sexta-feira, 31 de março de 2017

O que prende as mãos do amor

Versículo do dia: Damos sempre graças a Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, quando oramos por vós, desde que ouvimos da vossa fé em Cristo Jesus e do amor que tendes para com todos os santos; por causa da esperança que vos está preservada nos céus (Colossenses 1.3-5)
O problema com a igreja atual não é que haja muitas pessoas ardentemente apaixonadas pelo céu. O problema não é que os cristãos professos estão se retirando do mundo, passando metade dos seus dias lendo as Escrituras e a outra metade cantando sobre seus deleites em Deus, enquanto são indiferentes às necessidades do mundo.
O problema é que os cristãos professos estão gastando dez minutos lendo as Escrituras e depois metade do seu dia ganhando dinheiro e a outra metade desfrutando e arrumando aquilo que compraram.
Não é a mente celestial que dificulta o amor. É a mentalidade mundana que impede o amor, mesmo quando é disfarçada por uma rotina religiosa no final de semana.
Onde está a pessoa cujo coração é tão fervorosamente apaixonado pela prometida glória celeste que se sente como um exilado e peregrino na terra? Onde está a pessoa que já provou a beleza da era futura, de modo que os diamantes do mundo se parecem com bolinhas de gude, e para quem o entretenimento do mundo é vão, e as causas morais do mundo são muito pequenas porque não têm nenhuma visão para a eternidade? Onde está essa pessoa?
Ele não está preso à Internet ou a comer, dormir, beber, festejar, pescar,  comprar ou em ociosidade. Ele é um homem livre em uma terra estrangeira. E sua única pergunta é essa: como posso maximizar o meu deleite em Deus por toda a eternidade enquanto eu sou um exilado nesta terra? E sua resposta é sempre a mesma: realizando obras de amor.
Apenas uma coisa satisfaz o coração cujo tesouro está no céu: fazer as obras do céu. E o céu é um mundo de amor!
Não são as cordas do céu que amarram as mãos do amor. É o amor ao dinheiro, ao lazer, ao conforto e ao louvor — essas são as cordas que prendem as mãos do amor. E o poder de cortar essas cordas é a esperança cristã.
Digo-o novamente com toda a convicção que há mim: não é a mente celestial que impede o amor nessa terra. É a mente mundana. E, portanto, a grande fonte do amor é a poderosa e libertadora confiança da esperança cristã.
Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys
Original: 31 de março – O que prende as mãos do amor. © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Doações para manutenção

Banco Bradesco
Ag. 1804-0 c/c 00585785

Banco Bradesco
Ag.1804-0 conta poupança 1008973-5