segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Todo Dia Com Jesus

João 11:1-27

Em sua ansiedade, as duas irmãs de Betânia fazem um pedido ao Amigo divino. Este pedido pode servir como um exemplo para nós: "Senhor, está enfermo aquele a quem amas" (v. 3). Quando elas chamaram o Senhor, reconheceram a Sua autoridade e não Lhe disseram o que fazer, fazendo-lhe prescrições: por exemplo - Venha e cure o nosso irmão! Elas simplesmente expuseram-Lhe o caso que as preocupava. Também conheciam o Seu amor e fazem menção a ele. Contudo, este afeto não faz com que o Senhor Jesus decida imediatamente ir à Judéia. As intenções criminosas dos judeus também não O impediriam de ir ali quando fosse o momento. Só a obediência a Seu Pai dirigia os passos do Senhor. Graças a essa demora, a glória de Deus brilha muito mais, pois, quando o Senhor Jesus chega a Betânia, já faz quatro dias que Lázaro está no sepulcro. De tempos em tempos, encontramos pessoas atravessando momentos de luto. Vemos então a completa insuficiência da simpatia humana (como a dos judeus no versículo 19). Porém tudo muda quando olhamos para Aquele que é "a ressurreição e a vida". Logo compreendemos o pleno valor das coisas eternas e a nossa fé triunfa em esperança.

Ezequiel 36

1 E TU, ó filho do homem, profetiza aos montes de Israel, e dize: Montes de Israel, ouvi a palavra do Senhor.
2 Assim diz o Senhor Deus: Pois que disse o inimigo contra vós: Ah! ah! até as alturas eternas serão nossa herança;
3 Portanto, profetiza, e dize: Assim diz o Senhor Deus: Porquanto vos assolaram e devoraram de todos os lados, para que ficásseis feitos herança do restante dos gentios, e tendes andado em lábios paroleiros, e em infâmia do povo,
4 Portanto, ouvi, ó montes de Israel, a palavra do Senhor Deus: Assim diz o Senhor Deus aos montes e aos outeiros, aos rios e aos vales, aos lugares assolados e solitários, e às cidades desamparadas que se tornaram em rapina e em escárnio para o restante dos gentios que lhes estão em redor;
5 Portanto, assim diz o Senhor Deus: Certamente no fogo do meu zelo falei contra o restante dos gentios, e contra todo o Edom, que se apropriaram da minha terra, com toda a alegria de seu coração, e com menosprezo da alma, para a lançarem fora à rapina.
6 Portanto, profetiza sobre a terra de Israel, e dize aos montes, e aos outeiros, aos rios e aos vales: Assim diz o Senhor Deus: Eis que falei no meu zelo e no meu furor, porque levastes sobre vós o opróbrio dos gentios.
7 Portanto, assim diz o Senhor Deus: Eu levantei a minha mão, para que os gentios, que estão ao redor de vós, levem o seu opróbrio.
8 Mas vós, ó montes de Israel, produzireis os vossos ramos, e dareis o vosso fruto para o meu povo de Israel; porque estão prestes a vir.
9 Porque eis que eu estou convosco, e eu me voltarei para vós, e sereis lavrados e semeados.
10 E multiplicarei homens sobre vós, a toda a casa de Israel, a toda ela; e as cidades serão habitadas, e os lugares devastados serão edificados.
11 E multiplicarei homens e animais sobre vós, e eles se multiplicarão, e frutificarão. E farei com que sejais habitados como dantes e vos tratarei melhor que nos vossos princípios; e sabereis que eu sou o Senhor.
12 E farei andar sobre vós homens, o meu povo de Israel; eles te possuirão, e serás a sua herança, e nunca mais os desfilharás.
13 Assim diz o Senhor Deus: Porquanto vos dizem: Tu és uma terra que devora os homens, e és uma terra que desfilha as suas nações;
14 Por isso tu não devorarás mais os homens, nem desfilharás mais as tuas nações, diz o Senhor Deus.
15 E farei que nunca mais tu ouças a afronta dos gentios; nem levarás mais sobre ti o opróbrio das gentes, nem mais desfilharás a tua nação, diz o Senhor Deus.
16 E veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:
17 Filho do homem, quando a casa de Israel habitava na sua terra, então a contaminaram com os seus caminhos e com as suas ações. Como a imundícia de uma mulher em sua separação, tal era o seu caminho perante o meu rosto.
18 Derramei, pois, o meu furor sobre eles, por causa do sangue que derramaram sobre a terra, e dos seus ídolos, com que a contaminaram.
19 E espalhei-os entre os gentios, e foram dispersos pelas terras; conforme os seus caminhos, e conforme os seus feitos, eu os julguei.
20 E, chegando aos gentios para onde foram, profanaram o meu santo nome, porquanto se dizia deles: Estes são o povo do Senhor, e saíram da sua terra.
21 Mas eu os poupei por amor do meu santo nome, que a casa de Israel profanou entre os gentios para onde foi.
22 Dize portanto à casa de Israel: Assim diz o Senhor Deus: Não é por respeito a vós que eu faço isto, ó casa de Israel, mas pelo meu santo nome, que profanastes entre as nações para onde fostes.
23 E eu santificarei o meu grande nome, que foi profanado entre os gentios, o qual profanastes no meio deles; e os gentios saberão que eu sou o Senhor, diz o Senhor Deus, quando eu for santificado aos seus olhos.
24 E vos tomarei dentre os gentios, e vos congregarei de todas as terras, e vos trarei para a vossa terra.
25 Então aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei.
26 E dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne.
27 E porei dentro de vós o meu espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis os meus juízos, e os observeis.
28 E habitareis na terra que eu dei a vossos pais e vós sereis o meu povo, e eu serei o vosso Deus.
29 E livrar-vos-ei de todas as vossas imundícias; e chamarei o trigo, e o multiplicarei, e não trarei fome sobre vós.
30 E multiplicarei o fruto das árvores, e a novidade do campo, para que nunca mais recebais o opróbrio da fome entre os gentios.
31 Então vos lembrareis dos vossos maus caminhos, e dos vossos feitos, que não foram bons; e tereis nojo em vós mesmos das vossas iniqüidades e das vossas abominações.
32 Não é por amor de vós que eu faço isto, diz o Senhor Deus; notório vos seja; envergonhai-vos, e confundi-vos por causa dos vossos caminhos, ó casa de Israel.
33 Assim diz o Senhor Deus: No dia em que eu vos purificar de todas as vossas iniqüidades, então farei com que sejam habitadas as cidades e sejam edificados os lugares devastados.
34 E a terra assolada será lavrada, em lugar de estar assolada aos olhos de todos os que passavam.
35 E dirão: Esta terra assolada ficou como jardim do Éden: e as cidades solitárias, e assoladas, e destruídas, estão fortalecidas e habitadas.
36 Então saberão os gentios, que tiverem ficado ao redor de vós, que eu, o Senhor, tenho reedificado as cidades destruídas, e plantado o que estava devastado. Eu, o Senhor, o disse e o farei.
37 Assim diz o Senhor Deus: Ainda por isso serei solicitado pela casa de Israel, que lho faça; multiplicar-lhes-ei os homens, como a um rebanho.
38 Como o rebanho santificado, como o rebanho de Jerusalém nas suas solenidades, assim as cidades desertas se encherão de rebanhos de homens; e saberão que eu sou o Senhor.

domingo, 29 de setembro de 2013

Todo Dia Com Jesus

João 10:22-42

Com evidente má fé, os judeus uma vez mais questionam o Senhor: "Se tu és o Cristo, dize-o francamente" (v. 24). Mas, Ele não só já havia declarado isso a eles (por exemplo 8:58), senão que também o havia demonstrado (v. 25, 32, 37, 38). Assim, de agora em diante, Ele limita as Suas atividades só ao Seu rebanho. As ovelhas pertencem a ele por direito; primeiro, porque o Pai as tem dado expressamente a Ele (v. 29), e depois, também, porque Ele as resgatou. Os versículos 27 e 28 são muito preciosos porque nos dizem o que Ele faz pelas Suas ovelhas: Ele lhes dá vida eterna, Ele as conduz, Ele as abriga sob a proteção de Suas mãos - e elas são caracterizadas por ouvirem a Sua voz e O seguir. Isso é certamente a resposta adequada ao Seu maravilhoso amor!
De novo os judeus tentam apedrejar o Senhor Jesus (8:59), desta vez acusando-O de blasfêmia. "Sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo" dizem eles. Esta era verdadeiramente a ambição do primeiro Adão e de todos os seus descendentes: ser igual a Deus. Porém o Senhor Jesus seguiu exatamente o caminho oposto - "Pois ele, subsistindo em forma de Deus", foi "reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou" (Filipenses 2:6-8).
No entanto, o versículo 42 ainda conclui: "E muitos creram nele" (tal como no cap. 8:30). Estes se tornaram Suas benditas ovelhas.
O Poder e a Mensagem do Evangelho (Paul Washer)
Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó portais eternos, para que entre o Rei da Glória. Quem é o Rei da Glória? O SENHOR, forte e poderoso, o SENHOR, poderoso nas batalhas. Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó portais eternos, para que entre o Rei da Glória. Quem é esse Rei da Glória? O SENHOR dos Exércitos, ele é o Rei da Glória.   (Salmo 24.7-10)
Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os céus, conservemos firmes a nossa confissão. Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado.    (Hebreus 4.14-15)
As Escrituras afirmam que, quarenta dias após a ressurreição, Cristo ascendeu aos céus na presença de um grande grupo dos seus discípulos. No livro de Atos, lemos: “Ditas estas palavras, foi Jesus elevado às alturas, à vista deles, e uma nuvem o encobriu dos seus olhos.”[1] O evangelho de Lucas testifica: “Aconteceu que, enquanto os abençoava, ia-se retirando deles, sendo elevado para o céu.”[2] Marcos declara: “De fato, o Senhor Jesus, depois de lhes ter falado, foi recebido no céu e assentou-se à destra de Deus.”[3] O apóstolo Paulo descreve desta forma: “Aquele que foi manifestado na carne foi justificado em espírito, contemplado por anjos, pregado entre os gentios, crido no mundo, recebido na glória.”[4]
A ressurreição e ascensão de Cristo foram precursoras e provas da sua coroação e entronização à destra de Deus. De acordo com as Escrituras, o Pai glorificou o Filho, consigo mesmo, com a glória que este tinha junto dele, antes que houvesse mundo.[5] Contudo, a glória que foi reganhada é maior do que a glória da qual ele se esvaziou quando veio a este mundo.[6] Pois agora, ele se senta à destra do Pai não somente como a plenitude da Divindade, mas também como o Homem glorificado; não somente como Regente, mas também como Redentor e Sumo Sacerdote. Ele é Deus, o Filho, e o segundo Adão; Ele é o Leão e Rei e também o Cordeiro que foi morto; Ele é o Juiz de toda a terra e o Grande Sumo Sacerdote que se ofereceu como propiciação pelos pecados do seu povo.

A ascensão de Cristo

Para começarmos a considerar este majestoso tema da ascensão, prestaremos atenção primeiro à Escritura do Antigo Testamento. O Salmo 24 de Davi é uma liturgia de procissão que celebra a entrada do Senhor em Sião. A igreja há muito tempo interpretou este salmo como a celebração da ascensão de Cristo a Jerusalém celestial e ao “maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos”.[7] Embora, nos últimos anos, seja debatido até que ponto este salmo pode ser aplicado a Cristo, os Reformadores, os Puritanos e alguns dos maiores teólogos e expositores através da história de igreja interpretaram-no cristologicamente. Aqui, seguiremos a direção deles e acharemos neste salmo a glória de Cristo ao ascender à destra de Deus.
Os primeiros seis versículos do Salmo 24 discursam sobre uma questão extremamente importante: quem entrará na presença do Senhor? Como veremos, as exigências são rígidas e inflexíveis: “Quem subirá ao monte do SENHOR? Quem há de permanecer no seu santo lugar? O que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à falsidade, nem jura dolosamente.”[8] Ao lermos este texto, devemos imediatamente reconhecer que não nos qualificamos para subir ao monte do Senhor ou permanecer no seu santo lugar. Nossas mãos estão sujas, nossos corações, impuros, nossas almas, cheias de idolatria e nossos lábios, contaminados pelo engano. Nossos pecados fizeram separação entre nós e nosso Deus e fecharam a entrada para os céus tão rigorosamente como Jericó, onde ninguém saía, nem entrava.[9] O veredito contra nós é justo: não há justo, nem um sequer.[10] Entregues a nós mesmos, não temos nenhum recurso, a não ser nos calarmos e aguardarmos a nossa condenação.[11] Ainda que nos lavemos com água de neve e purifiquemos as mãos com cáustico, a mácula da nossa iniquidade está perante o Senhor.[12] Não podemos entrar nem nos aproximar.
Em todos os sentidos, a humanidade está completamente desqualificada, contudo há Um dentre a nossa raça que penetrou os céus e se coloca diante de Deus como um advogado em prol do seu povo – Jesus Cristo, o justo.[13] Ele é um descendente de Adão e, portanto, verdadeiramente um dos nossos. Durante a sua peregrinação terrena, ele era em tudo semelhante a nós, mas sem pecado.[14] Ele glorificou a Deus em cada pensamento, palavra e ação e amou o Senhor, seu Deus, com todo o seu coração, alma, mente e força.[15] Uma obediência interrupta marcou todo o curso da sua vida.[16] Ele era inculpável diante da lei e mostrou não possuir sombra ou mancha diante da resplandecente e pura luz da santidade de Deus, que expõe quaisquer trevas. As Escrituras declaram que Deus atribui imperfeições aos seus anjos, mas em Jesus ele encontrou somente santidade perfeita e um infinito estoque de integridade.[17] Ele era santo, inculpável, sem mácula, separado dos pecadores – o único membro da raça adâmica que foi aprovado por Deus em virtude do seu próprio mérito.[18] Ele foi o único a quem Deus testificou: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.”[19]


[1] Atos 1.9
[2] Lucas 24.51
[3] Marcos 16.19
[4] 1 Timóteo 3.16
[5] João 17.5
[6] Filipenses 2.6-8
[7] Hebreus 9.11, 24
[8] Salmo 24.3-4
[9] Isaías 59.2, Josué 6.1
[10] Romanos 3.10
[11] Romanos 3.19
[12] Jó 9.30-31; Jeremias 02.22
[13] Hebreus 4.14, 1 João 2.1
[14] Hebreus 4.15
[15] 1 Coríntios 10.31; Mateus 22.37; Marcos 12.30; Lucas 10.27
[16] João 8.29
[17] Jó 4.18
[18] Hebreus 7.26
[19] Mateus 3.17; 17.5; Marcos 1.11; 9.7; Lucas 3.22

O Poder e a Mensagem do Evangelho (Paul Washer)Extraído do livro 24º capítulo do livro “O Poder e a Mensagem do Evangelho” de Paul Washer, a ser lançado pela Editora Fiel. Tivemos a oportunidade de traduzi-lo e o privilégio de poder compartilhar pequenos trechos de cada capítulo com vocês.
Tradução: Vinícius Musselman Pimentel. Versão não revisada ou editada. Postado com permissão.
© Editora Fiel. Todos os direitos reservados. Original: A Ascensão de Cristo como Sumo Sacerdote de Seu Povo (Paul Washer) [24/26]
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Rumores sobre terceiro templo fazem palestinos declarar guerra a Israel

Rumores sobre terceiro templo fazem palestinos declarar guerra a IsraelRumores sobre terceiro templo fazem palestinos declarar guerra a Israel
Centenas de palestinos se reuniram este mês para alertar o mundo árabe: Israel quer destruir a mesquita de al Aqsa para construir seu templo.
Enquanto o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas discursa na Assembleia Geral da ONU, vários grupos palestinos estão se preparando para uma terceira intifada contra Israel. Intifada é o termo que significa “revolta”, anunciado toda a vez que os palestinos desejam um ataque mais forte contra os judeus. A primeira foi em 1987 e a segunda em 2000, quando foi provocada pela visita  à caminhada de à caminhada de Ariel Sharon pela Esplanada das Mesquitas. Nos meses seguintes os conflitos deixaram muitos mortos e feridos.
A convocação desta vez foi um sinal de protesto contra a visita de grupos judeus ao Monte do Templo e a divulgação recente de que todos os preparativos já foram feitos para reerguê-lo.
Vários grupos de palestinos saíram às ruas após as orações da sexta, seu dia santo, para expressar sua “solidariedade com a Mesquita Al Aksa em face da agressão israelense”. Na semana passada, milhares de árabes israelenses participaram da manifestação “Al-Aksa está em perigo” no estádio de futebol em Umm al-Fahm. O evento teve cobertura da rede Al Jazeera.
O Sheikh Husam Abu Lil declarou diante das câmeras de TV que o governo de Israel está aproveitando que os olhos do mundo árabe estão voltados para situações no Egito e na Síria para tentar destruir o Domo da Rocha. O sheik Katib questionou o governo israelense “Por que vocês estão iniciando uma guerra santa na qual seu povo será o primeiro a ser exterminado?”
Ontem, (27), o grupo terrorista Hamas, ameaçou retomar os atentados suicidas contra Israel. Seu porta-voz Abu Obaida, disse aos jornalistas “Estamos prontos para ensinar uma lição a eles caso ocorram novos ataques contra a Faixa de Gaza”. Aproveitou para anunciar seu desejo de travar uma nova intifada, contra os esforços de Israel para “judaizar Jerusalém”.
O líder do grupo extremista Jihad Islâmica, Ahmed al-Mudallal, também exortou os palestinos “A nova intifada deve entrar em efeito contra o inimigo sionista. Acreditamos que o nosso povo tem a vontade e a capacidade de libertar a Palestina desde o rio até o mar”.
Acusando Israel de fazer novos esforços para retomar o Monte do Templo, destruindo assim os lugares sagrados para os muçulmanos, o líder da Jihad Islâmica pediu à Autoridade Palestina que encerre as atuais conversações de paz.
Um grupo palestino denominado Coalização Jovem também fez coro à Intifada, pedindo que os palestinos demonstrem sua indignação contra as visitas judaicas ao Monte do Templo. Ele diz que tem o apoio do Fatah, Hamas, Jihad Islâmica, Frente Popular para a Libertação da Palestina e da Iniciativa Nacional Palestina.
Os soldados pertencentes às Brigadas dos Mártires de Aksa, apareceram em imagens divulgadas na internet armados e mascarados, ameaçando lançar ataques contra Israel em breve. “O inimigo logo irá pagar um alto preço por seus crimes em Jerusalém”, disse um porta-voz do grupo.
A mídia israelense questiona a falta de divulgação das ameaças contra a paz em Israel, enquanto grande parte da imprensa divulga declarações do governo iraniano e da Autoridade Palestina. Com informações de Jerusalém Post.

Ezequiel 35

1 E VEIO a mim a palavra do Senhor, dizendo:
2 Filho do homem, dirige o teu rosto contra o monte Seir, e profetiza contra ele.
3 E dize-lhe: Assim diz o Senhor Deus: Eis que eu estou contra ti, ó monte Seir, e estenderei a minha mão contra ti, e te farei maior desolação.
4 As tuas cidades farei desertas, e tu serás desolado; e saberás que eu sou o Senhor.
5 Porquanto guardaste inimizade perpétua, e espalhaste os filhos de Israel pelo poder da espada no tempo da sua calamidade e no tempo da iniqüidade final.
6 Por isso vivo eu, diz o Senhor Deus, que te preparei para sangue, e o sangue te perseguirá; visto que não odiaste o sangue, o sangue te perseguirá.
7 E farei do monte Seir uma extrema desolação, e exterminarei dele o que por ele passar, e o que por ele voltar.
8 E encherei os seus montes dos seus mortos; nos teus outeiros, e nos teus vales, e em todos os teus rios cairão os mortos à espada.
9 Em desolações perpétuas te porei, e as tuas cidades nunca mais serão habitadas; assim sabereis que eu sou o Senhor.
10 Porquanto disseste: As duas nações e as duas terras serão minhas, e as possuiremos, sendo que o Senhor se achava ali.
11 Portanto, vivo eu, diz o Senhor Deus, que procederei conforme a tua ira, e conforme a tua inveja, de que usaste, no teu ódio contra eles; e me farei conhecer entre eles, quando te julgar.
12 E saberás que eu, o Senhor, ouvi todas as tuas blasfêmias, que proferiste contra os montes de Israel, dizendo: Já estão assolados, a nós nos são entregues por pasto.
13 Assim vos engrandecestes contra mim com a vossa boca, e multiplicastes as vossas palavras contra mim. Eu o ouvi.
14 Assim diz o Senhor Deus: Quando toda a terra se alegrar eu te porei em desolação.
15 Como te alegraste da herança da casa de Israel, porque foi assolada, assim te farei a ti; assolado serás, ó monte Seir, e todo o Edom, sim, todo ele; e saberão que eu sou o Senhor.

sábado, 28 de setembro de 2013

Todo Dia Com Jesus

João 10:7-21

Não encontramos parábolas neste Evangelho. Aquele que é "a Palavra" fala aqui numa linguagem direta. Por outro lado, o Senhor emprega muitas preciosas figuras e comparações para dar-Se a conhecer. Observe as passagens em que Ele declara "Eu sou" [o Pão da Vida (6:35, 48, 51); a Luz do Mundo (8:12); a Porta (10:7, 9); o Bom Pastor (10:11, 14); a Ressurreição e a Vida (11:25); o Caminho, a Verdade e a Vida (14:6); a Videira (15:1-5)]. Aqui, nos versos 7 e 9, diz: "Eu sou a porta das ovelhas". Para sermos salvos, devemos entrar por Ele (compare Efésios 2:18). Mas também necessitamos ser guiados. Se formos entregues a nós mesmos, seremos semelhantes a uma ovelha, um animal sem inteligência, que se desvia quando não tem um líder (leia Isaías 53:6). Em contraste com os mercenários, com os ladrões e com os salteadores, os quais são hábeis em roubar almas, o Senhor Jesus apresenta-Se como o Bom Pastor (v. 11 e 14). E dá duas evidências disso: 1) a primeira é a dádiva voluntária de Sua vida para adquirir as ovelhas - prova suprema de amor por elas e ao mesmo tempo, não nos esqueçamos, a sublime razão pela qual o Pai o ama (v. 17).
2) a segunda é o Seu relacionamento com Suas ovelhas: Ele conhece todas elas e elas conhecem o seu Pastor (v. 14). Um vínculo tão forte confirma os Seus direitos sobre o Seu rebanho e sobre cada um de nossos corações.

Campanha de oração por pastor preso no Irã tem apoio de Billy Graham

Imagem: Divulgação
Pr. Saeed é casado e tem dois filhos
O Centro Brasileiro Para Lei & Justiça (CBLJ) está fazendo uma ampla divulgação sobre a campanha de oração mundial em favor do pastor americano Saeed Abedini. Nesta quinta-feira (26), completa um ano em que ele está preso injustamente no Irã por defender a sua fé em Cristo Jesus. Ele foi condenado a oito anos em regime fechado e teve seu recurso de redução de pena negado de maneira arbitrária.
Em favor da liberdade religiosa e pela vida do pastor Saeed, o Centro Americano para Lei & Justiça está realizando vigílias de oração ao redor do mundo. “Nos Estados Unidos, mais de 70 cidades estão fazendo as vigílias. No Brasil temos várias igrejas também colaborando e orando pelo pastor Saeed”, informou Filipe Coelho, representante do CBLJ.
Junte-se a essa campanha e faça orações em sua casa, igreja, trabalho, ou onde for. A orientação do CBLJ é que pessoas do mundo inteiro gravem um vídeo ou tirem fotos desses momentos de oração e envie para o e-mail savesaeed@gmail.com, “pois só com imagens podemos pressionar o governo do Irã”, disse Felipe Coelho.
Outras informações no site www.cblj.org
Billy Graham
Imagem: DivulgaçãoNesta quinta-feira, o presidente do Irã Hassan Rohani, discursou na Assembleia Geral da ONU, o que motivou o pastor Billy Graham a escrever uma carta pedindo a libertação do pastor Saeed Abedini.  Leia na íntegra:
Billy Graham
Motreat, Carolina do Norte 26157
23 de setembro de 2013 
Presidente Hassan Rouhani, da República Islâmica do Irã
Caro Sr. Presidente Rouhani,
Tenho assistido com grande preocupação sobre o caso do Pastor Saeed Abedini, um cidadão americano que está preso em seu país. Ele estava no Irã trabalhando para construir um orfanato, quando foi preso e mais tarde condenado a oito anos de prisão. A sua situação tem recebido um nível cada vez mais elevado de atenção nos Estados Unidos. Infelizmente essa publicidade foi totalmente negativa para o Irã, com a crença de que a principal razão para a prisão de Pastor Abedini foi por causa de sua fé cristã.
O senhor como líder religioso muitas vezes tem falado (de maneira pública e também privada, com a nossa liderança nacional) sobre a necessidade de uma maior compreensão e paz entre as nações do mundo. O senhor chegou aos Estados Unidos esta semana para a Assembleia Geral da ONU em Nova York, e minha sincera esperança é de que possam ser encontradas formas de reduzir as atuais tensões entre os Estados Unidos e a República Islâmica do Irã.
O anúncio nesta segunda-feira de que seu país libertou oitenta presos políticos é muito encorajador. Temo, porém, que a publicidade atual em torno da prisão do Pastor Abedini, um cidadão americano, possa prejudicar ainda mais a já frágil relação que atualmente existe entre as nossas duas nações.
Em 26 de setembro, o aniversário de um ano de prisão do pastor Abedini, milhares assistirão a uma vigília de oração em mais de setenta cidades dos EUA, em favor desse marido, pai e servo de Deus. Eu me junto a eles e respeitosamente peço que liberte o Pastor Saeed Abedini da prisão. Tal ação, creio eu, teria um impacto positivo em nossa nação, e pode muito bem ser percebida por nossa liderança como um passo significativo na redução de tensões.
Respeitosamente,
Billy Graham.

Pastor é perseguido no Brasil por trabalho de defesa dos Direitos Humanos em reservas extrativistas

Pastor é perseguido no Brasil por trabalho de defesa dos Direitos Humanos em reservas extrativistas
O pastor assembleiano Antônio Vasconcelos, 59 anos, atua como a principal liderança da unidade de conservação Reserva Extrativista do rio Ituxi, na cidade de Lábrea, sul do Amazonas.
Devido à perseguição sofrida por confrontar fazendeiros da região, tem direito à escolta do Programa de Proteção de Defensores de Direitos Humanos da Secretaria Especial de Direitos Humanos (SEDH).
“A luta começou quando me tornei pastor”, afirma Vasconcelos, que se diz cansado da “falta de preparo” das guarnições destacadas para lhe proteger. Diz ter sofrido “agressão verbal e autoritarismo”, e por isso decidiu “se arriscar” e abrir mão da escolta. A decisão foi notificada à SEDH em carta, recentemente. No documento, o pastor se queixa da pressão sofrida: “Eu não possuo mais condições emocionais para estar nessa situação”.
Nos anos em que atua como ativista defensor dos Direitos Humanos, o pastor esteve perto de ser morto. Num dos episódios, um grupo de pistoleiros contratados para matá-lo teve sua ação interrompida pela chegada de treze policiais da Força Nacional de Segurança Pública, destacados para iniciar a escolta ao pastor.
Segundo o site A Pública, Vasconcelos só havia sido informado que a escolta seria iniciada a qualquer momento, mas não tinha recebido informações sobre a data exata. “Os policiais bateram na minha porta e anunciaram o início da escolta. Me explicaram como seria e depois foram se hospedar em um hotel”. Nesse momento, os pistoleiros “fugiram”, segundo o pastor. “Uma camareira ouviu a conversa deles. Quando viram que os policiais chegaram, um deles pegou o celular e ligou para alguém, dizendo ‘sujou, sujou, tem um monte de polícia aqui. Não dá mais para fazer o trabalho’. Decidiram ir embora”.
Na região do rio Ituxi desde 1995, o pastor Antônio Vasconcelos conta que não se limitou apenas a pregar a palavra de Deus, por sentir-se incomodado com a falta de perspectiva da população ribeirinha e com a exploração sofrida pelo povo de seus “patrões”.
Assim, ensinou os moradores da região a ler e escrever, além de trabalhar voluntariamente como agente de saúde. Reconhecido pelos ribeirinhos, passou a cobrar da prefeitura carteiras escolares, material didático, escola e posto de saúde: “Percebi que faltava alguém para incentivar aquele povo, porque eles erravam por não conhecer. Reuni três comunidades e dava aula em dois turnos para crianças e adultos. Não existia luz elétrica. Cada aluno levava uma lamparina e colocava na carteira. Mesmo assim eles nunca faltavam. Todos tinham interesse em aprender e eu muito mais de ensinar”, relembra.
Com o passar do tempo, percebeu a necessidade de oferecer alternativas de renda para a população, e assim, buscou criar uma Reserva Extrativista (RESEX) na região. Nessas RESEX, são feitas coletas de produtos como copaíba, seringa, andiroba e castanha, de forma susntentável e com apoio do Ministério do Meio Ambiente: “Eu nem sabia o que era RESEX. Só ouvia falar e senti necessidade de aprender. Foi quando fiz um intercâmbio nas áreas onde já existiam RESEX. Fui a Xapuri, onde morou Chico Mendes. Não sabia que eu já era conhecido. Foi a partir daquela reunião em Xapuri que eu soube que corria risco de morrer”, afirma.
Os problemas mais intensos, segundo o pastor, começaram em 2001: “Os poderosos não queriam a RESEX porque a terra já estava toda demarcada pelos grileiros. A prefeitura dizia que ia prejudicar a economia local. Foi um embate muito duro. Quando a maioria decidiu pela criação da RESEX, eles (os políticos e os fazendeiros) ficaram muito revoltados, mas saímos vitoriosos. A criação da RESEX foi assinada em 2007 pelo presidente Lula. Mas foi aí que começou problema. Foi quando passamos a ser ameaçados com mais força. A situação piorou quando mataram o Dinho”, diz Vasconcelos, referindo-se a Adelino Ramos, outro líder popular da região, assassinado há dois anos.
Com a violência instalada, e a necessidade de escolta, o pastor passou a sentir-se preso, sem liberdade de atuar: “Minha rotina de trabalho nas comunidades, na coleta de castanha, no plantio e na atividade da igreja parou”, lamenta, antes de contar um dos episódios que o motivaram a pedir a dispensa da escolta: “Um tenente chegava na minha casa e colocava a arma na mesa. Me dizia que eu não poderia sair para canto algum. Recebia ameaças dele todos os dias. Uma vez ele ameaçou me prender sob acusação de abuso por desacato à autoridade. Peguei gastrite nervosa, entrei em estado depressivo. Foi preciso eu denunciar à SEDH. Foi também a única vez em que uma psicóloga dos Direitos Humanos me ouviu”.
Segundo ele, a situação mudou com a troca do tenente, mas voltou a se tornar problemática pouco tempo depois: “Recentemente sofri um novo problema. Um dos policiais gritou comigo na viatura, me ameaçou e me desrespeitou. Há momentos em que eles ficam colocando músicas imorais em frente da minha casa. Sem a escolta, quero apenas ter direito a um porte de arma, pois quero voltar a morar na RESEX e preciso me defender”, afirma.
Segundo dados da SEDH, Antonio Vasconcelos é um dos 400 “defensores” dos Direitos Humanos no Brasil que são ameaçados de morte por seu trabalho social.
Por Tiago Chagas

Arqueólogos acreditam ter encontrado as lendárias “minas do rei Salomão”

Arqueólogos acreditam ter encontrado as lendárias “minas do rei Salomão”Arqueólogos acreditam ter encontrado as "minas do rei Salomão"
O termo “As Minas do Rei Salomão” é um romance publicado pelo autor inglês Henry Rider Haggard, que fez sucesso no mundo todo.  É a narrativa ficcional sobre uma jornada em meio as selvas do interior da África, onde um grupo de aventureiros busca uma grande riqueza   escondida nas minas que pertenceriam ao rei de Israel, que fora um dos homens mais ricos do mundo em seus dias. O interesse sobre o tema chegou a ser mostrado em filmes de Hollywood.
Uma exploração real, na década de 1930, liderada pelo arqueólogo americano Nelson Glueck afirmou ter encontrado as verdadeiras “minas do Rei Salomão”, não no interior da África, mas na região onde ficava o reino bíblico de Edom.
Pesquisas realizadas ao longo do século 20 questionavam as afirmações de Glueck, especialmente após a descoberta de um grande templo egípcio no centro do vale, em 1969. Para um grupo de influentes arqueólogos, os antigos egípcios construíram as minas no século 13 a.C., em um período muito anterior ao reinado de Salomão no século 10.
As recentes escavações em minas de cobre no extremo sul de Israel podem oferecer novas evidências sobre o reinado de Salomão, que dominou a região durante 40 anos. Sabe-se que durante a chamada “Idade do Ferro”, teve início a exploração dos depósitos de cobre no Vale de Timna, que hoje fazem parte de Israel.
Existem milhares de antigas minas e dezenas de locais de fundição naquele distrito. O debate atual dos arqueólogos é sobre quem controlava essas minas, e quando isso ocorreu. As escavações recentes realizadas no Vale de Timna revelaram ao mundo artefatos do século 10 a.C, o que coincidiria com o período do rei Salomão. Contudo, especialistas acreditam que as minas eram exploradas pelos edomitas, um povo que várias vezes guerreou com Israel.
minas do rei salomao Arqueólogos acreditam ter encontrado as lendárias minas do rei Salomão
Possível local das minas do rei Salomão.
“Sem dúvida, as minas são do período do rei Salomão”, assevera o arqueólogo Erez Ben-Yosef, da Universidade de Tel Aviv. “Essas descobertas podem nos ajudar a compreender a sociedade local, pois se não fossem minas teriam passado despercebidas”.
Desde o ano passado, Ben-Yosef e sua equipe fazem escavações em uma área conhecida como “Colina dos Escravos”, um local de fundição inexplorado, que contém centenas de fornos e camadas de cobre restante da extração do metal.
Embora não existam ruínas arquitetônicas significativas no local, os arqueólogos encontraram   pedaços de roupas, cordas, tecidos e objetos de cerâmica, além de restos de alimentos. Foram recolhidas 11 amostras desse material e submetidas a testes de datação de carbono na Universidade de Oxford, Inglaterra. Os resultados mostram que os itens datam da época do reinado de Salomão.
Ben-Yosef comemora, “No Vale de Timna, certamente descobrimos uma sociedade com alto grau de desenvolvimento, organização e poder”.
A importância da descoberta se dá por que na arqueologia existe um antigo debate se os reis Davi e Salomão de fato existiram. Até recentemente, as únicas menção a eles encontravam-se nos textos do Antigo Testamento e na tradição judaica.  Ben-Yosef acredita que sua descoberta poderá provar que essas figuras bíblicas tinham controle sobre as minas do Vale de Timna, apelidadas agora de “as minas do Rei Salomão”.
A descoberta ainda precisa passar pelo longo e criterioso processo de reconhecimento arqueológico, mas deve entrar para a história quando for publicada em breve na conceituada revista científica American Schools of Oriental Research. Parece receber uma importância maior no momento em que cresce em Israel a possibilidade de se reconstruir o Templo de Salomão, pois o principal argumento dos muçulmanos que dominam o local é que não existem provas científicas provando que Salomão sequer existiu. Com informações de Live Science.

Ezequiel 34

1 E VEIO a mim a palavra do Senhor, dizendo:
2 Filho do homem, profetiza contra os pastores de Israel; profetiza, e dize aos pastores: Assim diz o Senhor Deus: Ai dos pastores de Israel que se apascentam a si mesmos! Não devem os pastores apascentar as ovelhas?
3 Comeis a gordura, e vos vestis da lã; matais o cevado; mas não apascentais as ovelhas.
4 As fracas não fortalecestes, e a doente não curastes, e a quebrada não ligastes, e a desgarrada não tornastes a trazer, e a perdida não buscastes; mas dominais sobre elas com rigor e dureza.
5 Assim se espalharam, por não haver pastor, e tornaram-se pasto para todas as feras do campo, porquanto se espalharam.
6 As minhas ovelhas andaram desgarradas por todos os montes, e por todo o alto outeiro; sim, as minhas ovelhas andaram espalhadas por toda a face da terra, sem haver quem perguntasse por elas, nem quem as buscasse.
7 Portanto, ó pastores, ouvi a palavra do Senhor:
8 Vivo eu, diz o Senhor Deus, que, porquanto as minhas ovelhas foram entregues à rapina, e as minhas ovelhas vieram a servir de pasto a todas as feras do campo, por falta de pastor, e os meus pastores não procuraram as minhas ovelhas; e os pastores apascentaram a si mesmos, e não apascentaram as minhas ovelhas;
9 Portanto, ó pastores, ouvi a palavra do Senhor:
10 Assim diz o Senhor Deus: Eis que eu estou contra os pastores; das suas mãos demandarei as minhas ovelhas, e eles deixarão de apascentar as ovelhas; os pastores não se apascentarão mais a si mesmos; e livrarei as minhas ovelhas da sua boca, e não lhes servirão mais de pasto.
11 Porque assim diz o Senhor Deus: Eis que eu, eu mesmo, procurarei pelas minhas ovelhas, e as buscarei.
12 Como o pastor busca o seu rebanho, no dia em que está no meio das suas ovelhas dispersas, assim buscarei as minhas ovelhas; e livrá-las-ei de todos os lugares por onde andam espalhadas, no dia nublado e de escuridão.
13 E tirá-las-ei dos povos, e as congregarei dos países, e as trarei à sua própria terra, e as apascentarei nos montes de Israel, junto aos rios, e em todas as habitações da terra.
14 Em bons pastos as apascentarei, e nos altos montes de Israel será o seu aprisco; ali se deitarão num bom redil, e pastarão em pastos gordos nos montes de Israel.
15 Eu mesmo apascentarei as minhas ovelhas, e eu as farei repousar, diz o Senhor Deus.
16 A perdida buscarei, e a desgarrada tornarei a trazer, e a quebrada ligarei, e a enferma fortalecerei; mas a gorda e a forte destruirei; apascentá-las-ei com juízo.
17 E quanto a vós, ó ovelhas minhas, assim diz o Senhor Deus: Eis que eu julgarei entre ovelhas e ovelhas, entre carneiros e bodes.
18 Acaso não vos basta pastar os bons pastos, senão que pisais o resto de vossos pastos aos vossos pés? E não vos basta beber as águas claras, senão que sujais o resto com os vossos pés?
19 E quanto as minhas ovelhas elas pastarão o que haveis pisado com os vossos pés, e beberão o que haveis sujado com os vossos pés.
20 Por isso o Senhor Deus assim lhes diz: Eis que eu, eu mesmo, julgarei entre a ovelha gorda e a ovelha magra.
21 Porquanto com o lado e com o ombro dais empurrões, e com os vossos chifres escorneais todas as fracas, até que as espalhais para fora.
22 Portanto livrarei as minhas ovelhas, para que não sirvam mais de rapina, e julgarei entre ovelhas e ovelhas.
23 E suscitarei sobre elas um só pastor, e ele as apascentará; o meu servo Davi é que as apascentará; ele lhes servirá de pastor.
24 E eu, o Senhor, lhes serei por Deus, e o meu servo Davi será príncipe no meio delas; eu, o Senhor, o disse.
25 E farei com elas uma aliança de paz, e acabarei com as feras da terra, e habitarão em segurança no deserto, e dormirão nos bosques.
26 E delas e dos lugares ao redor do meu outeiro, farei uma bênção; e farei descer a chuva a seu tempo; chuvas de bênção serão.
27 E as árvores do campo darão o seu fruto, e a terra dará a sua novidade, e estarão seguras na sua terra; e saberão que eu sou o Senhor, quando eu quebrar as ataduras do seu jugo e as livrar da mão dos que se serviam delas.
28 E não servirão mais de rapina aos gentios, as feras da terra nunca mais as devorarão; e habitarão seguramente, e ninguém haverá que as espante.
29 E lhes levantarei uma plantação de renome, e nunca mais serão consumidas pela fome na terra, nem mais levarão sobre si o opróbrio dos gentios.
30 Saberão, porém, que eu, o Senhor seu Deus, estou com elas, e que elas são o meu povo, a casa de Israel, diz o Senhor Deus.
31 Vós, pois, ó ovelhas minhas, ovelhas do meu pasto; homens sois; porém eu sou o vosso Deus, diz o Senhor Deus.

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Todo Dia Com Jesus

João 9:35 - 10:1-6

Foi uma boa coisa para o cego que foi curado ter sido expulso pelos fariseus. Pois, fora ele encontrar Aquele que foi rejeitado antes dele e que também havia saído do templo, conforme lemos no capítulo anterior. Agora esse homem vai poder dar um grande passo adiante na apreensão da verdade e conhecer não só o poder de Jesus, mas também a Sua Pessoa: Aquele, a quem ele antes reconhecera ser um profeta, (v. 17) é, na verdade, o Filho de Deus (v. 35-37). Muitas pessoas se contentam em saber que elas são salvas, mas são ignorantes a respeito do próprio Salvador. Talvez seja porque ainda estão presas aos sistemas religiosos e ainda não têm experimentado a presença do Senhor, ali onde Ele prometeu estar (Mateus 18:20).
Ainda que afirmem ver claramente, esses fariseus se deixam cegar pelo ódio e pelo orgulho religioso. No capítulo 8 eles rejeitaram a Palavra do Senhor; no capítulo 9 é a Sua obra que eles não querem. Por isso, Ele já não tem mais nada a ver com eles. Ele chama as Suas próprias ovelhas pelo nome, guia-as para fora e vai adiante delas. Mas, poderiam elas se equivocar e seguir a um estranho que as extraviará? Certamente que não, elas têm um meio infalível de reconhecer Aquele a quem pertencem - elas conhecem a Sua voz. A voz dEle é familiar a todos nós?

Ezequiel 33

1 E VEIO a mim a palavra do Senhor, dizendo:
2 Filho do homem, fala aos filhos do teu povo, e dize-lhes: Quando eu fizer vir a espada sobre a terra, e o povo da terra tomar um homem dos seus termos, e o constituir por seu atalaia;
3 E, vendo ele que a espada vem sobre a terra, tocar a trombeta e avisar o povo;
4 Se aquele que ouvir o som da trombeta, não se der por avisado, e vier a espada, e o alcançar, o seu sangue será sobre a sua cabeça.
5 Ele ouviu o som da trombeta, e não se deu por avisado, o seu sangue será sobre ele; mas o que se dá por avisado salvará a sua vida.
6 Mas, se quando o atalaia vir que vem a espada, e não tocar a trombeta, e não for avisado o povo, e a espada vier, e levar uma vida dentre eles, este tal foi levado na sua iniqüidade, porém o seu sangue requererei da mão do atalaia.
7 A ti, pois, ó filho do homem, te constituí por atalaia sobre a casa de Israel; tu, pois, ouvirás a palavra da minha boca, e lha anunciarás da minha parte.
8 Se eu disser ao ímpio: Ó ímpio, certamente morrerás; e tu não falares, para dissuadir ao ímpio do seu caminho, morrerá esse ímpio na sua iniqüidade, porém o seu sangue eu o requererei da tua mão.
9 Mas, se advertires o ímpio do seu caminho, para que dele se converta, e ele não se converter do seu caminho, ele morrerá na sua iniqüidade; mas tu livraste a tua alma.
10 Tu, pois, filho do homem, dize à casa de Israel: Assim falais vós, dizendo: Visto que as nossas transgressões e os nossos pecados estão sobre nós, e nós desfalecemos neles, como viveremos então?
11 Dize-lhes: Vivo eu, diz o Senhor Deus, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho, e viva. Convertei-vos, convertei-vos dos vossos maus caminhos; pois, por que razão morrereis, ó casa de Israel?
12 Tu, pois, filho do homem, dize aos filhos do teu povo: A justiça do justo não o livrará no dia da sua transgressão; e, quanto à impiedade do ímpio, não cairá por ela, no dia em que se converter da sua impiedade; nem o justo poderá viver pela sua justiça no dia em que pecar.
13 Quando eu disser ao justo que certamente viverá, e ele, confiando na sua justiça, praticar a iniqüidade, não virão à memória todas as suas justiças, mas na sua iniqüidade, que pratica, ele morrerá.
14 Quando eu também disser ao ímpio: Certamente morrerás; se ele se converter do seu pecado, e praticar juízo e justiça,
15 Restituindo esse ímpio o penhor, indenizando o que furtou, andando nos estatutos da vida, e não praticando iniqüidade, certamente viverá, não morrerá.
16 De todos os seus pecados que cometeu não se terá memória contra ele; juízo e justiça fez, certamente viverá.
17 Todavia os filhos do teu povo dizem: Não é justo o caminho do Senhor; mas o próprio caminho deles é que não é justo.
18 Desviando-se o justo da sua justiça, e praticando iniqüidade, morrerá nela.
19 E, convertendo-se o ímpio da sua impiedade, e praticando juízo e justiça, ele viverá por eles.
20 Todavia, vós dizeis: Não é justo o caminho do Senhor; julgar-vos-ei a cada um conforme os seus caminhos, ó casa de Israel.
21 E sucedeu que, no ano duodécimo do nosso cativeiro, no décimo mês, aos cinco do mês, veio a mim um que tinha escapado de Jerusalém, dizendo: A cidade está ferida.
22 Ora, a mão do Senhor estivera sobre mim pela tarde, antes que viesse o que tinha escapado; e ele abrira a minha boca antes que esse homem viesse ter comigo pela manhã; e abriu-se a minha boca, e não fiquei mais calado.
23 Então veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:
24 Filho do homem, os moradores destes lugares desertos da terra de Israel falam, dizendo: Abraão era um só, e possuiu esta terra; mas nós somos muitos, esta terra nos foi dada em possessão.
25 Dize-lhes portanto: Assim diz o Senhor Deus: Comeis a carne com o sangue, e levantais os vossos olhos para os vossos ídolos, e derramais o sangue! Porventura possuireis a terra?
26 Vós vos estribais sobre a vossa espada, cometeis abominação, e cada um contamina a mulher do seu próximo! E possuireis a terra?
27 Assim lhes dirás: Assim disse o Senhor Deus: Vivo eu, que os que estiverem em lugares desertos, cairão à espada, e o que estiver em campo aberto o entregarei às feras, para que o devorem, e os que estiverem em lugares fortes e em cavernas morrerão de peste.
28 E tornarei a terra em desolação e espanto e cessará a soberba do seu poder; e os montes de Israel ficarão tão desolados que ninguém passará por eles.
29 Então saberão que eu sou o Senhor, quando eu tornar a terra em desolação e espanto, por causa de todas as abominações que cometeram.
30 Quanto a ti, ó filho do homem, os filhos do teu povo falam de ti junto às paredes e nas portas das casas; e fala um com o outro, cada um a seu irmão, dizendo: Vinde, peço-vos, e ouvi qual seja a palavra que procede do Senhor.
31 E eles vêm a ti, como o povo costumava vir, e se assentam diante de ti, como meu povo, e ouvem as tuas palavras, mas não as põem por obra; pois lisonjeiam com a sua boca, mas o seu coração segue a sua avareza.
32 E eis que tu és para eles como uma canção de amores, de quem tem voz suave, e que bem tange; porque ouvem as tuas palavras, mas não as põem por obra.
33 Mas, quando vier isto (eis que está para vir), então saberão que houve no meio deles um profeta.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Todo Dia Com Jesus

João 9:17-34

Para os fariseus esse cego que foi curado é um incômodo testemunho do poder do Senhor Jesus. A primeira coisa que procuram, então, é obter dele ou de seus pais uma palavra que lhes permitisse contestar esse milagre. E quando se torna impossível para eles negar o milagre, se esforçam em desprestigiar Quem o realizou e a empilhar desonra sobre Ele (8:49). Afirmam: "Nós sabemos que esse homem é pecador" (v. 24) ainda que um pouco antes o Senhor haja lhes perguntado: "Quem dentre vós me convence de pecado?"(8:46).
Há uma grande diferença entre esse cego e seus pais. Os pais demonstram menos interesse pela verdade que por sua posição religiosa. Confessar a Jesus como o Cristo e participar em Sua rejeição é muito para eles; é mais do que podem suportar. Temem uma desgraça - quantas pessoas hoje em dia se assemelham a eles! O filho deles, por outro lado, não está embaraçado com tais argumentos. Os fariseus não conseguem tirar a sua humilde confiança nAquele que o curou. Ele passou das trevas à luz; não é para ele uma teoria ou uma doutrina, é um fato evidente. Ele simplesmente diz: "Uma coisa sei: Eu era cego, e agora vejo" (v. 25). Podemos dizê-lo junto com ele?

O valor da amizade

Os amigos são vitais em nossa vida. Não podemos viver sem eles. A amizade melhora o nosso bem-estar físico, mental e espiritual. Bons relacionamentos contribuem para mantermos a saúde bem e ainda curam as depressões. Assim como os perfumes alegram a vida, a amizade sincera dá ânimo para viver, Provérbios 27.9.
Não possuir amizades de qualidade é ruim para a saúde, o ânimo, a produtividade e a longevidade de todos nós. Portanto, sempre invista em suas amizades. Elas contribuirão para sua própria felicidade.
Os nossos amigos podem desempenhar alguns papéis em nossa vida que servirão de preciosa ajuda em nossa caminhada. O segredo é não querer que eles sejam perfeitos em todas as áreas. Afinal, nós também não somos.
Tipos de amigos
INCENTIVADORES – são grandes motivadores que sempre impelem você em direção a seus alvos. Possuem interesse genuíno no seu sucesso, mesmo que signifique correr risco por você.
CAMPEÕES – são amigos leais, que ficam ao seu lado como também das coisas em que você acredita. Eles o elogiam em sua presença e ainda “cobrem sua retaguarda”; saindo em sua defesa quando você não está por perto.
COLABORADORES – são aquelas pessoas que têm interesses comuns aos seus. Podem compartilhar com você uma paixão por esportes, hobbies, religião, trabalho, política, comida, filmes, música ou livros.
COMPANHEIROS – estão sempre ao seu lado, sejam quais forem às circunstâncias. Têm um vínculo praticamente indestrutível com você. Quando alguma coisa boa ou ruim acontece na sua vida são as primeiras pessoas para quem você liga.
COMUNICADORES – são aqueles com os quais você se socializa com freqüência. Sempre são convidados para eventos onde é possível conhecer outras pessoas; o que aumenta sua rede de contatos e lhe dá acessos a recursos inexplorados.
ENERGIZADORES – são os “amigos divertidos” que sempre levantam seu ânimo. Eles fazem de tudo para animá-lo quando você está deprimido e transformam um dia bom em um dia ótimo.
INSTIGADORES – expandem seus horizontes e o incentivam a acolher novas idéias, oportunidades e culturas. Eles o ajudam a fazer mudanças positivas, ampliando sua perspectiva em relação à vida e fazendo de você uma pessoa melhor.
GUIAS – dão conselhos e mantêm você na direção certa. São os amigos perfeitos para compartilhar seus objetivos e sonhos. Eles o ajudam a vislumbrar um futuro positivo, ao mesmo tempo, com os pés no chão.
Relaciono alguns textos bíblicos para a sua reflexão:
Provérbios 27.10: Melhor é o vizinho perto do que o irmão longe.
Provérbios 18.24: O homem que tem muitos amigos pode congratular-se, mas há amigo mais chegado do que um irmão.
João 15.14: Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando.
Isaías 41.8: Mas tu, ó Israel, servo meu, tu Jacó, a quem elegi, semente de Abrãao, meu amigo.
2 Pedro 1.7: E à piedade, o amor fraternal, e ao amor fraternal, a caridade.

MULHER VITORIOSA

ELIZETE MALAFAIA

Pra. Elizete Malafaia é psicóloga, bacharel em teologia, terapeuta de família, conferencista e coordenadora do Grupo de Terapeutas Cristãos.Ver outros artigos da coluna: Mulher Vitoriosa

Doações para manutenção

Banco Bradesco
Ag. 1804-0 c/c 00585785

Banco Bradesco
Ag.1804-0 conta poupança 1008973-5