confessar que não fez nada por Ele, exceto manter fechado o seu amor, tal como um poço estagnado, deixando de jorrá-lo em favor dos pobres e da obra dele? Afaste esse tipo de amor! O que os homens pensam de um amor que não se expressa em ações? Ora, eles dizem: “Melhor é a repreensão franca do que o amor encoberto” (Provérbios 27.5). Quem aceitará um amor tão fraco, que não impulsiona você a um pequeno ato de renúncia, generosidade, altruísmo ou zelo? Pense em como Ele o amou a ponto de entregar-se a Si mesmo por você! Conhece o poder desse amor? Então, permita que ele seja, para a sua alma, como um vento forte e impetuoso que remove as nuvens de seu mundanismo e dissipa a névoa de seu pecado. Que as palavras: “Por amor a Cristo” sejam a língua de fogo que se acomodará sobre você. Que elas sejam o êxtase divino, a inspiração celeste para erguê-lo da terra, o Espírito Divino que o tornará ousado como o leão e esperto como a águia, no serviço de seu Senhor. O amor deve outorgar asas aos pés que servem ao Senhor e forças aos braços que trabalham por Ele. Tendo os olhos fixos em Deus, com uma perseverança inabalável, resolutos a honrá-Lo com uma determinação de que não nos desviaremos, e avançando com um ardor que nunca cansará, manifestemos os constrangimentos do amor de nosso Senhor. Que Ele nos atraia ao céu.

Todo Dia Com Paz

E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto
(Romanos 8:28).

OS FILHOS AMAM, MESMO SEM ENTENDER TUDO

Deus "examina os corações" (v. 27). Ele vê dois grupos de pessoas nesta Terra. Um consiste de Seus inimigos. Embora procure conquistá-los, eles ainda não estão reconciliados com Ele "pela morte de seu Filho" (Romanos 5:10).
O outro grupo é composto por pessoas que em si mesmas não eram melhores: também eram inimigas de Deus e culpadas diante dEle. Mas através da fé em Jesus Cristo, foram justificadas e têm paz com Deus. Agora, "o amor de Deus está derramado" em seus corações por meio do Espírito Santo (5:1 e 5).
Dessa maneira, os redimidos se tornam capazes de amar a Deus com sinceridade, e assim o fazem (1 João 4:19).
Os filhos de Deus conscientemente desfrutam de um relacionamento com Ele, marcado pelo amor, no qual se sentem seguros. Mesmo que sofrimentos graves venham sobre eles e comecem a se perguntar pelo que orar, os verdadeiros redimidos sabem que "todas as coisas contribuem juntamente para o bem".
Isso não significa que os cristãos sempre sabem o motivo de determinadas tribulações lhe ocorrerem. Mas eles têm experimentado o amor de Deus e confiam nEle para realizar Seus propósitos em todas as adversidades. Na verdade, Deus vai produzir bênção e benefício para eles a partir das situações adversas.
Deus tem Seus propósitos com aqueles a quem chama para fora do mundo e faz Seus filhos. Ele está acima de todas as circunstâncias da vida, e conduz todas as coisas em segredo, mesmo as situações mais precárias, as quais servirão ao Seu propósito eterno para com Seus filhos e trabalharão em conjunto para o bem deles na sua vida de fé.

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do dia: Cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo. (Efésios 4.15)

Muitos crentes permanecem raquíticos e atrofiados nas coisas espirituais de forma que mostram a mesma aparência ano após ano. Não são manifestados neles, sentimentos avançados e refinados. Eles existem mas não crescem em tudo naquele que é a cabeça, Cristo. Todavia, devemos ficar contentes por estarmos na folha verde, quando podemos avançar à espiga e, eventualmente, ao grão maduro na espiga? Devemos nos satisfazer em crer em Cristo e dizer: “Estou seguro”, sem desejarmos conhecer em nossa experiência mais da plenitude que podemos encontrar nEle? Isto não deve acontecer. Como bons comerciantes no mercado celestial, devemos anelar ser enriquecidos no conhecimento de Jesus. É muito bom conservarmos a vinha de outras pessoas, mas não podemos negligenciar nosso próprio crescimento e maturidade espiritual. Por que sempre tem de ser inverno em nosso coração? É verdade que precisamos ter o nosso tempo de semeadura, mas, oh! que tenhamos igualmente primavera e verão, que nos prometerão uma colheita antecipada! Se desejamos amadurecer na graça, temos de viver bem perto de Jesus -em sua presença -amadurecidos pela luz de seus sorrisos. Precisamos manter doce comunhão com Ele. Temos de nos aproximar de Jesus, como o fez o apóstolo João, e reclinarmos a cabeça no seio dele. Então, nos veremos avançando em santidade, amor, fé e esperança – sim, em todos os dons preciosos. Assim como o sol nasce primeiramente no topo das montanhas, envolvendo-os com a luz, e apresenta uma das visões mais encantadoras aos viajantes; assim é uma das mais deleitáveis contemplações observar o esplendor da luz do Espírito Santo na cabeça de um crente que tem crescido em estatura espiritual. Em semelhança aos imensos Alpes cobertos de neve, ele reflete os feixes de luz do Sol da Justiça, primeiramente entre os escolhidos. Depois, ele dissemina o resplendor da brilhante glória de Cristo para que todos a vejam, e vendo-a, tragam glória ao Pai que está nos céus.

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Todo Dia Com Paz

Em Deus está a minha salvação e a minha glória; a rocha da minha fortaleza e o meu refúgio estão em Deus
(Salmo 62:7).

DIZ O INSENSATO: "NÃO HÁ DEUS!"

O homem não pode viver sem algum tipo de fé: ele deve acreditar em algo. Se ele se recusa a acreditar no único e verdadeiro Deus, então ele se torna impressionável por qualquer religião de concepção humana. Ele procura aquela que melhor corresponde às suas inclinações. Muitas pessoas brincam com os movimentos religiosos do Oriente. Para muitos isso certamente é o fascínio pelo que é exótico e desconhecido.
Outros buscam um caminho de salvação que lhes poupa de admitir seu próprio estado de perdição e fraqueza. Eles são atraídos pela idéia de autorredenção ou auto-aperfeiçoamento.
Agora, será que essas pessoas encontram descanso interior, paz de coração e paz com Deus? Como isso pode ser possível, se a pessoa quer se autorredimir ou se livrar de seu estado obscuro, por assim dizer?
Outros que abandonaram o único verdadeiro Deus se voltaram para o ateísmo. Esta é também uma forma de religião que as pessoas usam para apaziguar a sua consciência. Mas eles se expõem a superstição e anarquia. Se a obstinação do homem tornou-se seu deus, então, consequentemente, seu cativeiro sob o poder de Satanás se tornará evidente. E quando os mais grosseiros pecados tornarem-se "socialmente aceitáveis", inquietação, desespero e um inevitável abatimento afetarão profundamente muitas pessoas tolas que dizem: "Não há Deus!" (veja Salmo 14:1).
Podemos encontrar descanso e paz só com Aquele que nos convida: "Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei... e encontrareis descanso para a vossa alma" (Mateus 11:28-29). É o Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus, que fala. Ele ainda recebe pecadores.

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do dia: Crianças em Cristo. (1Coríntios 3.1)

Você está lamentando porque é muito fraco em sua vida espiritual? Está lamentando porque a sua fé é tão frágil e seu amor tão pequeno? Anime-se, pois você tem motivo de gratidão. Lembre-se: em algumas coisas você é igual ao crente mais forte e adulto. Você e ele foram comprados com o mesmo sangue. Você é um filho adotado de Deus assim como qualquer outro crente. Uma criança é um filho verdadeiro de seus pais, tal como um filho adulto. Você está completamente justificado em Cristo, pois a sua justificação não depende de graus. A sua pequena fé o tornou completamente puro. Assim como os crentes mais avançados, você tem direito às coisas preciosas da aliança, visto que o seu direito às misericórdias da aliança está fundamentado não em seu crescimento espiritual, e sim na própria aliança. Crente, a sua fé em Jesus não é a medida e sim a evidência de sua herança nEle. Você é tão rico quanto o mais rico, se não em prazer, em posse real. A estrela que menos brilha também está em órbita no céu. O raio mais tênue de luz também possui afinidade com o grande luzeiro do dia. No registro da família celestial, o menor e o maior estão inscritos pela mesma caneta. Você é tão querido ao seu Pai celestial como os mais nobres da família. O Senhor Jesus lhe demonstra ternura abundante. Você é semelhante a uma cana quebrada e qualquer mão menos cuidadosa que a do Maestro lhe esmagaria ou jogaria fora, mas Ele nunca “esmagará a cana quebrada” (Isaías 42.3). Um espírito mais rude diria: “Apague esta torcida fumegante. Ela enche a sala com um cheiro desagradável!” Em vez de ficar abatido por causa do que você é, deveria sentir-se triunfante em Cristo. Sou eu pequeno em Israel? Em Cristo, estou assentado nos lugares celestiais. Sou pobre na fé? Apesar disso, em Jesus sou herdeiro de todas as coisas. Embora não tenha nada de que me vangloriar, no que se refere a mim mesmo, eu me regozijarei no Senhor e me gloriarei no Deus da minha salvação.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Todo Dia Com Paz

Ó Deus, tu és o meu Deus; de madrugada te buscarei.
Pela manhã, ouvirás a minha voz, ó SENHOR; pela manhã, me apresentarei a ti, e vigiarei
(Salmo 63:1; 5:3).

COMECE O DIA COM ORAÇÃO E COM A PALAVRA DE DEUS

Como é que começamos o nosso dia? Se todas as manhãs, antes das tarefas diárias terem início, nós conscientemente nutrirmos uma relação espiritual com o Senhor através da leitura da Sua Palavra e da oração, sentiremos o efeito santificador durante todo o dia. Se começarmos o dia sem Ele, então vamos experimentar o fracasso e a derrota. De manhã, o dia diante de nós é como uma folha de papel em branco. O Senhor deseja escrever as primeiras palavras nela, por assim dizer, e, assim, deixar a Sua marca durante todo o dia. As obrigações do dia e os problemas que surgem são inúmeros. Onde mais poderíamos obter a força e a sabedoria necessárias se não no Senhor?
Como os israelitas no deserto, é preciso se alimentar de nosso Senhor, o verdadeiro maná, o "pão do céu" (João 6:32-33). Se regularmente observarmos Seu caminho, Seus princípios e Sua mente em todas as circunstâncias, vamos encontrar direcionamentos claros para nós mesmos.
Como é importante, então, olhar para Ele todas as manhãs, de modo que nos tornemos conscientes da Sua proximidade e presença durante todo o dia. Isso resultará em uma vida de santo temor debaixo de Seus penetrantes olhos, fazendo o que Lhe é agradável. Se este for o desejo genuíno de nosso coração, iremos de fato viver a promessa do Senhor de que Ele estará conosco (Josué 1:5)

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do dia: As tuas pegadas destilam fartura. (Salmos 65.11)
Muitas são as pegadas do Senhor que II destilam fartura”, porém uma de suas pegadas especiais é a oração. Nenhum crente que gasta bastante tempo em oração terá necessidade de clamar: “Definho, definho, ai de mim!” (Isaías 24.16.) Almas famintas vivem distante do trono de misericórdia e se tornam semelhantes aos campos ressecados em tempo de estiagem. Prevalecer com Deus, em oração determinada, certamente nos tornará crentes fortes -se não felizes. O lugar mais próximo das portas do céu é o trono da graça celestial. Passe muito tempo sozinho com o Senhor Jesus, assim você terá muita segurança. Gaste pouco tempo em comunhão pessoal com o Senhor, e você terá uma fé superficial, defeituosa, com muitas dúvidas e temores, destituída da alegria do Senhor. A pegada da oração, que enriquece a alma, está disponível até para o mais frágil crente e não exige nenhuma realização nobre. Você não é convidado a vir porque é um santo superior, mas apenas por ser santo, é convidado gratuitamente. Querido leitor, assegure-se de estar frequentemente em devoção particular e comunhão com o Senhor Jesus. Gaste tempo de joelhos, pois foi assim que Elias lançou chuva sobre os campos famintos de Israel. Há outra pegada especial destilando fartura aos que nela andam: é o andar secreto de comunhão. Oh! Os prazeres do companheirismo com Jesus! As palavras da terra não podem descrever a santa calma de uma alma que se reclina sobre o seio de Jesus. Poucos crentes entendem isso. Vivem nos baixios e raramente sobem aos lugares elevados. Vivem no átrio exterior. Não entram no lugar santo. Eles não admitem o privilégio do sacerdócio. Contemplam o sacrifício à distância, mas não se assentam com o sacerdote para comer a gordura e se regozijar com o melhor da oferta queimada. Querido leitor, assente-se à sombra de Jesus. Suba àquela palmeira e pegue seus ramos. Permita que seu Amado seja a macieira entre as árvores do bosque, assim você se satisfará com tutano e gordura. Ó Senhor Jesus, visita-nos com a tua salvação.

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Todo Dia Com Paz

E quem tem sede venha; e quem quiser tome de graça da água da vida
(Apocalipse 22:17).

A OFERTA GRATUITA

Fui convidado para organizar um programa de consulta para trabalho para um centro de recrutamento de empregados. O programa era de graça. Foram enviados convites para 800 jovens que procuravam estágios. Mais de 100 recusaram, alguns vieram para uma entrevista. Quantos realmente estavam interessados, permaneceu desconhecido.


Esta situação faz-me lembrar da oferta gratuita da graça de Deus para todos que buscam: Ele concede um lugar no Seu coração e no discipulado do Senhor Jesus. No entanto, muitas pessoas, ainda que reconheçam a necessidade de reorientar a sua vida, recusam: falta de interesse, falta de tempo, nenhum desejo, inconveniente ? estas são as razões ou desculpas dadas. Contudo, o apelo de Deus para voltarem ao Redentor, Jesus Cristo, assegura um lugar para cada um. No entanto, muitos vêm, mas há obstáculos a superar, principalmente no círculo de amigos ou parentes: "Você vai ter que desistir de muita coisa", ou "Você não será capaz de ir aqui ou ali". Estes são os argumentos utilizados para convencer a não aceitar a oferta de Deus. Quem permanece firme e supera os obstáculos, agindo com propósito, vai aprender que existem cristãos cuja vida de fé não é um caminho cheio de tropeços, como mandamentos e proibições. Descansando na informação que a Bíblia dá sobre questões de fé, aprendemos que Cristo aceita todos e concede muito: cada um que O busca terá, juntamente com o perdão dos pecados, um mestre e Senhor que cuida dos assuntos de Seus seguidores, com paciência, amor e sabedoria, como nenhum empregador terreno faz.

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do dia: Disse, porém, Davi consigo mesmo: Pode ser que algum dia venha eu a perecer nas mãos de Saul. (1Samuel 27.1)
O pensamento do coração de Davi, nesta ocasião, era falso. Certamente ele não tinha razão para pensar que a unção de Deus sobre ele tinha o propósito de ser abandonada como um ato vazio e sem significado. Em nenhum momento, o Senhor havia deixado o seu servo. Frequentemente, Davi fora colocado em situações perigosas; todavia, não houve ocasião em que não tivesse o livramento por meio da intervenção divina. Variadas foram as provações às quais ele foi exposto. Contudo, em todas as ocasiões, Aquele que enviou o julgamento, também, graciosamente, ordenou um meio de escape. Davi não podia apontar o dedo para qualquer anotação em seu diário e dizer: “Aqui está a evidência de que o Senhor me abandonará”, pois todo o curso de sua vida provava extamente o oposto. A partir do que Deus fizera por Davi, este deveria ter compreendido que Deus ainda seria o seu defensor. Nós duvidamos da ajuda de Deus desta mesma maneira? Isto não é desconfiança sem motivo? Já tivemos alguma sombra de motivo para duvidar da bondade de nosso Pai? Sua amabilidade não tem sido maravilhosa? Ele já falhou em honrar a nossa confiança? Oh, não! Nosso Deus não nos deixou em momento algum. Temos tido noites escuras, mas a estrela de amor tem resplandecido em meio à negridão. Temos vivido em severos conflitos, mas sobre nossa cabeça, Ele tem erguido o escudo de nossa defesa. Temos passado por muitas provações. Elas nunca nos sobrevieram para nosso detrimento, e sim para nosso proveito. A conclusão que tiramos de nossas experiências passadas é que Aquele que tem estado conosco em seis provações estará conosco também na sétima. O que sabemos a respeito de nosso Deus fiel prova que Ele nos guardará até ao final. Não devemos, então, argumentar contra as evidências. Como podemos ser tão ingratos a ponto de duvidar de nosso Deus? Senhor, lança ao chão a Jezabel de nossa incredulidade e faze com que os cães a devorem.

sábado, 15 de outubro de 2016

Todo Dia Com Paz

Santificai-vos, porque amanhã fará o SENHOR maravilhas no meio de vós
(Josué 3:5).

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE 2 CRÔNICAS (Leia 2 Crônicas 29:1-19)

Embora não seja mencionado no livro de Crônicas, chegamos ao ponto em que o Senhor, por intermédio do rei da Assíria, tira as dez tribos de Israel da terra deles. Acaz deu razões suficientes ao Senhor para fazer o mesmo com Judá. Contudo, a graça tem outro recurso invisível. Tal recurso é um rei fiel: Ezequias. Pela providência de Deus, ele escapa dos horrendos sacrifícios de crianças a Moloque, aos quais seus irmãos foram submetidos (28:3; 2 Reis 23:10). Ele é "um tição tirado do fogo" (Zacarias 3:2). Podemos imaginar o quanto esse jovem sofreu no infame reinado de seu pai, pois, desde o primeiro dia no trono, sem nenhuma perda de tempo, ele começou uma operação-limpeza com a ajuda dos sacerdotes e levitas, mencionados aqui pelo nome. Ele a iniciou no primeiro dia do primeiro mês doprimeiro ano (vv. 3 e 17)! Queridos leitores, se ainda não fizeram isso, comecem a purificar o coração de vocês sem demora. Escancarem as portas porque o Rei da Glória deseja entrar. Removam e eliminem a imundície acumulada sob o reinado do príncipe das trevas. Santifiquem-se para o Senhor Jesus Cristo. Ele quer habitar em nós agora e para sempre.

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do dia: Quem poderá suportar o dia da sua vinda? (Malaquias 3.2)
A primeira vinda de Jesus aconteceu sem qualquer pompa ou demonstração de poder visíveis. Mas, na verdade, houve poucos que foram capazes de suportar o poder testador dessa vinda. Herodes e toda a Jerusalém ficaram agitados com a notícia do maravilhoso nascimento. Aqueles que imaginavam estar esperando pelo Messias demonstraram a falácia de sua confissão, ao rejeitarem-no, quando Ele veio. Sua vida na terra foi uma peneira, a qual pôs à prova o grande amontoado de profissão religiosa, e poucos suportaram o processo. Mas, o que será o segundo advento de Cristo? Que pecador é capaz de suportar os pensamentos a respeito desse advento? “Ferirá a terra com a vara de sua boca e com o sopro dos seus lábios matar á o perverso” (Isaías 11.4). Quando, em sua humilhação, as únicas palavras de Jesus para os soldados foram: “Sou eu”, eles recuaram e caíram por terra (ver João 18.5,6). Qual será o terror de seus inimigos quando Ele se revelar mais plenamente como o “Eu sou”? A morte de Jesus fez tremer a terra e encheu de trevas o céu. Qual será o terrível esplendor daquele dia em que, como o Senhor vivo, Ele convocar os vivos e os mortos para comparecerem diante dele? Embora Jesus seja o Cordeiro, Ele também é o Leão da tribo de Judá (ver Apocalipse 5.5) que despedaça os seus inimigos. Ainda que Ele não esmague a cana quebrada (ver Isaías 42.3), Ele destruirá seus inimigos com uma vara de ferro e os despedaçará como um vaso de oleiro (ver Salmos 2.9). Mas o povo querido de Cristo, lavado no seu sangue, espera por sua manifestação com alegria e esperança, a fim de presenciá-la sem medo. Examinemos a nós mesmos neste dia e confirmemos nossa vocação e eleição, de modo que a vinda do Senhor não produza quaisquer presságios obscuros em nossa mente. Oh! que tenhamos graça para abandonar toda hipocrisia e sermos encontrados sinceros e sem reprovação no dia da manifestação de Cristo!

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Todo Dia Com Paz

Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti. Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus trabalhadores
(Lucas 15:18-19).

PALAVRAS QUE SÃO ESPÍRITO E VIDA

Por favor, não suspire e diga: "A parábola do filho pródigo de novo! Já não ouvimos o suficiente?"
As parábolas do Senhor Jesus Cristo não são a sala de jogos dos bem-intencionados moralistas. Elas são ilustrações da vida cotidiana que nos comunicam verdades espirituais. Somente o Filho de Deus poderia falar desta forma, pois Ele sabia que era assim. "As palavras que eu vos disse são espírito e vida" (João 6:63). E elas lidam adequadamente com as questões.
A questão aqui é que ninguém que pretende colocar as coisas em ordem com Deus pode deixar de reconhecer que é um pecador que precisa de perdão. Isso pode parecer duro, mas quem está sujo, necessita se lavar.
Se você acredita nas recentes estatísticas, a geração mais jovem hoje é mais inclinada a acreditar no sobrenatural ? algo como Deus ? do que os mais velhos, cujos pensamentos se centram muito mais no materialismo.
O Senhor Jesus Cristo ensina que o caminho para Deus passa pela consciência da pessoa: "Eu pequei". Quem vir a Deus desta maneira será recebido, como o filho pródigo, que não precisou ir até o ponto de dizer: "Faze-me como um dos teus trabalhadores".

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do dia: Considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor. (Filipenses 3.8)
O conhecimento espiritual de Cristo será um conhecimento pessoal . Não posso conhecer a Jesus por meio da familiaridade de outra pessoa com Ele. Preciso conhecê-lo eu mesmo. O conhecimento espiritual de Cristo será um conhecimento inteligente. Tenho do conhecê-Lo, não como os sonhos utópicos sobre Ele, mas como Ele se revela na Palavra de Deus. Tenho de conhecer as duas naturezas de Cristo, tanto a divina como a humana. Preciso conhecer os ofícios, os atributos, as obras, a humilhação e a exaltação de Cristo. Tenho de meditar na pessoa de Cristo, até que compreenda com todos os santos “qual é a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade” do amor dele “que excede todo entendimento” (Efésios 3.18,19). O conhecimento de Cristo será um conhecimento afetivo. Na verdade, se realmente O conheço, tenho de amá-Lo. Um pouco de conhecimento de coração é melhor do que grande quantidade de conhecimento intelectual a respeito de Cristo. Nosso conhecimento de Cristo será um conhecimento que satisfaz. Quando eu conheço o Salvador, minha mente estará repleta dele. Acharei que tenho aquilo pelo que o meu espírito anelava. Jesus disse: “Eu sou o pão da vida; o que vem a mim jamais terá fome” (João 6.35). Ao mesmo tempo, será um conhecimento estimulante. Quanto mais eu conheço o meu Amado, tanto mais desejo conhecê-Lo. Quando mais alto subo, mais elevados serão os cumes que convidam meus ansiosos passos. Em conclusão, o conhecimento de Cristo será o conhecimento mais feliz. Na realidade, muitas vezes este conhecimento me elevará acima de todas as provações, dúvldas e tristezas. Enquanto o desfruto, ele me fará algo mais que “o homem, nascido de mulher, [que] vive breve tempo, cheio de inquietação” (Jó 14.1). Ele espalhará sobre mim a imortalidade do Salvador eterno e me cingirá com o cinto de ouro de sua alegria eterna. Venha, minha alma, assente-se aos pés de Jesus e aprenda dele em todo este dia.

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Todo Dia Com Paz

Assim, também vós, como desejais dons espirituais, procurai sobejar neles, para a edificação da igreja
(1 Coríntios 14:12).

DOM ESPIRITUAL NÃO É HOLOFOTE

Quem deseja os dons espirituais jamais deve perder de vista o objetivo destes dons: a edificação da Igreja. Os coríntios não tinham falta de nenhum dom; no entanto, a condição deles não manifestava a glória do Senhor. Isto aconteceu em parte devido ao fato de não fazerem uso adequado de seus dons.
Quando os crentes se reúnem para ouvir a Palavra de Deus, o Espírito Santo tem sempre em mente a edificação deles. O Senhor não concede um dom para ser um holofote para seu possuidor, mas "para o que for útil" (1 Coríntios 12:7), para a bênção e crescimento espiritual dos outros. Edificação compreende tudo o que serve para aprofundar nossa compreensão da verdade e aproximar os crentes cada vez mais do Senhor Jesus. Qualquer ministração que fortalece a nossa fé, aumenta o nosso conhecimento da vontade de Deus, conforta nosso coração ou afeta nossa consciência é edificação. O objetivo é que "cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo" (Efésios 4:15). Para atingir este propósito, os dons devem ser usados ​​sob a orientação do Espírito Santo e para a glorificação do Senhor.
A edificação da Igreja significa muito para Deus. Isto pode ser visto na exposição detalhada que Paulo dá aos coríntios nos capítulos 12 a 14. Que benção é quando todos têm consciência de sua responsabilidade, servem os seus irmãos com aquilo que o Senhor lhes deu, e não enterram seu talento na terra (Mateus 25:18), mas utilizam seu próprio dom para a edificação da Igreja.

Devocional Diário CHARLES SPURGEON

Versículo do dia: A tristeza segundo Deus produz arrependimento. (2 Coríntios 7.10)
O verdadeiro arrependimento é obra do Espírito de Deus. O arrependimento é uma flor seleta que não brota no jardim da natureza humana. A pérola se forma naturalmente no interior da ostra, mas o arrependimento nunca se manifesta nos pecadores, se a graça de Deus não agir neles. Se você tem uma partícula de verdadeiro ódio para com o pecado, foi Deus quem lhe deu este sentimento, pois os abrolhos da natureza humana nunca produziram um único figo. “O que é nascido da carne é carne” (João 3.6). O verdadeiro arrependimento tem uma ref erência específica para com o Salvador. Quando nos arrependemos do pecado, precisamos ter um olho no pecado e outro na cruz. Será melhor ainda fixarmos ambos os olhos em Cristo e enxergarmos nossas transgressões tão-somente à luz do amor dele. A verdadeira tristeza para com o pecado é eminentemente prática. Ninguém pode dizer que odeia o pecado, se vive no pecado. O arrependimento nos faz ver a malignidade do pecado não somente como algo teórico, mas também como algo experimental -assim como uma criança queimada odeia o fogo. O verdadeiro lamento pelo pecado nos tornará muito zelosos em relação à nossa língua, para que não falemos palavras impróprias. Precisamos vigiar nossas ações, para não causarmos ofensas e terminarmos o dia com dolorosas confissões de nossos erros. A cada manhã devemos nos levantar com orações para que Deus nos sustente naquele dia, a fim de que não pequemos contra Ele. O arrependimento sincero é contínuo. Os crentes se arrependem até ao dia de sua morte. Sua tristeza pelo pecado não é intermitente. Todas as outras tristezas se rendem ao tempo, mas esta bend ita tristeza cresce juntamente com o nosso crescimento espiritual. Ela é tanto doce quanto amarga, mas agradecemos a Deus por sermos permitidos desfrutar deste arrependimento e sofrê-lo até entrarmos em nosso descanso eterno.

Doações para manutenção

Banco Bradesco
Ag. 1804-0 c/c 00585785

Banco Bradesco
Ag.1804-0 conta poupança 1008973-5